Análise: Super Smash Bros Ultimate, o jogo que toda festa pede!

Hoje em dia para mim é muito comum conseguir reunir meus amigos numa tarde em casa para jogar papo fora, jogar alguma coisa e claro beber (que fique claro que eu não incentivo ninguém a fazer isso! Digo, a beber, apenas).

E nessas jogatinas sempre sempre há mais players que jogos que comportem todo esse povo, a maioria dos jogos multiplayer agregam até 4 jogadores, e Smash Bros. veio para mudar esse cenário. Em sua versão anterior de WiiiU e 3DS ele já revolucionou por colocar até 8 pessoas na mesma tela, o que já era sensacional.

Considerando que era possível usar o próprio 3ds como um controle então, era um nível acima, me diverti muito, mas com o passar da era WiiU, ficamos novamente à deriva com um jogo para todos.

Mas esse ano a Nintendo (Marilac!?!?) resolveu fazer diferente. Ela decidiu jogar no seguro, ficar no Switch mesmo e trazer grandes nomes de volta, e ainda ousaram dizer que a  que ela estava numa pior.

Super Smash Bros. Ultimate já é uma realidade e está disponível para compras em duas versões, somente o jogo ou com o Season Pass que garante acesso aos 5 primeiros personagens de DLC, 2 deles já revelados, sendo o Piranha Plant e o Joker diretamente de Persona 5. A Piranha Plant é um agrado aos que compraram na pré venda portanto não será descontado dos 5 lutadores \0/!

Os personagens porem não vem todos abertos desde o inicio, é necessário jogar em qualquer modo um pouco para que um deles apareça como um challenger, se você vencer ele se torna selecionável, mesmo que perca ainda haverá uma chance de recrutá-lo depois.

Portanto já temos mais de 70 personagens jogáveis e mais de 100 fases para se estapear, é conteúdo que não acaba nunca!

A única observação que a Nintendo precisa se atentar o quanto antes, é que o King K. Rool, um dos personagens novos, está extremamente desbalanceado! Ele é um dos pesos pesados dessa edição e devido suas mecânicas, já é top tier em qualquer torneio, o kit de ataques dele é muito completo, tem counters, launchs, críticos e superarmor.

Mas tenho certeza que a Nintendo está ouvindo a comunidade e vai balancear ele o quanto antes.

Mecânicas

Smash é Smash! Desde o primeiro game lançado no Nintendo 64 o foco sempre foi a diversão e colocar um monte de personagens que a gente ama para quebrar o pau! Inclusive, fiquem com esse maravilhoso e nostálgico comercial do primeiro Smash Bros.

Fica bem claro que a Nintendo aprendeu bastante com os últimos jogos e ouviu bastante a comunidade. Lembra como ficamos chateados quando o modo história (Subspace Emissary) apareceu no SBBrawl (Nintedo Wii) e depois foi arrancado no WiiU/3ds?

Pois a Nintendo nos ouviu, e ouviu MESMO, pois retomou um modo história, nesse chamado de World of Light e corrigiu bastante coisa que tirava do sério no Subspace Emissary. Não temos mais “fases”, temos um mapa GIGANTESCO com diversos pontos luminosos e marionetes.

O objetivo do principal do World of Light é ajudar Kirby a libertar os outros lutadores e enfrentar o terrível Galeeem, responsável por aprisionar todos, criar clones e invocar espíritos para possuir esses clones.

Veja nosso review detalhado desse modo aqui.

O WoL tem pelo menos 30hs de diversão garantida, talvez um pouco longo para alguns, mas isso se deve ao massivo colecionável, os spirits, ao todo 1299 (até agora).

Os Spirits servem como equipamentos que customizam o personagem, podem garantir imunidade a um tipo de dano, equipar um item no inicio da partida, aumentar um tipo de dano em especifico etc.

O que “de certa forma” funciona como a customização que tínhamos no jogo anterior em uma escala muito maior, com a exceção que não altera nenhum pool de golpes.

Fora essa grande novidade, temos de volta todos os modos já conhecidos o Smash Mode, o Classic, o Training, o Custom (para os Mii Fighers) e o modo on line. Aqui nada muda com relação o que já conhecemos.

Sobre o modo on line, preciso dar minha palavra. Bem, o Switch não tem entrada para cabo nativamente então ficamos a mercê do Wi-fi, e isso eu percebi ser um problema. Normalmente as lutas vão super tranquilas, contudo, em algumas se torna impossível, quase uma apresentação de slides, e minha internet atualmente é muito boa e isso não deveria ocorrer.

É importante elencar também que, para poder jogar on line, é necessário que se assine o Nintendo Switch Online  que custa 19U$D por 12 meses individual ou 34U$D o plano família (que sai muito mas em conta pois pode ser dividido em 8 pessoas).

Acredito que se usar o adaptador para cabear o Switch esse problema quanto o Lag seja resolvido, pelo menos do seu lado, pois ainda é necessário que seu oponente possua também uma boa conexão. O Match Making é bem justo, peguei apenas oponentes que dava gosto de batalhar, e um ou dois que não de me deixaram respirar.

Agora o principal modo e utilidade de Super Smash Bros. Ultimate é animar festas, como mencionei acima, costumo ter a galera em casa para jogar com bastante frequência e o jogo tem sido a maior diversão, seja só para praticar bullying com aquele amigo que merece (tipo um 1 x 7)  ou para drink games (novamente, vocês não me bebam se forem menores de idade hein!!!) ou só inflar o ego daquele que sobrevive a essa hecatombe!

Todo mundo tem chance. Todo mundo se diverte e mesmo aquela pessoa que JOGA MUITOOOOO, está a mercê de toda a aleatoriedade que só Smash Bros nos é capaz de fornecer, com itens, Pokémon, desafios das fases etc. Tudo isso extremamente customizável, você pode inclusive não deixar nenhum item, pode colocar para todos começarem gigantes, minúsculos etc.

Dentro do Smash mode ainda é possível organizar um torneio com até 16 pessoas!!!

Conclusão

Um MUST HAVE para cada dono de Nintendo Switch! Aliás, nem precisa ser uma cópia para cada um, precisa ser uma cópia para cada grupo de amigos, um jogo rápido, dinâmico, desafiador, engraçado e muito mais.

É um game que não requer compromissos então você pode jogar quando puder e quando quiser, e tirar um bom proveito do modo Handheld do Switch. Vale dizer que ele também tem uma importante função, eu jogo bastante no metro de São Paulo, e não foi apenas uma vez que fui abordado para tirar um x1, ou seja, também promove a socialização! E também vale dizer que ele possui uma lista ABSURDA de músicas e é possível utilizá-lo como um media Player. Coloque sua música favorita, deixe em modo descanso e vá curtindo essa maravilha.

Existem eventos para encontros de jogatinas, aqui em SP conheço um mas procure no Facebook que tenho certeza que poderá encontrar em sua cidade também!

Por enquanto isso é tudo o que tenho para falar desse game maravilhoso e super esperado jogo. Agora é esperar as próximas novidades dos campeonatos.

Caso queiram um x1 ou mesmo jogar sem compromisso, me adicionem no Facebook e vamos nos falando!

Confira nossa galeria abaixo!

Cambio, deligo!

notas

Publicado
Gamer, Gaymer e muito orgulhoso! Descobri os videojogos com 7 anos de idade, de lá para cá foi uma ladeira sem fim, horas gastas em frente a televisão e muita, mas muita mesmo, história para contar, vivi tantas vidas quanto consigo me lembrar, e quer saber? É muito bom não ser a si mesmo!

2 thoughts on “Análise: Super Smash Bros Ultimate, o jogo que toda festa pede!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *