Top 15 jogos do Coimbra de 2016

Inspirado pelo início do ano onde fazemos o balanço geral do ano anterior (mentira, o Vicente fez uma lista e pensei, por que não?), pensei em enumerar meus jogos prediletos do ano. Para não ser completamente igual, eu vou listar meus 15 jogos preferidos do ano de 2016. Vale lembrar que pela falta de tempo/disponibilidade/dinheiro não joguei ainda jogos como Titanfall 2, Civilization VI, XCOM 2, Dead Rising 4,  Dishonored 2, Oxenfree, 1979 Revolution: Black Friday e outros. E outra coisa antes que você tenha um ataque do coração, eu preciso que o jogo tenha um modo história single player para me divertir. Caso não tenha, eu provavelmente não vou dar tanta atenção para ele. E um último aviso, tenho uma veia nipônica muito forte, então espere encontrar jogos japoneses em minha lista.

Reforçando a mensagem, esta é a minha lista e não representa a opinião do site. Agora vamos ao que interessa!

the division

15 – The Division – PS4, Xbox One e PC

Iniciamos esta humilde lista com o bom jogo de mundo aberto da Ubisoft, The Division! Nele você passa por uma Nova Iorque que foi infestada com um vírus depois da famosa Black Friday. E sim, o vírus era passado através da circulação do dinheiro. Embora a narrativa seja boa, o jogo peca em mostrar sequer uma pessoa doente ou afetada pela doença (confesso que até hoje espero que apareça alguém zumbificado, ou com o braço caindo ou sei lá).

Embora a história não seja o forte do game, seu mundo é muito lindo e graficamente impressionante. A mecânica de cover é perfeita em minha opinião como o deslocamento dos personagens. Ele é um shooter em terceira pessoa que fica ainda mais legal com os amigos e tem um belo modo PVP onde seu inimigos serão NPC´s ainda mais poderosos e outros jogadores que podem ou não ser seu aliado.

Por fim, vale ressaltar que a Ubisoft está dando suporte ao jogo faz quase 1 ano e ele está com um novo e interessante modo de sobrevivência que expande ainda mais o mundo.

gears-of-war-4-hero-jd-kait-del-938x528_2nwr

14 – Gears of War 4 – Xbox One e PC

Graças ao Xbox One pude jogar a franquia Gears of War e me apaixonar por ela. Certamente Gears of War 4 da um belo seguimento a franquia e apresenta novos e interessantes personagens. A Coallition merece os parabéns por não só ter mantido o ótimo e fluido gameplay da conhecida série, como ter conseguido sair da sombra da trilogia original e ter um ótimo potencial para uma nova trilogia.

Aliado a isso, o jogo é lindo e ele está maior e melhor do que nunca. Tempestades gigantescas de areia e raios, detritos voando de um lado para o outro e muito mais.

ReCore Horizontal Key Art

13 – Recore – Xbox One e PC

Muitos que jogaram Recore reclamaram de seu final que é exaustivo. Porém, eles esqueceram de enaltecer que este jogo é muito divertido. Seu gameplay é rápido e preciso fazendo com que ele seja extremamente viciante e não cansativo. Além disso, ele proporciona ótimos e sádicos desafios de plataforma que até nos da uma ponta de esperança de que Keiji Inafune possa nos trazer algum jogo futuro com alta qualidade como Recore.

É importante enfatizar que o controle de precisão é muito grande, sendo ideal para explorar o mundo e fazer ótimos desafios de plataforma.

battlefield 2

12 – Battlefield 1 – PS4, Xbox One e PC

De longe não sou fã de jogos de tiro (e nem to considerando o fato de eu ser ruim neles), mas Battlefield 1 me surpreendeu de forma incrível. Como mencionei acima, eu PRECISO que o jogo tenha uma história e Battlefield 1, impulsionado por sua engine Frostbite 3, entrega uma história espetacular com gráficos de cair o queixo dignos de um jogo exclusivo de PS4 ou Xbox One. E isso tudo aliado ao clássico gameplay de Battlefield dispensa comentários.

Por fim, a volta para a primeira Guerra Mundial, traz um jogo mais cadenciado e técnico. Nada de explosões loucas ou de colocar uma C4 numa arvore e derrubar um helicóptero. Em Battlefield 1, você precisa pensar bem nas suas ações e lembrar que TODO o cenário pode ruir ao longo da batalha.

firewatch

11 – Firewatch – PS4, Xbox One e PC

Firewatch foi mais um titulo lançado no inicio do ano que tinha uma história um tanto complicada de entender. Como alguém pensaria em fazer um jogo de um guarda florestal? Como é que isso poderia ser minimamente divertido? Após jogarmos Firewatch, pudemos entender a maravilha deste jogo e de como sua narrativa é incrível. Você é um marido desolado porque sua esposa tem uma doença terminal e sua escolha é fugir para o lugar mais longe, como guarda florestal. No meio de uma narrativa envolvente, o jogo desponta como um dos melhores do ano certamente.

the-last-guardian-banner-us-15jun15

10 – The Last Guardian – PS4

The Last Guardian foi o último jogo que pude jogar em 2016 (ainda tenho vários que não joguei). O mítico jogo por todos seus problemas finalmente foi lançado e ele fez jus a espera e as expectativas. The Last Guardian tem algo de relaxante e recompensador após solucionar cada enigma e seguir adiante. Tudo isso muito bem acompanhado do fofíssimo Trico que ganhou meu coração e certamente liderará uma horda nerd de futuros animais sendo chamados de Trico.

rcps4_main

9 – Ratchet & Clank – PS4

Particularmente nunca havia jogado nenhum jogo da franquia de Ratchet & Clank (nem de Crash se quiser me xingar mais) e tive a grata oportunidade de jogar logo esse jogo impressionante e maravilhoso. Não tenho como medir elogios a maravilha que é o divertidíssimo e super bem feito Ratchet & Clank. A animação é incrível, os personagens são ótimos, a história é maravilhosa, o humor está na medida certa e a dublagem é de ser aplaudida de pé. Simplesmente um dos melhores e mais cativantes jogos de plataforma dos últimos anos que ofusca muitos jogos AAA.

DragonQuestBuilders

8 – Dragon Quest Builders – PS4 e PS Vita

Quem me conhece deve estar se perguntando se estou doente nesse momento. Afinal um jogo estilo Minecraft no meu top 10? O que aconteceu comigo? Sim meus amigos, meu preconceito com Minecraft não conhece fronteiras, mas Dragon Quest Builders é TÃO bom que sou obrigado a coloca-lo no meu top 10. Com uma história boa, gráficos interessantes e uma ótima mecânica, Dragon Quest Builders me proporcionou muitas horas de diversão e do mais puro e belo vício.

watchdogs 2 wrench

7 – Watch Dogs 2 – PS4, Xbox One e PC

Watch Dogs 2 foi uma das surpresas do ano para mim. Depois do fiasco de Watch Dogs 1, que para mim foi um jogo medíocre, eu estava ignorando Watch Dogs 2 por motivo de pura preguiça. Mas após joga-lo, WOW! Foi amor/vicio na hora. Parei de jogar o bom Mafia 3 para ficar dando altos roles pela cidade de San Francisco e hackear tudo em nome da Dead Sec. Todas minhas reclamações do primeiro jogo foram atendidas e a Ubisoft entregou um jogo muito bom com um ótimo gameplay, ótimo gráfico, uma ótima história e personagens.

Forza-Horizon-3-E3-2016-Screenshots-Lamborghini-Sky-1

6 – Forza Horizon 3 – Xbox One e PC

No meu review de Forza Horizon 3, eu defini o jogo como o melhor jogo de corrida já feito. Acho que isso já diz tudo certo? Lindos visuais unido a um ótimo gameplay colocam este jogo no primeiro lugar dos jogos de alta velocidade em anos.

dragon-ball-fusions-2

5 – Dragon ball Fusions – 3DS

E começaram as minhas japices. Se você achou que iria encontrar Xenoverse 2 aqui ou nesta lista, nem precisa se preocupar. Não que ele seja ruim, mas Dragon Ball Fusions é muito melhor! Fazendo literalmente uma mistura despretensiosa entre os personagens num estilo RPG old school, tive mais de 30 horas furtadas por este maravilhoso RPG portátil (não revelarei quantas foram enquanto eu tava… você sabe…).

Fazendo uma mistura de personagens da era Dragon ball até a GT e incluindo a Super, se prepare para curtir uma aventura absurdamente divertida e viciante ao montar o melhor time e ao procurar os melhores parceiros para fazer a fusão perfeita!

doom

4 – DOOM – PS4, Xbox One e PC

O que é melhor do que ouvir um rock pesado e destruir demônios vindo diretamente do inferno ao esmagar suas cabeças com a própria mão? Talvez fazer isso tomando uma bela cerveja gelada, mas não vem ao caso. Dando seguimento ao ótimo serviço que a Bethesda está fazendo de reviver seus clássicos (sim Quake, estamos na expectativa agora), nós entramos na pele de Doom Guy mais uma vez para acabar com uma horda de inimigos vindo diretamente do inferno.

DOOM chega com um gameplay frenético e sem cobertura para que você foque somente no ataque. É extremamente recompensador e desafiador entrar neste mundo louco que é bem feito e que tem uma história simples e interessante. As armas são originais e muitas delas fazem homenagens as amadas armas dos primeiros jogos. Simplesmente pegue sua arma e vá estourar algum demônio logo que é absurdamente prazeroso.

digimon

3 – Digimon Story Cyber Sleuth – PS4 e PS Vita

Chegando ao top 3, começamos com Digimon?! Sim, estou falando seríssimo ao colocar Digimon Story Cyber Sleuth em terceiro lugar. Este jogo me viciou por mais de 60 horas tendo um gameplay livre e viciante. Apelando para as muitas possibilidades de digi-evoluções eu perdi semanas catando todos os digimons do jogo, upando eles, evoluindo e repetindo o processo diversas vezes.

O jogo em si segue uma mecânica de Pokemon, mas tendo uma história bem mais séria e pesada. Também existe a possibilidade de digivolver Digimons diferentes e chegar até os lendários, que são os mais fortes. Pode não parecer, mas durante fevereiro/março tudo o que se falava era em Digimon, e quem jogava era picado imediatamente pelo vício.

Uncharted-4-Lançamento-ND

2 – Uncharted 4 – PS4

É logico que a última aventura de Nathan Drake não poderia ficar de fora. Um dos mais aclamados jogos de 2016 foi para mim o mais impressionante do ano no quesito narrativa e ótima direção de personagens e cenas. O jogo segue mais uma aventura de Nathan que desta vez reencontra seu irmão em busca de um tesouro pirata que é amaldiçoado.

Embora ele seja lindo e a atenção aos detalhes seja absurda, ele também te chama a atenção pelo amor do time de desenvolvimento nele. E isso você vê não nas cenas de aventura, mas sim nas cenas onde os personagens interagem, sobre quando falam do dia a dia ou então do passado e muito mais. É difícil descrever o quão bom é Uncharted 4, somente posso dizer que é um jogo obrigatório a ser jogado para os donos do PS4.

final fantasy xv

1 – Final Fantasy XV – PS4 e Xbox One

E chegando ao melhor jogo deste ano, temos a boy-band de K-pop mais transada do momento. Sim, estamos falando de Final Fantasy XV. Sou fã da série Final Fantasy desde muito tempo e graças a ele que me apaixonei pelo estilo RPG (repare que do meu top 5, 3 são RPG), porém, Final Fantasy vinha me desagradando desde o X-2. Já havia feito uma promessa para mim que se esse não fosse pelo menos bom, eu iria abandonar de vez a série. Felizmente não me decepcionaram e esse jogo é maravilhoso. Certamente o melhor RPG de 2016.

Muitas coisas foram mudadas em Final Fantasy XV como o estilo de luta que passou a ser no estilo ação e funcionou perfeitamente bem. Uma marca registrada de um FF, é que normalmente há perda num jogo e muitos momentos tensos. Posso afirmar que a partir do capítulo 9, tudo fica muito tenso e você sente a dor e angústia de cada personagem. E isso acaba sendo o destaque do jogo, pois a amizade entre os 4 personagens principais é perceptível e é muito natural.

Final Fantasy XV é sim o grande jogo de 2016 e irá proporcionar muitas emoções juntamente com lindos gráficos, um ótimo gameplay e muitas lágrimas. Afinal, se você não chorar no final, você é um monstro.

E claro, farei algumas menções honrosas de jogos que curti muito, mas não incluí no top 15.

Publicado
Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.

2 thoughts on “Top 15 jogos do Coimbra de 2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *