Análise: New Gundam Breaker – É um gunpla que ainda não foi montado

Gundam é a série de mechas japonesas que a Bandai Namco tem buscado localizar todos os seus jogos ao ver que existe público. New Gundam Breaker foi o primeiro jogo da série Breaker a receber a localização e o primeiro da franquia a ser lançado mundial e que futuramente será lançado no PC via Steam. O jogo é baseado nos bonecos Gunpla que são miniaturas de Gundam onde o colecionador deve montá-lo do zero e muitos costumam criar seus próprios ao unir partes de um mecha com de outro. É basicamente nisso que o jogo se baseia, permitindo que você colecione peças e crie o seu próprio mobile suit.

Uma nova fase de Gundam Breaker

Antes de New Gundam Breaker, existiram três títulos que possuíam apenas o nome de Gundam Breaker onde o conceito era o mesmo. Contudo, esta nova fase da série busca adaptar ainda mais a ideia de que você possui um gunpla e não um mecha de verdade, fazendo com inúmeros menus sejam baseados em coisas como mesa de montagem de gunpla, prateleira de bonecos, etc. Outro diferencial existente nessa nova fase é o modo história onde se encontra as missões, enquanto nos primeiros games era um estilo mais familiar aos hunting games onde você escolheria a missão num menu e ia sozinho ou acompanhado de um NPC ou amigos online.

O modo história está longe de possuir uma narrativa sensacional, porém é possível que você se divirta um pouco ao acompanhar a história que é contada em formato de visual novel. Ela é separada onde o primeiro arco acompanha uma introdução que mostre o protagonista entrando numa escola própria para jovens que batalham utilizando gunplas e, sequencialmente, é ramificado em vários arcos onde o protagonista acompanha um dos personagens secundários descobrindo mais sobre eles.

Pilotando o seu gunpla

Inicialmente devo dizer que os gráficos de New Gundam Breaker são muito bons, principalmente em comparação com os outros jogos de Gundam no geral. O uso da Unreal Engine 4 foi uma decisão mais do que satisfatória e consegue trazer realismo nas batalhas, principalmente nos efeitos e movimentação dos gunplas. A jogabilidade a primeira vista aparenta ser deveras confusa pela quantidade de botões existentes, sendo que possui ataque leve, ataque forte, dash, bloqueio, tiro, salto, etc… É muita coisa e isso faz com que seja necessário um tempinho para pegar o jeito. Além disso, às vezes, você notará que os comandos não te respondem com precisão, fazendo que sofra em alguns momentos.

Diferente do dos primeiros Breakers, New Gundam Breaker é mais voltado para o lado competitivo por ter missões  que nas maiorias das vezes colocam dois times de três pessoas em combates, enquanto devem realizar diversas quests. Não é estranho que em vários momentos a tela fique cheia de robôs se destruindo ou em cima de você realizando um espancamento gratuito. Por conta disto, várias vezes o jogo dará uma travada de 1 a 2 segundos que pode até não atrapalhar, mas vai quebrar a sua animação e foco.

Montando o seu gunpla

O ponto principal de New Gundam Breaker é utilizar as peças que você consegue nas missões para construir o seu próprio gunpla. A primeira vista você monta uma quimera que aparenta nem combinar, mas o segredo está na pintura onde você deixa tudo com uma cor harmônica para deixar o seu gunpla bem feito e bonito. Cada peça teu seu status, fazendo com que você escolha entre o que é bom e o que te agrada, desta forma montando diversos tipos de mechas. A evolução da customização está muito maior comparado aos antecessores, já que neste novo você tem maior liberdade com os efeitos de cores e onde colorir, além disso, adicionar partes extras.

Devo avisar que até nessa parte temos algumas “travadas”, demorando um pouquinho para o menu mudar.

Multiplayer

Da mesma forma que os antecessores, New Gundam Breaker é muito focado em seu multiplayer. Contudo, em seu lançamento só temos modo de missão com ou sem oponentes reais. O quick match faz com que você procure partidas de seis jogadores que também estão utilizando essa função, fazendo com que não seja tão “quick”. Convenhamos, seria mais rápido se ela te mandasse para uma equipe em formação ou para partidas que não tivessem lotadas. Você pode criar uma equipe e aguardar mais duas pessoas entrarem para começar a partida, tornando-se ser a opção mais fácil de conseguir companheiros para jogar e, por fim, procurar uma equipe que por sua vez tem função familiar com a quick match. O online sofre todos os problemas ditos anteriormente somado com a opção de ter poucos jogadores desse lado do mundo, fazendo com que você tenha que se aventurar com pessoas do oriente onde seu ping vai mais alto do que qualquer Gundam em voo.

Conclusão

New Gundam Breaker não é um jogo ruim, mas é quebrado. A Bandai Namco vai lançar atualizações até agosto para concertá-lo, porém até então este game ainda é um gunpla em fase de construção e que ainda não vale apena o investimento. Eu sou um enorme fã da franquia, contudo até o meu lado fã sentiu-se insatisfeito pela forma que o lançamento ocorreu. Se for que nem eu, um fã viciado ao extremo, poderá achar diversão em meio de tantos problemas técnicos.

{{

game = [New Gundam]

game = [Breaker]

info = [Lançamento: 22/06/2018]

info = [Produtora: Crafts & Meister]

info = [Distribuidora: Bandai Namco]

plataformas = [PS4 e PC]

nota = [2/5]

decisão = [O jogo poderia ser bom, mas está quebrado]

texto = [Aguarde as atualizações de agosto]

texto = [para comprar]

positivo = [Customização do gunpla]

positivo = [Gráficos]

positivo = [Gameplay]

positivo = [Travadas]

negativo = [Resposta demorada]

negativo = [Poucos modos]

}}

Anderson Mussulino

Publicitário louco por toda a cultura geek. Redator do Última Ficha e apaixonado por jogos que vem da terra do sol nascente.
Botão Voltar ao topo
Fechar