Análise: Yoshi’s Crafted World evolui a série de forma sublime

Yoshi nos foi apresentado em Super Mario Bros 3 e foi instantaneamente aceito pelos fãs. O Dinossauro antropomórfico mais famoso do mundo chega ao Nintendo Switch em sua nova aventura. Em Yoshi’s Crafted World você poderá controlar qualquer um dos Yoshis para resgatar gemas que foram perdidas da Sundream Stone. Uma lendária pedra colocada no topo do pico mais alto da ilha dos Yoshi, que diz conceder os desejos mais loucos. Com um tesouro tão poderoso, já era de se esperar que Baby Bowser e seu capanga, o mago Kamek, sejam logo tentados a tentar roubar a pedra. Em uma briga a pedra acaba se quebrando e cinco pedaços se espalham pelo mundo. Assim começa a caçada dos Yoshi, Baby Bowser e Kamek pelas pedras espalhadas!

O jogo pode ser comprado na Loja Nintendo do Brasil a R$250,79. Caso não tenha cartão, é possível comprá-lo via boleto.

Criatividade que agrada aos olhos

A primeira coisa que você vai se impressionar no game são seus gráficos. O jogo tem uma vibe “Toy Story” onde tudo parece uma grande brincadeira de criança. Pedaços de papelão, canudos, e caixas são usados para formar todo o percurso enquanto o Yoshi em si parece ser feito de veludo, ou lã, ou esponja… vai saber. A criatividade da equipe na criação dos cenários agrada a todo instante, lembrando que agora o background, o fundo da fase, também é jogável em vários momentos, tornando tudo um pouco mais dinâmico e desafiador em certos momentos.

Conforme você se move os papeis vão se desdobrando e o caminho a ser seguido vai aparecendo. Ta ligado aqueles livros da sua infância que quando você abria, se desdobrava e se tornava uma figura meio em relevo/3D? Então… é bem por aí. Para dar mais essa cara as animações sofrem uma queda de FPS que no início podem incomodar mas depois me toquei, e levei para o lado de ser uma animação em Stop Motion, tipo propagandas de Max Steel e aquele filme “Fuga das galinhas”. Depois disso eu me tranquilizei e aprendi a curtir a decisão da equipe de criação.

Falando de criatividade, eu senti falta de uma inspiração a altura das fases quando o assunto é a trilha sonora. Não me entenda mal – a trilha não é ruim… só curta demais! A música tema do jogo fica sofrendo alterações de tons na maioria dos momentos. Apesar de ser catchy (ou chiclete) pra caramba, eu senti falta da singularidade da trilha sonora vista em outros jogos como o próprio Mario. Se não havia tempo para criar tantas, porque não dar novos tons a “hits” antigos?

Vamos falar da Jogatina

Em seu gameplay, Crafted World está bem parecido com Poochy and Yoshi’s Woolly World do 3DS, com o diferencial da participação massiva do fundo do cenário. Você ainda pega ovos e transforma inimigos em ovos também. O objetivo aqui é usá-los como armas (meio triste né), só que agora não só nos inimigos. O cenário de fundo de Yoshi’s Crafted World é todo “acertável”! Com isso você pode desvendar alguns segredos, conseguir moedas e as flores – que são quase mais importantes do que propriamente passar de fase.

As flores são sua moeda de troca para seguir no jogo. Algo semelhante como visto nos jogos da série Mario Galaxy, Mario 64 e etc. Então não ache que sair correndo sem coletar o que parece um colecionável é a melhor opção, já que mais na frente você será cobrado por uma espécie de porteiro que só deixará você prosseguir em troca de um número especifico dessas belezinhas.

Além disso existem maquinas de “Gacha” (no Brasil conhecido como aquelas maquinas que você troca moeda por “bolinha perereca” ou Pokémons mal feitos) espalhados pelo mapa. Em troca de moedas você compra itens, colecionáveis, que protegem você de tomar X danos. Por mais que seja legal ver os itens e os Yoshi vestindo eles, não há uma real necessidade de comprar essas vestimentas. Vamos falar o porque agora.

Tentando ser o mais inclusivo possível, o jogo possui um modo chamado Mellow – um modo fácil para aqueles que são mais jovens, ou querem uma experiência mais facilitada. Crafted World não é difícil, mas fazer 100% e explorar tudo que é possível pode demandar algum tempo. Neste modo as coisas ficam um pouco mais simples e facilitadas confira algumas mudanças:

  • Yoshi pode voar pela fase;
  • O número de flores da fase fica sempre aparecendo na tela;
  • Menos dano dos inimigos e vida abundante;
  • Segredos invisíveis ficam aparentes;
  • Cada inimigo se transforma em dois ovos.

É legal ter um modo mais simples para aqueles que preferem, e dou pontos ao jogo por isso, mas acho que a dificuldade customizada já é uma realidade e gostaria de ver mais jogos usando esse conceito. Poder escolher qual dos pontos acima citados eu quero habilitar e desabilitar me daria liberdade pra escolher onde eu não quero gastar meu tempo. Se eu sou ruim no jogo e quero descobrir os segredos, o jogo deveria me deixar tomar menos dano mas não desvendar os invisíveis, por exemplo.

Para minha alegria, os chefes de Yoshi’s Crafted World são super divertidos e, mesmo que fáceis, conseguem trazer um desafio de padrões a ser conquistado. Recentemente joguei Cuphead novamente e acho que ele é o melhor exemplo de como a fórmula antiga de jogos deste estilo ainda tem espaço e podem se tornar jogos realmente desafiadores. Pensando nisso, e nesse público, o pessoal da Good-Feel (depois de vários feedbacks ao longo de sua jornada até aqui) colocou dois modos para quem quer um desafio a mais no jogo. São eles Hidden Hills e Boss Challenges.

Hidden Hills e Boss Challenges – Feedbacks valem a pena!

Hidden Hills é uma curta série de níveis de bônus que você abrirá após concluir a história principal de Crafted World. Embora a maioria das fases normais possam ser concluídas com facilidade (embora seus colecionáveis ​​possam ser muito mais um desafio), os níveis de Hidden Hills são difíceis! (yay!) Dois deles (o primeiro e o terceiro) são desafios de plataformas com grandes distancias a serem puladas, plataformas móveis e muito poucos pontos “seguros” para descansar. Além disso, se você cair em qualquer parte do nível, o jogo acaba e você tem que voltar para o início (outros níveis apenas o levam de volta ao último lugar em que você estava com uma penalidade de vida). O segundo nível de Hidden Hills é mais um desafio de esquiva e coleta quando você sobe em uma plataforma de ímã, evitando luzes de segurança que enviarão inimigos para atacá-lo e realizar uma série final de saltos difíceis em inimigos voadores.

Um outro modo aparece quando você termina o jogo: Boss Challenge. Nele você irá enfrentar os chefes do jogo novamente com um bom adicional de dificuldade. Um ótimo desafio para aqueles que procuram masterizar suas habilidade em jogos de plataforma 2D. Como dito anteriormente, os feedbacks e concorrência parecem ter dado a dica para a Good-Feel que tentou agradar simplesmente todos os tipos de jogadores sem deixar de lado a “fofura” e visual light de sua engine.

Couch Coop tomando nova forma em jogos da Nintendo

O game oferece um modo multiplayer que talvez seja uma das experiências de plataformas cooperativas mais atraentes que já vi nesse estilo de jogo. Em vez de entrar no caminho um do outro ou fazer os mesmos objetivos todo o tempo, quando um Yoshi pula em outro, ele se torna mais poderoso, produzindo um número infinito de ovos para quem está em cima mirar e atirar. Se o Yoshi montado pula para cima, o piloto pode pular de suas costas para alcançar alturas ainda mais altas. Ele permite uma abordagem diferente dos desafios de cada fase.

Você sempre pode separar e jogar normalmente, mas o poder combinado dos seus Yoshi’s é uma ótima maneira de engajar novos jogadores ou aqueles que podem estar mais interessados ​​em atirar ovos do que saltar de plataforma em plataforma, tornando um cooperativo bem atraente para vários tipos de jogadores. Uma coisa parecida com isso foi feita ante em Captain Toad: Treasure Tracker. (CONFIRA AQUI NOSSO REVIEW)

Conclusão

Yoshi’s Crafted World é sem dúvidas uma ótima adição para a biblioteca do Nintendo Switch. Jogadores que gostaram do jogo anterior tem motivos para se impressionar com a evolução da série, gráficos agradáveis e com criatividade da equipe de level design. Aqueles que nunca jogaram ou simplesmente acham “infantil demais” eu convido a jogar a Demo do jogo que está disponível na Eshop há algum tempo e também aconselho dar uma olhada nos novos modos de jogos, que apesar de curtos – matam um pouco a vontade de ter um desafio maior.

Gostaria de parabenizar a Nintendo e a Good-Feel por escutarem os fãs e se esforçar para trazer a melhor experiência para todos. Que os novos modos adicionados em Yoshi’s Crafted World se espalhem pelos outros ótimos  jogos da desenvolvedora. Seria incrível ver um jogo de Kirby um pouco mais hardcore! Quem sabe um metroidvania?! :O

O jogo pode ser comprado na Loja Nintendo do Brasil a R$250,79. Caso não tenha cartão, é possível comprá-lo via boleto.

notas

Publicado
Gamer há tanto tempo que usa consoles como referência cronológica para lembranças de sua vida. Amante de Mega Man, Resident Evil e Warcraft. Se gaba por ter zerado Battletoads aos 9 anos mas abandonou Bloodborne com 26.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *