Hands-on: Journey to The Savage Planet divertido e satírico na E3

Um dos jogos que tivemos a oportunidade de experimentar na E3 foi Journey to The Savage Planet. Permitam nos começar dizendo que este jogo de aventura foi uma das experiencias mais divertidas e satírica que tivemos na E3. Este jogo único vem dos estúdios Typhoon Studios e 505 Games. O humor e a forma com que Journey to The Savage Planet aborda sua história e seus personagens é muito original e seguramente prazerosa. Porém, é divertido e vale seu tempo?

Savage Planet

O jogo conta a história de empresas que enviam pessoas para investigar planetas, para verificar se o planeta possui recursos suficientes e se cumpre critérios para ser habitado. Você faz parte de uma delas e que se orgulha de ser a quarta maior empresa do negócio. Não é brincadeira. Esta comodidade e o tom de mediocridade geral criam ótimos jogos de palavras com regularidade.

O humor em Journey to The Savage Planet é visível já dentro desta empresa. O mundo em si mesmo e sua forma de viver são hilários. Estávamos explorando fora da nave espacial e, a poucos metros de distancia, uma coisa estranha que se parecia um flamingo com dois pescoços nos viu. Quando começou a fugir, cacarejou como uma galinha assustada. É um mundo incrivelmente bem desenhado, cheio de vida e coisas interessantes para pesquisar e fazer.

Exploração espacial cheia de diversão

O elemento central aqui é a criação de equipamentos de sobrevivência a partir do recursos no planeta explorado. Isto em si não parece nada divertido. Honestamente, tão pouco é no começo. No entanto, Journey to the Savage Planet torna isso muito divertido. Cada parte do mundo que você explora tem algo interessante ou divertido. Isso o mantém entretido na obtenção de equipamentos melhores para que possa explorar mais e mais mundo vasto e hilário.

Existem alguns elementos que ainda precisam de melhorias. Nós enfrentamos alguns erros, mas os desenvolvedores podem rapidamente fornecer uma solução. Vale ressaltar que este é um trabalho em desenvolvimento. Mesmo assim, tudo parece fantástico. O mundo em geral é lindamente projetado e sempre parecendo vivo e carismático. Em resumo, há um grande potencial para Journey to The Savage Planet. Esta demonstração é tudo o que eu queria que No Man Sky fosse. Estou animado para o seu lançamento no início de 2020.

Mostrar mais

Paulo Everton

Gamer, Gaymer e muito orgulhoso! Descobri os videojogos com 7 anos de idade, de lá para cá foi uma ladeira sem fim, horas gastas em frente a televisão e muita, mas muita mesmo, história para contar, vivi tantas vidas quanto consigo me lembrar, e quer saber? É muito bom não ser a si mesmo!
Botão Voltar ao topo
Fechar