Tendência

Análise: Indivisible mistura plataforma com RPG (E deu muito certo!)

Com mais de 20 personagens jogáveis e uma história cheia de reviravoltas, o jogo traz uma experiência única!

Indivisible é o último lançamento da Lab Zero Games, desenvolvedora do famoso jogo indie SkullGirls, um jogo de luta 2D lançado originalmente em 2012, mas que continua sendo lançado em outras plataformas pela sua jogabilidade e estética impecáveis. Mas agora, com o apoio de diversos fãs via Crowdfunding no Indiegogo, decidiram se arriscar ao desenvolver um jogo de RPG com elementos de plataforma, ficando a dúvida: Será que conseguirão repetir o sucesso com uma experiência tão diferente?

De um pequeno vilarejo para o mundo

Indivisible é um jogo single-player onde o controla-se Ajna, uma jovem destemida que cresceu treinando luta com seu pai Indr. Após a invasão de um reino maligno em seu vilarejo, ela descobre uma habilidade incrível de absorver as almas de outras pessoas. Com esse poder em mãos, Ajna sai em busca de vingança contra o império liderado por Rannavar.

Após perder seu pai, Ajna parte em busca de vingança.

Durante a jornada, o jogador encontra e se alia a diversos personagens bem caricatos, como a cômica e caótica Razmi, uma xamã da floresta que, em conjunto com seu tigre espiritual Bom, decide se aliar a Ajna por puro tédio. Com uma personalidade totalmente oposta, também junta-se a equipe Dhar, um comandante do exército de Rannavar, que é absorvido por Ajna por engano, e a ajuda a localizar seu líder com intenções não tão amigáveis à personagem principal. O jogo conta com mais de 20 personagens jogáveis, cada um com personalidades, características e habilidades diferentes, proporcionando sempre um elemento novo ao longo da aventura.

A história do jogo é bem linear, apresentando um roteiro cheio de reviravoltas, mas sem espaço para que o jogador influencie no caminhar dos eventos. No entanto, considerando que a aventura é repleta de desafios e bastante ação, não há motivos para reclamar da proposta.

Indivisible faz o 2.5D do jeito certo

Como um bom Metroidvania, os mapas possuem um caminho principal, mas também abrem margem para o jogador explorar mais dos cenários e procurar por colecionáveis e inimigos mais desafiadores. Também, a estética fenomenal e gameplay em 2,5D dão vida ao mundo deslumbrante de Indivisible, e o nível de detalhes serve para estabelecer a qualidade artística dos desenvolvedores, conforme já apresentado em Skullgirls.

Os designs dos personagens, cenários e inimigos remetem a diferentes culturas, dando ainda mais vida ao jogo e potencializando a variedade de conteúdo. A experiência final proporcionada ao jogador é de nunca saber qual será o próximo aliado ou inimigo, ter que reaprender as características e padrões dos mesmos, e sempre ficar surpreso ao encontrar novos elementos pelos cenários.

As mais diversas paisagens estão presentes na aventura

Também, a trilha sonora é composta por Hiroki Kikuta, conhecido por seu trabalho em Secret of Mana, trazendo uma ambientação fantástica com trilhas que agregam ainda mais sentimento aos cenários, e dão ao jogador um sentimento de aventura, imergindo-o ainda mais nas diversas localidades deste mundo fantástico.

RPG, Ação e Plataforma em um só pacote

Em relação à jogabilidade, Indivisible oferece uma proposta única. Fora de combate, o jogador deve controlar Ajna pelos cenários ao estilo de um jogo clássico de plataforma: Esquivando de armadilhas, utilizando suas habilidades para atravessar obstáculos em seu caminho e planejando cada passo e pulo, pois os desafios de plataforma vão aumentando conforme a história avança.

Raciocínio e lógica são fundamentais para atravessar os cenários

Já quando o combate inicia, Indivisible apresenta seu sistema de batalha em turnos muito estratégico, complexo e que exige bastante maestria para que consiga avançar no jogo.

O jogador pode selecionar até quatro personagens para batalhar, dentre os mais de vinte personagens disponíveis no jogo, e cada um possui um conjunto de habilidades específico. Existem personagens curandeiros, outros que atacam à distância, os que atacam corpo a corpo, os que possuem mais vida, permitindo sofrer mais dano, etc. Cada personagem possui características únicas, que permitem ao jogador uma gigantesca versatilidade em seu grupo.

Personagens únicos com habilidades ainda mais únicas

Porém, o arcaico combate em turnos é remodelado para trazer mais ação ao jogo. Cada personagem é atribuído a um dos quatro botões de ação  do controle, conforme possível selecionar na tela de edição de time. O jogador pode atacar o inimigo com cada um dos personagens simultaneamente, ou escolher o momento certo para atacar com cada personagem, ao pressionar o botão definido a ele.

Também, existem variantes de ataque que são ativados ao atacar pressionando para cima, para baixo ou o botão de especial, adicionando ainda mais complexidade ao combate. Caso o jogador não esteja atacando, o inimigo pode investir contra o jogador, e é possível defender dos ataques pressionando o botão referente ao personagem alvejado no momento que o ataque toca o mesmo, tornando o combate extremamente dinâmico, porém, difícil de se dominar.

Super Sayajin Ajna aprova!

Um planeta, diversas culturas

Diferentemente de diversos exemplos negativos de Crowdfunding que prometem zilhões de conteúdos e entregam um produto final raso, Indivisible conta uma história, jogabilidade e ambientação única. Apresentando personagens caricatos, combate bem variado, complexo e repleto de ação, trilha sonora fenomenal e cenários ainda mais espetaculares, a Lab Zero Games mostrou que não é uma empresa de apenas um sucesso, mas que conseguem trazer experiências inovadoras ao mercado.

Indivisible

Visual, ambientação e gráficos - 10
Jogabilidade - 9.5
Diversão - 9
Áudio e trilha-sonora - 9

9.4

Não deixe passar!

Indivisible é uma experiência sem igual tanto em gráficos, história e jogabilidade! Trazendo o melhor de todos os mundos, é indispensável na biblioteca dos fãs de RPG e Plataforma!

User Rating: Be the first one !

Mostrar mais

Nicolas Togashi

Graduado em desenvolvimento de jogos e aficionado por essa mídia, perde mais tempo jogando do que efetivamente utilizando a graduação para alguma coisa. Ama RPGs, e se esforça para ser um bom aliado nos jogos online.
Botão Voltar ao topo
Fechar