Análise: Need for Speed Heat é bom de verdade

Depois de muitos tropeços, franquia volta a ser interessante

Need for Speed é uma das franquia mais antigas e famosa de corrida que estão no mercado. Infelizmente na atual geração, ela tem recebido tropeço atrás de tropeço. Mas agora com o fim da geração, a equipe Ghost finalmente acertou em cheio e podemos falar que Need for Speed Heat é sim um bom jogo.

Confiram abaixo nossa análise do jogo que volta a divertir e agradar a maioria.

Mais uma história de ação hollywoodiana

Certamente você não irá jogar Need for Speed Heat esperando uma boa história e grande atuação. De forma geral teremos pessoas sedentas por velocidade e uma polícia corrupta atrás desses corredores para acabar com essa “festa” nas ruas.

Durante o jogo você escolherá um avatar que poderá ser uma mulher ou um homem e irá procurar Lucas, um ex corredor que agora é somente dono de oficina e corre legalmente. Logo em seguida encontrará sua irmã, Ana, que gosta de correr a noite em corridas ilegais.

Enquanto esses irmãos irão te colocar nas pistas de corridas, a polícia estará sedenta para prender esses corredores. Eles sempre chegarão rapidamente e com muita ferocidade para te derrubar e prender. Eles serão comandados pelo Tenente Mercer que não medirá esforços.

Ao longo da jornada você será introduzido a diversos personagens que irão evoluir a história e te colocar em novas provas e desafios.

Ou seja, podem esperar uma história bem no esquema enlatado americano com muita velocidade e ação. E enquanto a dublagem está boa, os personagens não são os mais inspirados e alguns tem a animação um tanto dura. Como não é o foco, não esperem nada demais.

Uma boa jogabilidade e um mapa gigante

Sendo muito honesto, a primeira impressão de Need for Speed Heat é péssima! Após escolher um dos poucos carros disponíveis, você deverá sair com ele para ganhar algumas corridas e fazer seu nome. As primeiras corridas foram absolutamente lamentáveis e parece que está tentando manobrar um tanque de guerra. Naquele momento eu temi pela minha vida.

Porém, após algumas tunagens e até trocar de carro, eu já conseguia me divertir e muito nas corridas e se tornava bem agradável. Claro que existe o tempo de adaptação e em especial com o drift que é estranho inicialmente. Após isso, vem a diversão.

Sobre as corridas o jogo tem dois estilos, a parte da manhã e da noite. De manhã você deverá correr em corridas legais que o Lucas te arrumará e ganhará seu rico dinheiro. Já a noite, Ana te levará para correr por reputação e poder aumentar seu RP e consequentemente seu level.

De forma resumida o jogo segue o seguinte ciclo: Ganha dinheiro em corrida legais de manhã podendo tunar seu carro. A noite participará de corrida ilegais ganhando RP’s (ponto de respeito). Com o termino da noite, você pode aumentar seu nível. Com um novo nível, novos carros e peças ficam desbloqueados para comprar. Volta a corrida de manhã para comprar as peças e melhorar o carro.

Esse ciclo acaba sendo muito viciante, em especial, pois o mundo de Need for Speed Heat está cheio de coisa para fazer como quebrar limites de velocidade, quebrar os outdoors da polícia, quebrar flamingos, desafios de drift, pulo a distância e muito mais. Você nunca ficará sem o que fazer no jogo.

Belos gráficos

Como mencionei acima, o mapa de Need for Speed Heat é muito grande e cheio de coisas para fazer. A cidade de Palm City é dividida em 18 bairros e cada um tem sua temática. Você encontrará diversos tipos de ambientes como uma cidade grande, floresta, praia, parques, manguezal e até uma estação de foguete da NASA!

Com tantos ambientes as corridas são sempre muito variadas e bonitas. Sempre será possível pegar inúmeras pistas para a corrida, incluindo pulos por trechos não esperados. E claro, tudo isso com gráficos muito legais. Enquanto na parte de dia temos o sol iluminando tudo, a noite tudo é cheio de luzes neon e luzes dos prédiso que iluminam o ambiente.

Não somente a iluminação e ambientes são interessantes, como temos a chuva no jogo. Mas é muita chuva caindo toda hora praticamente. Embora isso não afete a jogabilidade, ela da um excelente efeito de iluminação para o jogo. Tudo fica muito lindo e legal. Porém, vale a pena dizer que os gráficos estão longe de perfeitos.

Como o foco do jogo é na velocidade, iluminação de dia e noturna, faltou um polimento em certos detalhes. É possível ver um blur (uma sombra) no carro ao fazer uma curva. Ou então, coisas não tão importantes como uma moita simplesmente desaparecer magicamente no meio da tela. No geral ele é sim um jogo agradável visualmente, mas faltou um polimento.

Aquela tunagem que todos queriam e muitos carros

E o que é um Need for Speed sem tunagem e muitos carros para comprar? Bem, em Need for Speed Heat temos muitas opções de tunagem, quase infinitas eu diria.

A primeira opção será a de dar mais potência para seu carro com melhorias no motor, suspensão, caixa de câmbio e por ai vai. Uma coisa legal é que existem estilos de direção como pista, corrida, drift e off road. Cada um dos estilos serve para tipos de desafios e será legal ter de 2 a 3 carros principais para atacar essas possibilidades.

Além de poder melhorar seu carro na dirigibilidade, será possível tuná-lo na parte visual. Mudar todas as partes do carro, pintar todas as partes, colocar diversos stickers, luz de neon e muito mais. Tipo de tinta, tipo de brilho e por ai vai.

Vale dizer que o jogo traz diversas marcas famosas de carro como Nissan, Mazda, tem o retorno da Ferrari, Lotus, Ford, Volkswagen (incluindo o bom e velho fusquinha) e muito mais. A seleção de carros é muito boa e particularmente só senti falta dos carros da Toyota. Afinal preciso do meu Trueno para fazer as provas de drift!

Mas não pense que acabou, o jogo traz duas coisas bem interessantes. A primeira é a possibilidade de mudar de motor. Ao trocar de motor, você tem que re-comprar todos os componentes, porém, ele terá muito mais potência do que antes e poderá ser tunado ainda mais.

E além disso, existem boas recompensas para completar os desafios e fazer as inúmeras atividades presentes no mapa que mencionei acima. Após concluir os desafios de cada região, você ganhará itens exclusivos para tunar seu carro, seja na performance ou na parte visual. Inclusive, é possível ganhar novos carros também.

Perseguições policiais e o transito em Need for Speed Heat

Para fechar a análise de Need for Speed Heat, vale a pena falar de dois pontos interessantes. A perseguição policial noturna assim como o transito presente no jogo.

Com relação aos policiais, é tudo muito bem feito. Eles podem aparecer do nada, seja explorando o mapa ou seja correndo. E caberá a você escapar deles, o que está longe de ser fácil. Caso consiga escapar, será possível ir para uma base e depositar seus RP’s que serão multiplicados pelo “Heat” da perseguição.

Sempre temos momentos de muita tenção, pois seu carro não poderá quebrar e ser preso. Caso perca, perderá seu suado RP. E além disso, algumas corridas estão disponíveis somente com o nível de Heat alto.

Por outro lado, temos o maldito transito no jogo. Eu entendo a necessidade de ter carros no meio do jogo para atrapalhar a todos, mas muitas vezes, meu deus do céu… Eles dão a impressão que aparecem do nada só para te atrapalhar. Ou então simplesmente ficam parados no meio da rua sem fazer sentido. Acredito que faltou um polimento nessa parte. Enquanto o transito deveria ser algo orgânico, ele parece muito automatizado sem sentido diversas vezes.

Need for Speed Heat surpreende e diverte

Visual, ambientação e gráficos - 8.3
Jogabilidade - 7.5
Diversão - 8.5
Áudio e trilha-sonora - 8

8.1

Amantes de corrida arcade irão se divertir

Need for Speed Heat é incrivelmente um bom jogo. Após tanto tropeços nessa geração, a Ghost finalmente acertou em seu desenvolvimento e trouxe um jogo com muito conteúdo e sem nenhum tipo de microtransação. Os amantes da velocidade poderão se divertir por dezenas de horas ao explorar todo o mapa cheio de atividades e tunando cada um dos inúmeros carros.

User Rating: 4.3 ( 1 votes)

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo
Fechar