Análise: Headset Sharkoon Skiller SGH3

Conforto topo de linha e qualidade sonora que surpreende pelo preço

Lembra da Sharkoon? Publicamos uma análise de seu DAC (“amplificador”) para fones de ouvido que prometia dar uma sobrevida para fones ruins e bons. O pequenino cumpre o que promete e fez acender a marca Sharkoon em nosso radar, passando credibilidade e despertando curiosidade em seus produtos.

Dessa vez o que aterrissou em nossa redação foi o Sharkoon Skiller SGH3, um fone de preço médio (na casa dos 250 reais), com uma bela caixa e visual stealth, para aqueles que fogem de coisas com muita cara gamer ou de RGBs. E você, nesta análise, vai descobrir tudo que o Sharkoon Skiller SGH3 pode te oferecer. Será que ele vai ser seu próximo fone?

CONSTRUÇÃO E CONFORTO

Metal, plástico e courino. Basicamente o Sharkoon Skiller SGH3 é composto por estes 3 materiais. Metal em todo o seu arco de apoio, inclusive no arco ajustável. Courino, bastante courino, em suas almofadas e no arco ajustável. Almofadas estas extremamente confortáveis, mas isso fica mais para frente. Plástico ao redor dos lados, onde se abrigam os drivers. Mesmo com bastante metal, o que não é muito comum em fones de baixo custo, o fone se mantém bem leve.

Em termos de design o fone é bem sóbrio. Quase em sua totalidade preto fosco, com detalhes em preto brilhoso apenas no logo “S” que fica em cara lado das caixas acústicas. Este design torna o fone bem versátil, pois você pode usar em qualquer lugar sem chamar muita atenção como outros fones do segmento.

Na parte de cabos temos uma bizarrice à nível Frankenstein. Todos são trançados, o que é excelente e obrigatório hoje em dia. Agora vem a bizarrice! Soldado no fone temos um cabo curto com saída P3 (microfone e áudio juntos). Além disso o fone acompanha mais dois acessórios, um adaptador de P3 para P2 para poder encaixar-se no outro acessório, uma placa de som com USB na outra ponta. Quando você encaixa tudo parece que você comprou um fone da China e precisou adaptá-lo por completo para fazer funcionar. Muito estranho, mas confesso que funciona.

MICROFONE

Assim como no último fone da Dazz que analisamos, o Sharkoon Skiller SGH3 possuí microfone destacável e maleável, além de contar com espuminha de fábrica. Essa característica me levou a crer que teríamos uma qualidade similar ao Dazz, ou seja, bem abaixo do que pode ser considerado bom. Porém o resultado me surpreendeu.

O microfone do Sharkoon Skiller SGH3 está muito acima da média. Na faixa de preço que ele se encontra nunca vi nada similar, mas o seu desempenho faz fones de 500 reais ou mais parecerem fones de entrada. É realmente surpreendente a qualidade que a Sharkoon conseguiu empregar neste microfone, algo que pela lógica de mercado seria deixado de lado em fones de preço similar.

QUALIDADE SONORA

Balanceado. Se fosse resumir a qualidade sonora do Sharkoon Skiller SGH3 seria balanceado. Temos graves respeitosos, sem exageros. Temos uma sincronia bem agradável entre graves, médios e agudos. Em um mercado onde fones de entrada tentam apelar para os graves, a Sharkoon vai no caminho inverso, disponibilizando para seus usuários uma melhor implementação sonora.

Esse balanceamento faz com que eu tenho uma opinião para jogos e outra para música. O meu gosto musical tende a ser com graves bem encorpados, até mesmo exagerado as vezes. Logo, para meu estilo, o Sharkoon Skiller SGH3 não é o fone que eu usaria em uma viagem de 10 horas no avião para ouvir músicas. Mas ele faz um excelente trabalho. Já para games o desempenho é excelente, excelente mesmo. Partidas de Apex e CS:GO mostraram todo o potencial deste fone, com áudio extremamente limpo, bem direcionado e claro. Era fácil descobrir de onde vinha o inimigo.

Lembra no começo da análise que eu citei a confusão de cabos extras e placa USB que acompanham o fone? Então, a plaquinha de som USB, à primeira vista, te faz crer que é enganação, porcaria. Mas não, a diferença em usar com e sem é perceptível. Com ela você ganha botões úteis como o volume “+” e “-“, silenciar o microfone e o botão de equalizador, que traz algumas opções pré-definidas. A parte de pré definições do equalizador é meio descartável, todas as opções foram desconfortáveis de se usar. Mas, pode ser que alguma combine com o seu estilo. Talvez esse seja o único ponto verdadeiramente negativo em meu uso, o que é surpreendente para um fone na faixa dos 250 reais.

CONCLUSÃO

Como sempre, conclusão baseada no preço. Sendo assim, o Sharkoon Skiller SGH3 é um ponto BEM fora da curva do mercado brasileiro. Excelente construção, conforto, qualidade de áudio e microfone, aliados à um design bacana, cabos trançados e uma caixa bem construída que incrementa a experiência de unboxing. Tudo isso custando, na data de publicação desta análise, R$255,90. Sem pestanejar, se este é o seu budget, vá em frente e opte pelo Sharkoon Skiller SGH3. Um fone que mesmo de baixo custo entrega uma qualidade no geral de fones bem, bem mais caros. Em alguns quesitos ultrapassa-os facilmente. Por todo o contexto a recomendação não poderia ser outra, diamante!

NÍVEL DE RECOMENDAÇÃO

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Rei dos FPS e o Toretto dos jogos de corrida no site. O nerd/entusiasta do PC Master Race, responsável por análise de periféricos e hardware. Quebra um galho de streamer lá na twitch.tv/ultimaficha.
Botão Voltar ao topo