Preview: Wasteland 3 vem para impressionar os amantes de RPG

Confira o gameplay completo do jogo em nosso canal

Wasteland 3 foi oficialmente revelado na E3 2019 (durante a conferencia da Microsoft) e ele seria o terceiro jogo da franquia de RPG, porém, trazendo um novo tipo de cenário com muito gelo e neve. Embora o lançamento de Wasteland 3 para Xbox One (incluso no Game Pass) PlayStation 4 e PC (Windows, Mac e Linux) seja em 19 de maio de 2020, nós já tivemos acesso a sua beta e temos uma boa ideia de como o game se portará.

Vale lembrar que o jogo e contará com legendas em PT-BR, porém, nesta beta ele somente possuía o idioma inglês.

Primeira cidade de Wasteland 3, Colorado Springs

Performance do Beta e Bugs

Como sempre gosto de enfatizar em previews, estamos falando de um jogo que não está em sua versão final. Ou seja, é esperado ver problemas de performance, bugs e mais. Logicamente o ideal é não ter esse tipo de problema, mas eles podem acontecer.

Tendo isso em mente, vamos falar do que pode melhorar. Com relação a performance ela deixou bastante a desejar e isso me causou um pouco de estranheza. Meu PC estava bem acima do recomendado, como poderão ver abaixo, e acho que nunca atingi os tão buscados 60 FPS. O jogo ficava constantemente flutuando entre 25 e 45 FPS raramente atingindo 50 ou mais.

Recomendado Usado
Processador Intel Core i5-4440 Intel Core i7-8750
Memória 8 GB RAM 16 GB RAM
Placa Gráfica GeForce GTX 970 GeForce GTX 1060

 

Claro, estamos falando de um jogo de RPG, ação tática e escolhas de diálogo, isso de fato não influencia muito. Mas mesmo assim, muitas vezes as animações davam uma grande engasgada. Isso certamente tem que ser visto antes do lançamento, com urgência!

Outra coisa que pude reparar é que, embora Wasteland 3 seja lindo demais e rico em detalhes, a modelagem dos personagens está fraca e destoa do restante do jogo. Por ser uma beta, parece que são modelos provisórios e o final ainda será colocado. E de novo, é um RPG tático e naturalmente não veremos os personagens com tanta riqueza –  não atrapalha a diversão.

Por fim, a beta possui bugs. Muitos já são conhecidos e a equipe já está cuidando deles, mas vi alguns chatos. Como por exemplo: um deles foi a missão do médico onde tinha que ajudar feridos. Eu tinha todos os itens para fechar a missão, falava com o médico e simplesmente nada acontecia.

Esses foram os problemas mais grosseiros que eu vi e é basicamente uma carta de atenção para os desenvolvedores para que possam melhorar ainda mais o jogo. Outro ponto que pode ser levado em consideração é a trilha-sonora fraca e esquecível do jogo. Falta sentimento e alguns tons mais fortes para acompanhar os acontecimentos durante a jogatina.

Só gente boa no jogo

Historia clássica de futuro pós-apocalíptico

A tradução literal de Wasteland é terreno baldio, uma terra deserta e sem cuidados. Por esse ser o terceiro jogo da franquia, vemos já um povoado que se adaptou a essa nova realidade e temos uma mistura entre ideias futuristas com a utilização do que sobrou de tempos passados.

Em Wasteland 3, nós estaremos em Colorado, uma região gélida com neve constante. Assim como é de se esperar em um roteiro pós-apocalíptico, o mundo se dividiu em facções e em algumas cidades já são funcionais. Nessa demo você será um Ranger (guarda) que terá sua caravana atacada pelos malditos Dorseys (o grupo de vilões no jogo).

Após uma luta sangrenta, somente você e mais alguns Rangers sobreviveram. Por sorte conseguem chegar a cidade de Colorado Springs, uma cidade controlada pelo grande Patriarca (não confundir com o grande patriarca de Dragon ball Z).

O Grande Patriarca

Em busca de vingança você resolve ajudar as pessoas do local, principalmente os Marshalls (os xerifes). O interessante do que pudemos ver na beta, é que existe muita riqueza nos diálogos assim como um excelente voice acting. O mundo é extremamente vivo e rico em detalhes. Pessoas sempre estarão sofrendo por um possível ataque, discutindo por algo ou tendo que aceitar alguma lei desse novo mundo.

É realmente incrível o que foi feito no jogo, em sua história e nos personagens.

RPG de Combate Tático

Wasteland 3 tem em seu gameplay o uso do, bom e velho, Tatics –  que até hoje funciona muito bem. Será possível posicionar seus personagens atrás de diversas coberturas (parciais ou totais). Cada personagem poderá equipar duas armas, ter dois itens a serem usados (buff, debuff, heal, ataque) e cada uma das ações gastará seus AP (pontos de ação).

No fim de cada turno será possível terminar com seu AP zerado ou utilizar os restantes para uma emboscada, melhorar sua defesa, ou guardá-los para a próxima rodada.

Como o jogo é rico de detalhes, cada arma tem seu próprio efeito, muitas partes do cenários poderão ser interativas (começar com algum tipo de vantagem ou atirar em um tanque de combustível por exemplo) e mais. Ou seja, as lutas sempre serão muito estratégicas podendo ter diversos tipos de abordagem.

E mais uma vez, fica o destaque para a ambientação e os muitos detalhes da luta. Os cenários são ricos e muitas habilidades dão um belo em sua tela.

RPG raiz

A parte de combate em Wasteland 3 é apenas uma fração do jogo. Nele você irá desenvolver uma aventura bem focada nos RPG’s clássicos.

Acima eu elogiei os personagens e a dublagem deles. Tudo com altíssima qualidade. E isso se reverte na sua história que será única e cheia de escolhas. Muitas vezes você irá se deparar com opções que irão influenciar diretamente tanto sua equipe como seu mundo. Quer ajudar um jovem que está recebendo uma punição pesada demais? Fará justiça com suas próprias mãos? Irá ou não aceitar algum aliado?

Todas essas escolhas irão influenciar em situações futuras, assim como irão abrir ou não novas linhas de histórias, personagens e etc. Adicionalmente outra coisa que irá influenciar a história e a solução de conflitos é que habilidade você terá ou não terá. Dependendo de como montar seu personagem novas soluções e ações aparecerão.

A primeira impressão foi ótima em Wasteland 3

De forma resumida essa beta superou minhas expectativas e Wasteland 3 entrou de vez em nosso radar. Tanto sua parte mecânica, escolhas que realmente fazem a diferença, combate e visuais são incríveis. Adicione isso a personagens carismáticos e uma ótima dublagem e com certeza estaremos próximos de um excelente jogo.

Lógico, a equipe de desenvolvimento tem que consertar os bugs presentes no jogo, como descrevemos acima e fico na esperança de uma melhora na trilha do game. Agora nos resta reportar as possíveis melhorias e esperar pela versão final em sua melhor forma… afinal, para o que servem os betas?

 

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo
Fechar