Análise: Fireflies é um game BR que tem base, mas tropeça

Problemas no gameplay incomodam e atrapalham

Fireflies é um game de plataforma brasileiro criado pela Smart Studio de Santo André/SP. Com um aspecto sombrio que relembra clássicos como Limbo e até mesmo Inside, o jogo traz uma interessante ambientação que pode ser bem explorada nas sequência. Veja nossa análise (review) de Fireflies abaixo.

Voxel

O game Fireflies é um game em arte voxel. De forma resumida, voxel-art é o nome dado a uma espécie de arte pixel em três dimensões. Isso é muito interessante, pois além de dar personalidade ao game (poucos jogos usam), traz possibilidades visuais diversas.

Em muitos momentos sentimentos a nostalgia do pixel-art, que já é quase um clichê em jogos independentes, mas sempre que possível somos lembrados da profundidade do 3D. Essa mescla dá um dinamismo e até mesmo um sentido de imersão, quando nos aproximamos e nos distanciamos dos objetos e personagens do game.

Sombras

Fireflies traz a história de um garoto mergulhando na imensidão das trevas e traumas da vida. Tudo isso é devidamente representado por uma ambientação bem sombria e caprichada. O design das fases talvez seja o que melhor pude apreciar no jogo, apesar de não sustentar muita regularidade nesse sentido.

Leia Mais

Você deve explorar a escuridão, resolver puzzles, evitar os inimigos e ajudar a criança a encontrar luz. Essas luzes são os vaga-lumes (fireflies) que vão te ajudar a abrir caminhos, levitar obstáculos e iluminar a vida. Como dito, o game não conta com um sistema de combate direto, assim o foco é esquiva e ativar mecanismos que possam combatê-los.

Eu  gostei da ideia de termos que fugir e a ausência do combate é interessante, porém uma coisa atrapalhou o que no papel havia sido uma boa ideia: o gameplay.

Infelizmente, para um jogo de plataforma e sem uma história tão densa, um gameplay extremamente polido é de suma importância. Necessidade de reapertar sempre o botão de correr, aliado a comando de pulo atrapalhados, condena em muito a dinâmica da movimentação. Alguns inimigos também são frustrantes por ter mecânicas um pouco quebradas.

Outro fator importante para uma jogatina engajadora é ter respostas. O game acaba assumindo um único tom, sem altos ou baixos, pois o jogo não te dá respostas envolves quando você morre, ou quando ativa determinadas ações, ou aperta menus. A falta de animação do personagem e alguns efeitos visuais poderiam dar cabo disso.

Veredito

A história é suficientemente interessante para um game de plataforma e as dicas ao longo do caminho foram uma ótima escolha de desenvolvimento. Nesse tipo de abordagem, quanto menos, melhor. Já o desenvolver do jogo, tropeça em questão de ritmo, mas muito mais por causa do gameplay e de algumas mecânicas dos inimigos do que o avanço da trama e ambiente em si. Ponto fraco é a escolha da equipe por um único idioma: inglês.

Fireflies tem uma base consistente no que se propõe. Talvez haja um terreno fértil pra uma expansão ou para um próximo game do estúdio. Acredito que com mais recursos, seja dinheiro e/ou tempo, algumas mecânicas podem ser aprimoradas e melhoradas. Já outros pontos de game design podem vir conforme a experiência da equipe no desenvolvimento. Além disso, apesar de pessoalmente fazer questão de apoiar games nacionais, pelo que entrega Fireflies está um pouco caro comparado ao resto do mercado.

Vale a pena ficar de olho no Smart Studio daqui para frente, mais um grupo brasileiro que promete.

Um jogo interessante

Visual, ambientação e gráficos - 7
Jogabilidade - 5
Diversão - 6
Áudio e trilha-sonora - 6

6

Na média

Fireflies tem uma base consistente no que se propõe. Talvez haja um terreno fértil pra uma expansão ou para um próximo game do estúdio.

User Rating: Be the first one !

Ricardo Carvalho

Gosto muito de escrever, desenhar, de me frustrar com política, de filosofar no barzinho, assistir filmes e defender que games são arte! Me segue no twitter que eu sigo de volta, beleza? twitter.com/perfilricardoc Beijos e boas jogatinas!
Botão Voltar ao topo
Fechar