Análise: Pong Quest surpreende e diverte

Atari revive seu clássico com nova roupagem

A Atari mal anunciou seu novo jogo Pong Quest e ele já está sendo lançado para PC via Steam (as versões de console serão lançadas posteriormente).

A ideia nesse jogo é de reviver o clássico Pong com uma nova roupagem e colocando elementos de RPG. Para quem não sabe, Pong foi o primeiro jogo lucrativo da história e foi criado no início da década de 70. Na época as pessoas comparavam um console (Magnavox Odyssey) somente para jogar Pong em suas TVs preto e branco.

Como foi que a Atari reviveu esse clássico? Confira abaixo em nossa análise.

Tudo pelo rei

A história de Pong Quest é extremamente simples. Você é um paddle (a pá que rebate a bola) que foi testado pelo Rei Pong. Após passar pelo testo caberá a você embarcar em uma aventura.

O Rei está preocupado que seu povo não está mais apoiando ele e tudo se deve a PORTA ASSUSTADORA! Ele acredita que o que quer que tenha atrás dessa porta está fazendo com que seu povo se volte contra ele. Para tal, você deverá explorar 4 dungeons temáticos e enfrentar seus chefões para conseguir as esferas que finalmente abrirão a porta assustadora.

Vale dizer que a história é bem leve e os diálogos são simples. É engraçado ver como o Rei é avoado e de certa forma é incompetente. Assim como os diálogos, os gráficos do jogo são bem simples como poderão ver nas imagens e no gameplay. No meio de tanta simplicidade, a trilha sonora consegue ser divertida e acaba se destacando.

O gameplay de Pong Quest

Agora chegou a hora de falar do mais importante de Pong Quest, seu gameplay. E pode se preparar, pois ele é extremamente desafiante. Cada novo dungeon terá uma temática, assim como cada inimigo. E cada inimigo terá bolas especiais. Vou falar por partes para tentar explicar as mecânicas.

O gameplay de Pong clássico é simples. Temos um Paddle de cada lado e uma bola no meio. Caso você não consiga devolver a bola, irá sofrer um gol. No caso de Pong Quest você irá perder um pouco de vida. Além disso, cada bola rebatida tira 1 de vida de você. Ou seja, caso tenha 10 de vida e rebata 10 vezes, ficará zerado.

Como falei acima, cada dungeon e cada inimigo tem uma temática, e cada um desses inimigos tem bolas especiais. É ai que o jogo se diferencia e muito. Você poderá entrar em cada batalha com algumas bolas especiais equipadas. Uma que acelera a velocidade, a outra que faz desaparecer a bola, uma que recupera vida, outra que dá curva à trajetória da bola, outra que tira mais vida do inimigo e por ai vai.

Ao longo da partida você poderá e deverá escolher e utilizar essas bolas especiais. Todas elas são consumíveis e deverá sempre utilizar de estratégia para como usá-las. Mas os efeitos não são somente nas bolas, mas também no campo. Por exemplo, uma das bolas faz com que o campo se encha de cogumelos fazendo referencia ao jogo Centipide. Isso irá mudar o trajeto da bola inúmeras vezes fazendo com que seja imprevisível saber aonde irá.

Ou seja, será necessário prestar muita atenção na bola, no movimento do seu inimigo, no que pode cair no campo e ainda utilizar suas bolas do jeito correto. Após zerar a vida do inimigo, basta marcar um “gol” para finalizá-lo.

Além do gameplay base

Quase todo o jogo se resume a invadir os dungeons e chegar ao chefão, mas existe mais no jogo além disso. Por ser um RPG, é possível aumentar de nível. A cada novo nível você poderá escolher entre 3 upgrades. Mais vida? Mais bolas? Tomar menos dano? Dar mais dano? E essas escolhas são variáveis. Elas raramente se repetirão entre um nível e outro.

Em cada novo nível do Dungeon será possível encontrar mini missões. São coisas simples como poder explorar cada sala, chegar a saída sem batalhar ou então limpar um caminho para a princesa. Caso cumpra um desses desafios, ganhará algum tipo de bônus.

Outra coisa que pode fazer são os mini games, que também estarão espalhados pelo mapa. Temos jogo da memória, um jogo que imita o clássico Genius, resolver um labirinto e mais. Novamente, tudo muito simples e intuitivo.

E para fechar, é possível customizar massivamente seu personagem. Além de pegar as muitas bolas especiais, será possível pegar cores e fantasias para deixar o Paddle com sua cara. Logicamente também será possível jogar tanto Pong clássico como essa nova versão com seus amigos, seja em casa (depois da quarentena) ou pela internet.

Pong Quest é uma boa surpresa

Visual, ambientação e gráficos - 6
Jogabilidade - 9
Diversão - 8.5
Áudio e trilha-sonora - 7

7.6

Bom

Pong Quest é um jogo inesperado que me agradou muito. Embora seja um jogo simples em seus visuais e em sua sonoplastia, ele consegue inserir com sucesso elementos de RPG e transformar esse clássico da década de 70 em um jogo atualizado e desafiador.

User Rating: Be the first one !

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo