Análise: Fury Unleashed mistura quadrinhos e roguelite

Jogo se inspira em quadrinhos e roguelites de sucesso

Sim! Temos mais um roguelike indie! O novo gênero queridinho das desenvolvedoras Indie foi a escolha da Awesome Games Studio. Fury Unleashed é um jogo de ação com movimentação lateral (side-scrolling – tipo Mario) onde você deve passar por diferentes áreas estilo dungeon até chegar no final. Você irá atacar com armas brancas, atirar com armas variadas, esquivar, ter desafios de plataforma e até mesmo, o velho, pulo na cabeça dos inimigos está presente. O jogo possui fortes elementos roguelite, o que significa que até passar de maneira “fácil” você deverá morrer bastante para que seu personagem evolua.

Fury Unleashed e os quadrinhos

Não darei spoilers, mas diferentemente do que eu imaginava, Fury Unleashed não é sobre o protagonista Fury, mas sim sobre seu criador e seus problemas profissionais. A história é contada através de interações com o Sr. Doodle, aparentemente a pessoa que está contando a história. Essas interações geralmente levam a interações curtas em preto e branco – salas esboçadas a lápis que apresentam conversas, críticas negativas e outras interações com o misterioso criador. Aqueles que gostam de uma motivação para seus jogos devem encontrar detalhes da história através de páginas, segredos e inimigos.

Aos que estão aqui apenas pelo desafio, a parte do enredo não ficará no seu caminho e rapidamente você poderá voltar a sua jogatina. Mas não deixe de contemplar a arte com aparência de esboço e vezes finalizada. Para os amantes dos quadrinhos, há muitas coisas legais para se ver.

Como jogar Fury Unleashed

O jogo começará te mostrando os comandos básicos como: Atirar, correr, pulo duplo, granada, dash (esquiva) e andar. Apesar de parecer simples, os cenários mais avançados irão exigir comandos sólidos e preciso por parte do jogador. Então sempre tente colocar todos as possibilidades na sua gameplay.

Você pode levar algum tempo para se acostumar com uma única coisa, que é pular e atirar, graças ao tiro no analógico e o pulo no X (usando o PS4 como exemplo), problema que sempre temos em jogos de primeira e que muitos optam por alterar o pulo para outro botão.

Além disso, o game conta com um sistema de combos que são primordiais para você passar dos cenários mais para o final do jogo. Isso por conta do sistema de skills. Uma delas, por exemplo, aumenta a chance de cair orbs de vida quando você está acima de número X de combos. Isso faz parte do sistema de roguelite que falaremos a seguir. Combos mais altos significam que os jogadores serão recompensados ​​com mais tinta, a moeda do jogo usada para para fazer upgrades em Fury e liberar seu verdadeiro potencial. De acordo com o Awesome Games Studio, Fury Unleashed pode ser concluído sem interromper o combo (louco né?!). Porém, eu nunca passei de uns 50/60  sem ter meu combo arruinado por algum inimigo – este não é um jogo fácil!

Roguelite descomplicado e toques de RPG

Você irá morrer bastante em Fury Unleashed. Tenha isso em mente, faz parte do jogo e ele foi desenhado para essa quantidade de mortes. A cada inimigo abatido, você irá conseguir mais tinta. Existem dois tipos de tinta:

  • A escura, que servirá para fazer upgrades em Fury após você morrer;
  • A dourada, que é o seu dinheiro durante sua “run”.
A primeira Run é tão difícil de primeira, que o jogo te obriga a gastar sua primeira quantia de tintas em mais vida. A partir daí, você pode aumentar duração antes que um combo seja resetado, a capacidade da granada, um atordoamento é adicionado ao pulo com stomp e etc.
A árvore de Skills de Fury Unleashed é inicialmente bastante recompensadora, mas também pode se tornar proibitiva em seus custos. Depois de um ponto, a árvore se concentra no aumento de dano e chance de críticos, vida máxima, velocidade de recarga e granadas. Em nenhum lugar nesta árvore há algo focado no aumento da velocidade base de armas ou no aumento do dano base. Você pode mudar as skill a vontade em cada run, o que deixa a tentativa e erro ainda mais divertida – até achar o estilo ideal para você.
Items para serem equipados serão encontrados em baús, após passar por algum desafio proposto pelo jogo ou até mesmo comprando nas lojas espalhadas pelos cenários. Com isso você irá ficar mais forte para o caminho que for seguir. Além disso você poderá até mesmo perder parte da sua vida máxima para conseguir mais tinta negra e etc. Um jogo com o fator replay nas alturas!

Conclusão

Fury Unleashed é, sem dúvidas, uma ótima porta de entrada para o gênero roguelite e um belo teste para aqueles que são mestres no gênero. Não deixe seus gráficos simples enganarem, o jogo tem uma dificuldade super elevada e outras vão sendo desbloqueadas conforme você termina o jogo. A ideia dos quadrinhos é muito interessante e com isso novos inimigos são introduzidos de maneira orgânica. Outra revista, outra Aventura!

Para aqueles que querem um passeio mais tranquilo, o jogo possui um modo fácil (easy) que, mesmo sendo mais tranquilo, traz ainda um belo desafio para os que não estão afim de morrer tantas vezes assim! Outra opção legal é a possibilidade de chamar um amigo para o coop e praticamente transformar o jogo em um run and gun, no melhor estilo Contra. Ou até mesmo parecido com o brasileiro Blazing Chrome.

Essa análise segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

Quer comprar um jogo novo ou usado com desconto? Confira aqui o nosso parceiro Big Boy Games e use o cupom ULTIMAFICHA para ganhar desconto adicional!

Fury Unleashed

Visual, ambientação e gráficos - 7
Jogabilidade - 7
Diversão - 8
Áudio e trilha-sonora - 6.5

7.1

Muito Bom!

Seja para amantes do roguelite ou para novos jogadores, atraídos pela temática em quandrinhos, Fury Unleashed merece sua atenção! O jogo possui uma dificuldade elevada e elementos de RPG e roguelite já conhecido por outros jogos do gênero.

User Rating: Be the first one !

Bruno Degering

Gamer há tanto tempo que usa consoles como referência cronológica para lembranças de sua vida. Amante de Mega Man, Resident Evil e Warcraft. Se gaba por ter zerado Battletoads aos 9 anos mas abandonou Bloodborne com 26.
Botão Voltar ao topo
Fechar