Análise: Xenoblade Chronicles: Definitive Edition

Jogo surpreende com diversas melhorias e novo capítulo

Depois de dez anos do jogo original ter sido lançado, Xenoblade Chronicles: Definitive Edition chega para atualizar esse clássico aos dias de hoje em HD e com diversas melhorias. Essa versão vem recheada de melhorias diferente do port que o jogo recebeu em 2015 para o New 3DS que muitos questionaram se era melhor, igual ou superior a versão de Wii, lançada em 2010.

Confiram abaixo nossa análise de Xenoblade Chronicles: Definitive Edition que é um verdadeiro JRPG e que pode ser comprado na Loja Nintendo no Brasil. Caso queira comprar ele de forma física, confira nosso parceiro Big Boy Games e utilize nosso cupom ULTIMAFICHA para ter acesso a desconto.

Conheça Shulk e seus amigos em HD

A história de Xenoblade Chronicles: Definitive Edition é a mesma do Wii (falarei do capítulo extra abaixo). Na mitologia do jogo temos algo absurdo onde duas entidades gigantescas Bionis e Mechonis batalhavam por eras. Após se acertarem simultaneamente, seus corpos ficaram em estado de animação suspenso e milhares de anos depois, a vida surgiu no corpo dessas duas entidades.

Do lado de Bionis temos a vida orgânica como conhecemos incluindo os humanos (chamados de Homs). Já do lado de Mechonis, temos uma vida mecânica (assim como a franquia Transformers). Obviamente essas duas partes estão sempre em guerra. Por ter uma superioridade física, os Mechons estão ganhando a guerra contra os Homs até que eles descobrem a lendária espada Monado, capaz de fazer um sério dano aos Mechons.

Shulk, o herói do jogo, empunha a espada depois de certo tempo de jogo e cabe a ele descobrir os segredos da misteriosa Monado assim como entrar em uma jornada de vingança contra os Mechons, tendo o Metal Face (cara de metal) como o alvo principal. Toda essa história excepcional é acompanhada de uma trilha sonora magnífica que ficará na sua cabeça por horas.

Ao longo da história você irá se aliar a outros personagens interessantes, saberá mais do passado tanto do mundo, das raças como dos Mechons, de Shulk e da misteriosa Monado que dá a Shulk o poder de ver o futuro. Essa habilidade permite que Shulk sempre saiba para onde ir e que ações tem que tomar para que seus amigos não morram.

Será possível andar por um mundo gigantesco e vasto que é a superfície de Bionis. É interessante frisar que esse é um projeto de 2010 e já era massivo para a época. Com essa edição definitiva, temos gráficos bem atualizados e o mundo está muito bonito. Claro, por nem tudo ter sido refeito, existem algumas texturas desencontradas, assim como alguns NPC’s que destoam dos principais ou então que não tem dedos (é uma mão colada com os dedos desenhados).

Felizmente isso são apenas detalhes. Outras boas notícias que essa versão definitiva traz é que houve uma sensível melhora na HUD do jogo. Agora está muito mais intuitivo equipar seus personagens. Outra novidade é que no mundo, é possível ver a barra de vida de seu grupo. Sim, parece bobeira e ser algo muito simples, mas até então isso não existia e a parte de equipamento era muito bagunçada.

E para quem jogou os clássicos, saiba que a grama finalmente deixou de ser um problema!

Future Connect e suas novidades

Possivelmente o grande chamariz de Xenoblade Chronicles: Definitive Edition, é que ele traz um capítulo adicional ao jogo com cerca de 12 a 20 horas de conteúdo novo. Essa parte se concentra nos eventos um ano após o término da história do jogo base. Shulk e a personagem Melia tentam ir para a capital real no ombro de Bionis e acabam se juntando a Kino e Nene da raça Nopon.

Não vou passar nenhum spoiler aqui, mas o que posso dizer é que ao chegar nesse ambiente eles são atacados por um novo inimigo chamado Fog King (rei do nevoeiro) e terão que entender o que está acontecendo. Não espere uma grande participação dos outros personagens da história original, pois essa nova história é focada em Melia. Kino e Nene acabam servindo como um alívio cômico diversas vezes e sendo sincero, eles não são muito interessantes.

Os visuais seguem a mesma escala da aventura original e é uma boa adição ao jogo, embora não seja tão envolvente. Aqui temos algumas modificações como o fim do sistema da árvore de habilidade e a troca do Chain Attack pelo All Out Attack. Também não será mais possível utilizar o sistema de visão do futuro que Shulk tinha.

Esse All Out Attack acaba sendo uma grande novidade. Nesse novo mapa você terá uma grande missão secundária que será encontrar e ajudar diversos Nopons exploradores. A medida que eles são liberados, se juntarão a você e ao ativar esse ataque eles poderão te dar algum tipo de buff, recuperação de vida ou então atacar o inimigo.

As muitas mecânicas de Xenoblade Chronicles: Definitive Edition

Tirando a parte da história de Future Connect, não tivemos nenhuma mudança na mecânica em Xenoblade Chronicles: Definitive Edition. Então explicarei abaixo como ela funciona já que não é tão usual.

É possível dizer que Xenoblade Chronicles: Definitive Edition é um Action JRPG, ou seja, não tem batalha por turnos, mas sim é focado em ação. Enquanto os seus personagens atacam de forma automática, será possível escolher um das suas muitas habilidades para atacar, ou então ativar a Monado que da uma nova palheta de habilidades para Shulk.

Para não se tornar algo mecânico e chato, as habilidades tem cores distintas que mostram o tipo de ataque. Pode ser para dar Break, Topple (tropeçar), ataque normal e o clássico buff e debuff. Não somente isso, cada um desses golpes tem um lado ótimo para ser utilizado dando dano extra. Dependendo do ataque é melhor ativar pelo lado, por trás ou quando tiver caído.

A medida que vai lutando uma barra com três partes erá enchida. Com ela é possível reviver seus aliados caso caiam ou então deixar ficar completamente cheia e desferir o Chain Attack que é possível manter um ataque contínuo por muito tempo e causar dano extremo. Em certos momentos, quando algum ataque crítico e/ou fatal for desferido contra você, será possível ver o futuro e tentar mudar isso avisando ao personagem afetado. Mude sua estratégia e sobreviva.

Sobre as habilidades, é possível escolher como montar seus personagens. Quer só ataque? Só status? Um healer? Não somente é necessário fazer builds específicas para equilibrar seu time como pela não utilização de itens na batalha, isso é vital! Ao longo de sua jornada será possível aumentar o nível de cada habilidade individualmente para causar mais dano ou melhorar seus status.

Por fim, existe o sistema de links (fazer amiguinhos). A medida que vai evoluindo na história, você irá aumentar sua reputação nos locais o que lhe dará melhor itens para compra e troca. Também é possível desbloquear laços entre os personagens e desbloquear momentos únicos. Essa é uma das partes mais esquecíveis, pois não afeta muito a mecânica do jogo e pode ser ignorada. Somente os fãs mais assíduos irão tentar fazer todos os desbloqueios.

E para fechar uma grande oportunidade perdida em Xenoblade Chronicles: Definitive Edition. Tanto no jogo original como aqui, é possível controlar qualquer um dos membros, porém, tem que sempre mudar o player 1. Se eles tivessem adicionado a possibilidade de mudar de personagens quando quiser, principalmente no meio da luta, teria sido algo fabuloso e melhoraria muito o jogo.

Grind infinito, exploração infinita e novos modos de luta

Antes de começar com as seguintes críticas, vale dizer que Xenoblade Chronicles é um jogo de 2010, ou seja, muita coisa aconteceu durante esses 10 anos.

Como falei no início desta análise, Xenoblade Chronicles: Definitive Edition é gigantesco e se passa no corpo de uma entidade (uma ideia insana, mas que funciona). Ao andar nas partes de Bionis (que reforço que estão lindas) você irá encontrar infinitos inimigos andando pelo mapa. Existem três tipos: Os inimigos que estão no seu nível e você irá upar neles, inimigos especiais que estarão perto de seu nível e lhe darão itens melhorados e uma batalha mais tensa e monstros gigantescos muito mais fortes que você. Até chegar no nível deles, fuja!

Essa mecânica me agrada e funciona, embora o grind em certos momentos seja cansativo. Matar dezenas, centenas, milhares de inimigos por horas. Porém, isso é comum em RPG’s, incluindo um JRPG de 10 anos atrás.

Mas esse cansaço se alia a outra parte negativa, as missões secundárias. Sendo bem direto, elas não são interessantes. Elas se limitam a matar um X números de inimigos ou coletar um X número de itens e fim. Inclusive uma boa parte você nem precisa retornar para quem lhe entregou a missão. A ideia é que você pegue inúmeras missões (que nunca acabam) e ao invés de fazer o grind aleatoriamente, que tenha algum foco sendo recompensado com mais XP, dinheiro e equipamentos. Mas mesmo assim é algo cansativo e esquecível. Felizmente todas missões e objetivos estão muito bem localizadas no mapa.

Para melhorar esse grind temos duas novidades nesta edição. O Modo fácil e o modo Expert. No modo fácil, o jogo fica mais tranquilo e você pode ignorar uma boa parte do grind. No modo Expert (não confunda com um modo difícil) parte do seu XP ganho será guardado. Será possível utilizar esse XP para aumentar a força de personagens específicos ou então retirar níveis de um personagem para colocar em outro. Isso acaba ajudando muito na parte final do jogo para aumentar imediatamente o nível de personagens que são necessários para alguma missão.

Xenoblade Chronicles: Definitive Edition vale a pena?

Se gosta de RPG, em especial, JRPG então a resposta é um belo sim! Por mais que o jogo tenha sido feito em 2010 e sua versão de 3DS não tenha feito nenhuma melhoria notável, Xenoblade Chronicles: Definitive Edition corrige a maioria dos problemas do jogo original. Temos visuais que impressionam mesmo 10 anos após seu lançamento, uma história fantástica com ótimos personagens e uma trilha sonora memorável.

Ainda temos um conteúdo extra que aumenta em até 20 horas a duração do jogo que segue os passos do jogo original, embora não seja tão apelativo como a primeira aventura de Shulk. Muitas melhorias foram trazidas ao jogo além da melhora gráfica como uma reconstrução da UI que torna o jogo muito mais acessível.

Por mais que ele tenha um grind muito desgastante e missões secundárias esquecíveis, os novos modos Casual e Expert conseguem melhorar o fluxo do jogo para os que não curtem ficar horas subindo de nível e coletando todos itens. talvez a única oportunidade perdida tenha sido a não adição de poder trocar entre os personagens que melhoraria absurdamente o fator gameplay.

Essa análise segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

Xenoblade Chronicles: Definitive Edition é uma ótima escolha

Visual, ambientação e gráficos - 8.5
Jogabilidade - 8
Diversão - 8.5
Áudio e trilha-sonora - 10
Personagens, história e novidades - 9

8.8

Ótimo

Xenoblade Chronicles: Definitive Edition recebeu uma ótima atualização para 2020 e corrigiu a maioria de seus problemas originais. Visuais agradáveis em HD, uma trilha sonora fantástica juntamente com uma excelente história. O novo capítulo também é uma boa adição, embora não esteja no nível da história original. Fãs de JRPG irão amar o jogo.

User Rating: Be the first one !

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo
Fechar