Análise: Sludge Life é zoeira sem limites da Devolver Digital

Grafites, desafios em plataforma e uma experiência sensorial única!

Analisar jogos da Devolver Digital é sempre uma tarefa difícil de se prever. Conhecida por quebrar barreiras quanto aos temas dos seus jogos, a empresa tem em seu portfólio uma lista robusta e louvável de títulos que vão de simuladores de relacionamento de pombos, como Hatoful Boyfriend, à batalhas entre pirocas, como Genital Jousting. Com um plantel tão variado, é praticamente impossível de realmente saber do que seus jogos se tratam apenas pelas suas descrições. É exatamente isso o que acontece com Sludge Life, e isso é algo bom. Veja abaixo nossa análise completa do jogo:

CONFIRA MAIS ANÁLISES DO ÚLTIMA FICHA AQUI

Um mundo de colecionáveis e easter-eggs

Sludge Life é um jogo de plataforma em 3D em que deve-se grafitar e vandalizar paredes em um mundo tomado pela GLUG, uma empresa maléfica que cobre o planeta de lodo industrial. O jogador controla um grafiteiro em ascensão chamado GHOST que, através do seu spray, buscará se tornar um dos mais proeminentes vândalos do mundo. O conceito é bastante simples, busque paredes em meio ao cenário para grafitar e demonstrar toda a sua arte. São 100 locais escondidos por todo o mapa, isso se considerarmos somente os locais em que pode-se grafitar. Há muitos easter-eggs, colecionáveis e objetivos secundários pelo cenário cenário que servem como conquistas além das paredes grafitáveis. O objetivo final é fugir do local de alguma forma.

Zoeira sem fim

Por meio da interação com NPCs vamos nos familiarizando com o ambiente, entendendo o contexto da GLUG no mundo e encontrando itens que nos ajudam a alcançar locais antes impossíveis de serem grafitados. Há de se frisar aqui que, como em todo jogo da Devolver Digital, há muitos momentos em que pensamos “Mas que porra está acontecendo?” em Sludge Life, e eu simplesmente amo isso. Não é incomum virar uma esquina e se deparar com algo inesperado ou inexplicável. Há criaturas que não fazem o menor sentido, diálogos estranhos, gatos lambendo seus cus, chambração com cogumelos e cachorros transando com sacos de cimento. Até o menu é zoeiro. Você pode se perguntar o porquê de tudo isso, mas a grande pergunta é: “Porque não?”.

 

Uma experiência sensorial

Sludge Life se torna uma pequena obra de arte do nicho dos jogos por toda a sua experiência sensorial e, principalmente, pelo inesperado. O jogo te explica pouco ou quase nada do que se tem que fazer, então não sabemos para onde ir e o que fazer para zerá-lo. Essa escolha de design se baseia principalmente no fato de que é possível completar 100% de todas as conquistas do jogo coletando lesmas, cigarros Ciggy Cigs, cogumelos e grafitando todas as parede, mas antes disso, você provavelmente acabará zerando o jogo. Claramente, a ideia por trás disso tudo é fazer com o que o jogador simplesmente aprecie a experiência do jogo e entre no mundo sem se preocupar em uma história ou sequer em zerá-lo. O lema é bem simples: Sente-se, explore o mundo e é isso.

Direção de arte viajante

O aspecto mais memorável de Sludge Life é, sem sombra de dúvidas, a sua direção de arte. Tanto seu visual pixelado um tanto “trippy” quanto sua trilha sonora melódica se mesclam perfeitamente à vibe sensorial do título, fazendo com que o jogador imerja nessa proposta de apreciar o jogo pelo jogo. A impressão que se tem é a de que o jogo foi feito por um grafiteiro que quer passar a sua experiência do que é fazer o grafite. Pelas conclusões que tirei do jogo, fazer grafite é algo bem simples. É ser livre em sua totalidade e tacar o foda-se. Não há nada que te prenda e não há limites.

Conclusão

Sludge Life é uma surpresa em diversos sentidos. Seus desafios em plataforma são interessantes, seus diálogos são engraçados e intrigantes e a sua direção de arte é bastante original. Todas as características de um bom jogo publicado pela Devolver Digital podem ser encontradas aqui. Talvez o único ponto a ser frisado é que o jogo é bastante curto, mesmo podendo ser zerado três vezes. Não espere por mais do que 3h ou 4h de gameplay. Ainda assim, Sludge Life é uma experiência única e difícil de ser rotulada que para ser entendida em sua plenitude, deve ser jogada. Parabéns à Devolver Digital e ao brasileiro Terri Vellmann pela grande obra.

Essa análise segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

Quer comprar um jogo novo ou usado com desconto? Confira aqui o nosso parceiro Big Boy Games e use o cupom ULTIMAFICHA para ganhar desconto adicional!

Sludge Life

Direção de Arte - 8.5
Trilha Sonora - 8
Jogabilidade - 7.5
Diversão - 8.5

8.1

Otimo

Sludge Life traz bastante zoeira e desafios em plataformas divertidos. Apesar de pequeno, o jogo oferece uma experiência sensorial incrível e muitas risadas.

User Rating: Be the first one !

Bernardo Cortez

Formado em Relações Internacionais, Bernardo aproveitou o dom de escrever para algo útil. Músico, viajante, cronista e amante de qualquer coisa que seja relacionada a jogos, seu sonho é ser jornalista na área. Tem um carinho especial por jogos que tragam o melhor de todas as formas de arte que os englobam.
Botão Voltar ao topo