Preview: Quantum League chega para inovar como FPS de arena

Um jogo inovador que usa a viagem no tempo para criar estratégia e mudar o rumo do jogo a cada rodada!

Quantum League é um shooter de arena, produzido pela Nimble Giant Entertainment, onde você deve manipular o tempo e suas jogadas anteriores para chegar a vitoria. O jogo é baseado em um universo alternativo, onde esse novo esporte competitivo de viagem no tempo se tornou um fenômeno internacional.

Bem complexo de entender de primeira né? Vamos tentar desenrolar um pouco isso em nosso preview abaixo.

Como funciona Quantum League

Entender como o jogo funciona, em um primeiro momento, pode parecer complicadíssimo e talvez seja uma das maiores barreiras de entrada para Quantum League. Apesar de ter um tutorial que tenta nos passar parte das possibilidades do jogo, o desenrolar de sua primeira partida pode ser bem diferente do que o jogo tenta ensinar e com isso você terá que aprender na marra mesmo. E olha que legal: Descobrir e compartilhar as descobertas e possibilidades com um amigo pode tornar tudo mais interessante de aprender. Então fica a dica, tenha um amigo ou um rival para aprender e evoluir juntos!

O jogo possui dois modos de jogo, basicamente, um que você deve eliminar todos os clones do adversário no final da terceira rodada, e um modo (em minha opinião o mais interessante) onde você deve terminar sozinho no ponto de captura. As partidas podem ser disputadas em 1v1 ou 2v2.

Usando o modo de captura como exemplo, você luta contra seu oponente em três rodadas de 15 segundos (no jogo padrão) de combate em primeira pessoa. Você deve escolher uma das armas disponíveis (metralhadora, sniper, lança granadas, arma de laser ou shotgun) e ir para a arena. Até você entender como o jogo funciona, é natural caçar o adversário ou sair correndo para o centro da arena para tentar pontuar.

Leia também:

No final dos primeiros 15 segundos, tudo volta ao início. Mas, quando a segunda rodada começar, suas ações da primeira rodada serão executadas como antes por um clone seu, seguindo exatamente seus passos anteriores. Com isso, você não estará mais sozinho na arena, a segunda partida será um 2×2.

E então a mesma coisa acontece no final da segunda rodada; tudo é redefinido mais uma vez, só que desta vez as ações “Rodada 1” e “Rodada 2” ocorrem simultaneamente, enquanto você faz seus movimentos finais na Rodada 3.

Digamos, por exemplo, que seu “Round 1” termine com você sendo eliminado por seu inimigo. Quando o “Round 2” começar, se você conseguir matar quem te matou anteriormente antes que ele mate o seu personagem do “Round 1”, você evitará sua morte e terá vantagem sobre o adversário.

Importante explicar que para isso acontecer, se você morrer em sua rodada, você continuará jogando como um fantasma e deve agir estrategicamente. Pois, caso seu clone seja salvo na próxima rodada, ele fará exatamente as ações que você tomou após sua morte. Outra opção como fantasma é correr até os marcadores de vida que existem no mapa e voltar a jogar ainda na mesma rodada.

Quantum League roda bem mesmo em Early Access

Quantum League tem uma boa trilha sonora e menus claros e chamativos, como um esporte do futuro deve ser. Além disso tivemos a grande surpresa de todo o menu estar em Português Brasileiro, é muito legal ver a importância que a equipe da Nimble Giant deu para nosso país.

Ainda temos a opção de escolher personagens e customiza-los usando dinheiro in-game que você ganha jogando partidas online. Aqui deixo uma crítica importante para esse tipo de jogo: ainda falta carisma. Comprar os personagens é algo essencial para um jogo desse estilo dar certo. Os personagens tem uma ótima modelagem mas fica faltando um pouco mais de personalidade em suas ações e gestos. Mas claro, devagar, estamos em early access.

O jogo ficou cravado em 60 FPS em todas as nossas partidas, mesmo com explosões e diferentes cenários e possui um gráfico muito interessante e polido. As explosões funcionam bem tecnicamente mas poderia ser mais bonitas, talvez produzir mais fumaça para usarmos de estratégia.. não sei.

Um jogo que seguiremos de olho

O combate de Quantum League pode parecer um pouco esmagador no começo, com tantos clones correndo pela arena, mas após algumas rodadas você começa experimentar algumas estratégias e tudo vai ficando cada vez mais interessante e divertido. A ideia de começar contra um amigo pode deixar as coisas menos frustrantes já que temos poucas pessoas no online e as que estão lá já possuem alguma experiência.

Nos divertimos muito jogando Quantum League e sentimos que apenas começamos a entender o que é taticamente possível nesse inovador jogo competitivo. Para tomar as decisões rápidas que o jogo precisa e visualizar toda a arena em sua perspectiva, é necessário um padrão técnico alto e um investimento pesado em performance, coisa que o jogo já parece estar se saindo bem mesmo em acesso antecipado. O pessoal da Nimble Giant realmente teve uma ótima ideia e execução.

Seguiremos jogando e ficando de olho nas novidades que a equipe de Quantum League irá nos apresentar daqui em diante. O jogo está programado para Switch e PC ainda em 2020 e até lá você pode jogá-lo na Steam por R$ 44,99.

Bruno Degering

Gamer há tanto tempo que usa consoles como referência cronológica para lembranças de sua vida. Amante de Mega Man, Resident Evil e Warcraft. Se gaba por ter zerado Battletoads aos 9 anos mas abandonou Bloodborne com 26.
Botão Voltar ao topo
Fechar