Análise: Project Cars 3 deveria ter outro título

Project Cars 3 da um cavalo de pau na direção contrária dos primeiros títulos da franquia

Esta análise de Project Cars 3 foi baseada na experiência de jogo no Playstation 4 PRO, via Dualshock 4, através de uma cópia do jogo gentilmente cedida pela Bandai Namco.

Project Cars 3 invadiu os sites de games e os canais de Youtube focado em games. Diferente do que os desenvolvedores gostariam, o burburinho não vinha de algo inovador ou de algum ponto extremamente positivo do jogo. O engajamento gerado vinha de críticas pesadas ao caminho que a Slightly Mad Studios, deixando de lado a pura alma de simulação da franquia, para uma alma que atrairia mais jogadores, tornando o jogo mais arcade do que nunca.

Meu colega de Última Ficha, Leonardo Coimbra, chegou a ter acesso a um preview do jogo no começo de agosto. Na altura ele apontou em seu artigo que Project Cars 3 tinha potencial, mas precisava melhorar. Durante seu texto e vídeo análise, pontos negativos foram apontados, esperando que algo fosse feito. Mas Leonardo viu algum potencial dentro do jogo.

Será que houve algum tipo de polimento ou escolhas diferentes dentro do terceiro título da franquia? Entre no carro, não bata a porta com força e aperte os cintos.

ABANDONANDO A ESSÊNCIA E MIRANDO EM MAIS JOGADORES

Eu entendo perfeitamente toda a frustração de jogadores de Project Cars 1 e 2. Sejam eles jogadores esporádicos de apenas um dos títulos, até fãs fiéis da franquia desde seu nascimento. Esqueça sua experiência anterior, pois Project Cars 3 deu um belo cavalo de pau e tomou outro caminho. Mas por ter chegado aonde chegou nas suas primeiras gerações, Project Cars 3 carrega consigo alguns elementos de um bom simulador.

Você ainda terá que dirigir mais sério. Talvez o título de corrida com DNA arcade que te obriga maior seriedade dos últimos anos. Seguir o traçado da pista é essencial, frear corretamente a cada curva, não sair acelerando igual um lunático (claro, se você não deixar todas as assistências ligadas), não cortar caminho achando que não haverão punições e por ai vai. Porém, não vai muito longe, isso é tudo que você pode esperar de um jogo com características de simulação.

Project Cars 3 – Frente

Se você, fã da série, curtia os trabalhos mecânicos do dia a dia das pistas, ajustes do carro para cada pista, pode esquecer. Apague da memória também longos fins de semana de corrida, com voltas de reconhecimento para praticar e decorar cada ponto da corrida, seguindo de voltas classificatórias para demarcar seu lugar na linha de largada e somente por fim, a grande corrida. Agora é “pá-pum”. No melhor estilo de jogo mobile de corrida, escolha sua série, sua categoria, sua pista e fique atento aos desafios de cada lugar. Sempre terão 3 desafios, que se completados te dão “pontos” que irão desbloquear novas pistas, categorias e desafios.

Estes desafios são legais, trazem uma cobrança bônus para você se preocupar além de somente vencer o desafio. Por exemplo, as vezes você precisa seguir na cola de outro carro por alguns segundos. Mesmo com torque para ultrapassar o inimigo, você se pega controlando a velocidade por mais algum tempo para conseguir completar o desafio.

Project Cars 3 – Corridas

O modo carreira é bem variado e grande. São diversas categorias de carros, diversos modelos, centenas de pistas e dezenas de cidades nas quais você irá acelerar. O que é comum em jogos do gênero é você ver cenários se repetindo a toda hora, mudando apenas os traçados. Aqui a variedade é farta! Controle seu dinheiro pois ele não é abundante, então pense bem ao gastá-lo para queimar etapa e abrir uma nova categoria. Você vai precisar deste dinheiro para melhorar seu carro ou até mesmo comprar um novo veículo para uma nova categoria.

JOGABILIDADE

Eu não posso dar a nota de um jogo em cima de algo que ele não é. Como assim? Se Project Cars 3 desistiu do seu estilo para focar em todos, a nota não pode ser baseada em algo que ele deveria ser e sim no que ele é. Eu posso criticar, como fiz no capítulo anterior, mas isso não é motivo para “diminuir a nota”. O motivo de diminuição da nota neste ponto se dá a implementação fraca do novo estilo na franquia.

Project Cars 3 tenta ser para todos, atraindo diversos estilos com estilos de jogatina diferente. Acontece que ao tentar ser tudo e atrair tudo de bom dos jogos de corrida, nada é aplicado de forma satisfatória como deveria ser em uma franquia consolidada há 5 anos. Nada contra querer muitas coisas, o que não dá é ser medíocre em todas.

Project Cars 3 – 1

Não se engane achando que desligando todas as assistências você terá de volta seu bom e velho simulador Project Cars. Não, não terá. Mas com tudo desligado você será desafiado como poucos arcades o fazem. Muitas assistências foram incluídas, visando a nova forma de se jogar, muito mais arcade. Essas assistências atraem novos jogadores para a franquia, desde os mais iniciantes até os mais jovens, quando digo jovens digo mais crianças. O jogo se torna amigável com tantas assistências. Se ligar todas você praticamente não precisa controlar o veículo.

Para os hardcore e especialistas no assunto, caso desligue todas as ajudas, certamente irás acelerar o carro com mais força do que deveria numa saída de curva, deixando sua traseira mais rebolativa que a Beyoncé. Não me lembro de jogar um gênero de corrida arcade que me fizessem ter tanta atenção a certos aspectos, mais comuns nos simuladores.

Project Cars 3 – 3

Os controles, pelo menos para quem jogar no Dualshock 4, são perfeitos. Não consigo ver alguma mudança a ser feita que vise melhorá-los. Você consegue sentir a dificuldade de direção mesmo não usando um volante. E claro, para os iniciantes, a simplicidade dos comandos também é muito bem vinda.

MULTIPLAYER

O multiplayer de PC3 é muito bem definido. Separa-se por completo do modo campanha. São três modos: jogo rápido, lobby personalizado e eventos prontos, com carros e pistas pré-definidas com hora marcada para acontecer. Os pontos conquistados nas provas do multiplayer vão direto para seu nível geral. Esse nível, que também cresce conforme você ganha corridas no modo campanha, serve para ir te nivelando em partidas do modo online.

Mais uma vez esqueça a profundidade de uma corrida. Seja no modo rápido ou no modo de lobby personalizado, a corrida será a mais rápida possível. Nada de ajustes, pitstop ou desgaste do veículo. Entre no lobby, espere por alguns rivais e corra. Aliás, em todas as minhas tentativas, não consegui correr com mais de dois ou três adversários. Não sei se por conta do meu nível ou se pelo vazio dos servidores no Playstation 4. Algumas vezes corri apenas com uma rival. Mas durante as corridas não tive problemas com lag ou problemas gerais de conexão.

PERSONALIZAÇÃO E MELHORIAS

O sistema de personalização e melhorias do PC3 é uma mistura de jogos mobile com Forza. Não que isso seja ruim, é prático e objetivo. As melhorias mecânicas do seu veículo aumentam a pontuação do carro, bem ao estilo Forza Horizon. Mas não saia colocando tudo do mais caro! Fique atento a pontuação máxima de cada evento.

Também não foque somente e um aspecto, como velocidade final máxima melhorando somente seu motor. Lembre-se, temos alguns vestígios de simulação e apreço pela realidade, então faça o mesmo que equipes fazem na vida real, equilibre seu carro de ponta a ponta.

Personalização estética está presente e é bem vasta. Durante anos, após os títulos NFS Underground, tivemos jogos que nem te possibilitavam a mudar a estética, tirando a pintura dos veículos. PC3 te permite um leque variado de rodas, pneus, placas e pinturas, além a claro dos diversos veículos disponíveis.

O seu personagem também é personalizável. Você pode além de dar nome ao seu avatar dar uma vida. Escolha seu gênero, vestimenta, capacete e nacionalidade, para ter mais identificação no seu modo carreira.

GRÁFICO E DESEMPENHO

Embora o jogo consiga ter bons aspectos em meio a uma confusão de tentativas, sem duvidas a pior aplicação é a gráfica. E não é um gráfico OK, todos os aspectos do menu, aos carros e aos cenários são péssimos para o final de uma geração como a do Playstation 4 e Xbox One.

Falarei da minha experiência com a versão de Playstation, jogando no PS4 PRO. Mas fiz uma pesquisa sobre outras versões e o resultado é o mesmo. Nem mesmo o PC com gráficos no Ultra se safa. Pixeis enormes estão aparentes o tempo todo, em todos os lugares. Seja no carro ou no cenário de fundo das corridas. O menu é laggado e irrita um pouco ao não poder sair clicando em próximo, pulando as repetidas animações de aumento de nível. E quando você consegue pular, o efeito de travamento aparece.

As texturas são irreconhecíveis para um jogo grande, no final da geração atual de consoles. Some-se as texturas preguiçosas, cores lavadas, efeitos visuais básicos e implementação esquisita e com desempenho ruim dos efeitos climáticos, como a chuva. Nem mesmo no menu de garagem, aonde apaixonados por automobilismo curtem admirar os carros parados, isolados e sem cenário pesado de fundo, o jogo consegue entregar gráficos condizentes.O interior dos carros é extremamente simples, não passam nenhuma sensação de realidade ou imersão.

Em 10 segundos você consegue pegar jogos de corrida recentes com gráficos incríveis ou pelo menos muito bons: Forza Horizon 4, Formula 1 2020, GRID, Grand Turismo… em 2020 fazer um jogo de corrida com gráficos chamativos é meio que normal, o diferente e sair um jogo grande com gráficos de PS3 em plena geração PS4. Sim, você encontrará jogos de corrida no PS3 com gráficos e desempenho melhores.

Mesmo com gráficos datados o jogo não entrega um desempenho bom para o gênero. Jogos de corrida em 2020 tem por obrigação o mínimo de 60 quadros por segundo fixos, sem qualquer variação independente do que está acontecendo na pista. Mesmo com um modo de desempenho e um modo de resolução, o desempenho é no mínimo questionável em Project Cars 3. A diferença é no máximo gráfica, mas em termos de desempenho é nenhuma. Em ambas as opções, caso você pegue uma corrida de chuva como exemplo, terás variações de quadros enormes.

Project Cars 3 – Chuva

Slightly Mad Studios, por favor, não abandone o título e trabalhe em atualizações! Estes problemas são consertáveis. Sou critico de jogos que são lançados e necessitam de diversas atualizações para melhorar desempenho. Os jogadores que compram no lançamento acabam pagando mais caro para serem beta testers de alguns jogos. Mas ainda prefiro que as empresas se redimam do que deixem como está.

CONCLUSÃO

Sim, Leonardo, chefinho. Project Cars 3 tinha algum potencial, mesmo deixando de lado sua base fiel de fãs. Porém, o potencial ficou para trás. O jogo tenta implementar vários estilos e não consegue ser referência em nenhum. Não que seja um jogo ruim, longe disso, mas é mais do mesmo. Um bom mais do mesmo.

Ele não é um excelente simulador. Ele não é um excelente arcade. Mas é um jogo de corrida na média. Possui controles excelentes, jogabilidade sólida e curva de aprendizado que te recompensa ao dominar a direção. Diverte os mais novos, os iniciantes e os mais experientes, que sentem prazer na dificuldade de manter o carro no traçado ao invés de ficar feliz apenas cruzando em primeiro.

Project Cars 3 é um jogo de corrida razoável, no máximo. Não deve ser a primeira escolha em nenhum aspecto. Existem excelentes simuladores e excelentes arcades, logo o PC3 fica para depois. Mesmo ficando para depois ele diverte e é um jogo legal. Agora para os fãs do primeiro e segundo título, PC3 não fica nem para depois, fica para nunca.

A franquia tomou uma direção completamente diferente. Abandonou sua jogabilidade, sua alma, seu estilo e sua complexidade. Removeu diversas características essenciais nos primeiros títulos. Ao meu ver, fez tudo isso para mirar num publico maior, atrair mais jogadores e ter uma base maior de fãs. Mas o feitiço se virou contra o feiticeiro. Os velhos fãs da simulação irão abandonar Project Cars e os potenciais novos fãs podem nunca experimentá-lo, por terem opções melhores em outros títulos. A prova disso é sua nota no Metacritic, principalmente do público geral, mas também da imprensa.

Essa análise segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

Project Cars 3 deveria ter outro título

Visual, ambientação e gráficos - 5
Jogabilidade - 7.7
Diversão - 6.7
Áudio e trilha-sonora - 6

6.4

MEDIANO

A franquia tomou uma direção completamente diferente. Abandonou sua jogabilidade, sua alma, seu estilo e sua complexidade. Os velhos fãs da simulação irão abandonar Project Cars e os potenciais novos fãs podem nunca experimentá-lo, por terem opções melhores em outros títulos.

User Rating: Be the first one !

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Nogueira une estas duas formações para administrar de forma única suas skills em jogos de tiro, adquiridas em anos jogados fora jogando The Duel. Além da supremacia em jogos de tiro, Nogueira é fã de jogos com história bem trabalhada e tem no sangue as habilidades de Dominic Toretto para jogos de corrida.
Botão Voltar ao topo
Fechar