Análise: Mouse Sharkoon Light 200², ULTRALEVE

O Sharkoon Light 200² possuí apenas 62g e tem um dos melhore sensores embarcados

Esta análise só foi possível graças a uma unidade do mouse Light 200 cedido gentilmente pela Sharkoon.

A Sharkoon pulou de cabeça no hype dos mouses ultraleves e trouxe o seu primeiro modelo para o Brasil, o Sharkoon Light² 200.

Confesso que eu mesmo entrei nesse hype dos mouses ultraleves, e quando chegou a caixa da Sharkoon para análise contendo o mousepad SGP2 (revisado aqui) e o Light 200, fiquei bem ansioso para testar. Isso porque 28no meu tempo livre estou sempre jogando algum FPS competitivo, o que em tese é a melhor aplicação para mouses ultraleves.

Mas será que de cara a Sharkoon acertou em sem primeiro mouse ultraleve? É o que vamos descobrir nesta análise!

DESIGN E CONSTRUÇÃO

O design do Light 200 é bem semelhante a diversos outros mouses ultraleves de outras marcas. Furos em formatos hexagonais cobrem as laterais e o apoio da palma da mão, ficando apenas os botões principais construídos em material liso e sem furos. A carcaça de apoio da mão é removível e pode ser substituída por uma carcaça toda lisa, sem furos. Isso vai gerar uma diferença de peso, já que a furadinha possui 4g e a lisa sem furos 7g.

Além da carcaça traseira removível o mouse acompanha o botão de DPI removível, com algumas outras opções de cores inclusas na caixa, além do pretinho básico que já bem aplicado no mouse. Pés extras PTFEs também fazem parte do conjunto, o que é uma adição excelente por parte da Sharkoon.

Temos também RGB em duas áreas, no scroll e na parte interior traseira do mouse, que traz um efeito bem legal, similar ao do HyperX Pulsefire Surge. Dentro do mouse também há RGB no logotipo da Sharkoon, mas só será possível ver usando a carcaça furadinha. No software proprietário você poderá escolher dentre diversos perfis de iluminação, intensidade e velocidade.

No geral o Light 200 é muito bem construído. Você pode apertar a carcaça e ficar chacoalhando ele que não ouvirá aqueles barulhos de mouses xing ling. Os botões laterais possuem bons clicks. Os principais contam com o sensor Pixart PMW 3389 e possuí excelente sensação tátil ao click, com clicks curtos e satisfatórios. Os botões são separados pela área do scroll, evitando miss clicks. Falando em scroll ele é bem silencioso e possui etapas para você ter mais precisão ao rolar as páginas. O click do scroll requer um pouquinho de força, mas nada desconfortável.

 

O cabo presente nesse mouse é muito bom. Todo trançado, muito leve, porém é um pouco gordinho. Para encaixá-lo no meu Fallen Tucano tive um pouco de trabalho. O mesmo não é destacável.

PEGADA E INSPIRAÇÃO

Se você já teve ou viu de perto o Zowie EC2-A vai perceber de imediato a inspiração do Light 200. E isso não é ruim, na verdade é excelente! O formato do Zowie EC2-A é reverenciado há anos por jogadores de FPS profissionais.

Créditos: https://www.masterygear.nl/

O Light 200 possui tamanho médio e vai se adaptar a quase todos os tamanhos de mãos destras. Desculpe canhotos, devido ao formato ergonômico inspirado no Zowie fica difícil para vocês usarem. Todas as pegadas acabam sendo bem vindas (Claw, Palm e Fingertip). Talvez se você tiver mãos muito pequenas e tiver a pegada fingertip poderá ter um pouquinho de dificuldade, mas a universalidade deste formato já é conhecida graças aos longos anos de mercado do Zowie EC2-A.

No geral é um mouse muito confortável, com bom encaixe e que pode ser usado para longuíssimas jogatinas, pois alia conforto, peso baixíssimo e performance. No total acompanham 6 botões clicáveis (contando o scroll) que você pode re-programar no software proprietário.

PERFORMANCE E SOFTWARE PROPRIETÁRIO

Ok, ok. Você já sabe que ele tem um formato campeão, peso mosca, RGB e coisitas mais. O que importa no final do round é o desempenho. A Sharkoon optou por colocar um excelente sensor no Light 200, o Pixart PWM 3389, de até 16.000 DPI. O sensor já é consagrado e está presente em vários dos melhores mouses para FPS do mercado. Usá-lo no CS:GO e Valorant é um deleite. De fábrica ele vem calibrado com as seguintes DPIs pré definidas: 400, 800, 1200, 2.400, 3.200, 6.400, e 16.000. Ou seja, 7 perfis, que podem ser alterados ou removidos através do software proprietário.

A distância lift-off padrão é de 1mm, mas ela pode ser alterada via software nas opções avançadas, junto com sensibilidade, velocidade de rolagem e velocidade do clique duplo. Existe também um botão na parte inferior do mouse para você ajustar o polling rate, indo de 125Hz na posição mais para a bunda do mouse, 500Hz na posição do meio (onde o nosso veio ao sair da caixa) e 1000Hz na posição mais para cima. Assim que pegá-lo já mude para 1000Hz para ter o melhor desempenho possível.

Some todas estas características positivas às 62 gramas do mouse! Faz todo o sentido o hype de mouses ultraleves para os viciados em shooters. Além de leve ele é bem balanceado, não parecendo ter mais peso atrás, na frente, direita ou esquerda. Flickar com um mouse ultraleve é sensacional.

Uma grande surpresa foi o software proprietário do Light 200. Ele é leve, de certa forma agradável aos olhos, rápido e muito funcional. Sem frescura, sem enrolação, não tem um tamanho de instalação absurdo, resumindo é um maravilhoso feijão com arroz, bife e batata frita.

CONCLUSÃO

A Sharkoon estreou nesta vibe de mouses ultraleves com o Light 200 acertando em cheio. É com convicção que eu digo que foi uma estreia excelente, muito acima das expectativas. Não teve vergonha de copiar um formato consagrado da Zowie, colocou um sensor topo de linha, design agradável, peso condizente a categoria dos ultraleves, bom software e excelente construção no geral.

Os clicks satisfatórios nos botões, horas e horas de flicks no CS:GO que não vão cansar seu pulso dado o peso de 62 gramas, um RGB bem aplicado e uma pegada confortável e segura ao jogar.

Ficou difícil arranjar um problema no Light 200, mas se fosse para procurar pelo em casca de ovo seria o cabo não destacável e gordinho, que pode te atrapalhar caso use algum mouse bungee.

No Brasil a Sharkoon vende somente pela Kabum, onde o Light 200 se encontra a partir de R$300,00 na data desta publicação. Dado o sensor escolhido, o capricho dos materiais, o bom software e o desempenho em geral do mouse, o preço é justo e bem posicionado. Por R$300,00 será bem difícil você encontrar um ultraleve melhor e mais barato. Acerto em cheio até no preço! Diamantado com gosto!

 

NÍVEL DE RECOMENDAÇÃO: DIAMANTE

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Rei dos FPS e o Toretto dos jogos de corrida no site. O nerd/entusiasta do PC Master Race, responsável por análise de periféricos e hardware. Quebra um galho de streamer lá na twitch.tv/ultimaficha.
Botão Voltar ao topo