Análise: Headset Sharkoon Skiller SGH30

O Skiller SGH30 possuí um senhor custo x benefício no mercado brasileiro!

Já fazia algum tempo que não chegava aqui na redação um headset Sharkoon. Lá em 2019, o Skiller SGH3 nos surpreendeu pelo seu custo benefício. O headset Sharkoon da vez é o Skiller SGH30, que parece ser muito semelhante com o adicional da iluminação RGB.

Apesar da semelhança inicial, logo de cara no unboxing já é possível ver algumas diferenças. Em comparação com o SGH3, o SGH30 possui uma caixa mais simples, microfone não destacável, cabo único não destacável USB (no SGH3 vinha um cabo não destacável P3 com outro cabo P3 para P2), ausência de comandos de volume e silenciar no cabo, ausência de placa de som USB e iluminação RGB, que não existia no SGH3.

Esta análise (e os vídeos de unboxing e análise em vídeo) só foi possível graças a uma unidade do produto cedida gentilmente pela Sharkoon.

São vários “sacrifícios” em prol do RGB. Foi o que você pensou, certo? Mas será que as diferenças todas nos acessórios são negativas? O que importa que é som e o microfone, certo? Então vamos investigar!

DESIGN E CONSTRUÇÃO

Fica bem claro o esforço da Sharkoon em cortar custos “desnecessários” para manter o preço extremamente atrativo. O fone é extremamente leve, feito praticamente todo em plástico. O único metal aparente é uma espécie de alumínio que compõe o arco de suporte superior.

Nosso unboxing do Skiller SGH30

Os botões multimídia ficam na concha esquerda e servem apenas para silenciar o microfone e alterar o volume do fone. Ambos são giratórios, práticos e simples, mas ajudam nesse sentimento de corte de custos para baratear o produto. Fora isso apenas um cabo chumbado na concha esquerda do fone. Cabo esse muito bom, longo e trançado.

Em ambos os lados temos iluminação RGB, tanto no logo ‘S’ da marca Skiller quanto ao redor da concha, trazendo um efeito bem legal. O que não é legal é a falta de customização. O padrão RGB é fixo, trocando as cores. Você não consegue desligar, trocar efeitos, fixar cor, nadinha. As conchas são de couro artificial e extremamente confortáveis, assim como no SGH30. Com diâmetro externo de cerca de 100mm e interno de 55mm, orelhudos de plantão terão grande conforto usando o fone.

Fechando, temos um microfone flexível, porém fixo. Diferente do SGH3 que vinha com microfone flexível e destacável, aqui fica mais um detalhe de corte de custo do Skiller SGH30.

CONFORTO

A Sharkoon teve uma enorme chance de ter um dos fones mais baratos e confortáveis do mercado. Ao colocar na cabeça, você é surpreendido por conchas extremamente macias, material confortável e o excelente sistema de faixa dupla para suporte na cabeça. Este é um dos melhores tipos de suporte, pois ele se ajusta automaticamente à sua cabeça, sem necessidade de aumentar o diminuir.

Tudo isso, infelizmente, dura poucos minutos. As conchas são fixas e não possuem nenhum tipo de torção, para nenhum dos lados. Isso prejudica bastante a sensação de conforto em longas sessões de uso. Um pequeno detalhe que tirou uma potencial nota 10 em conforto. Essa falta de torção faz total diferença para um pleno conforto.

MICROFONE

A qualidade do microfone, assim como no passado com o SGH3, é muito boa para a faixa de preço do produto. Em ambientes silenciosos, o Skiller SGH30 te deixará tranquilo quanto ao áudio que os outros estão recebendo de você.

Eu disse em ambientes silenciosos, pois ele pega um bocado de som ambiente, principalmente de TV e barulho de teclado mecânico. Opte pelo NVIDIA Broadcast, caso tenha alguma placa da família RTX. O áudio permanece limpo e os ruídos de fundo somem.

QUALIDADE DE SOM + SOFTWARE PROPRIETÁRIO

Novamente a surpresa da qualidade frente ao preço. O Skiller SGH30 se torna um grande aliado de pessoas que querem um fone com boa qualidade sonora, principalmente se for para um uso misto de jogos (mais puxado para jogos de tiro ou com perfil de áudio mais puxados para o grave), para ver filmes e ouvir músicas.

O volume máximo poderia ser maior, pois sei que existem usuários que gostam de ouvir tudo no mais alto volume possível. Para o meu gosto, nunca cheguei em seu máximo, mas percebi que ele é limitado. A parte boa é que passa longe de distorcer.

Segundo a Sharkoon, existe uma placa de som embutida e por isso podemos ter a ausência de uma placa USB como no SGH3. Isto faz com que o Skiller SGH30 possua tecnologia de áudio 7.1, que é ativada pelo software proprietário Sharkoon Audio Center, assim como os cancelamentos de ruído do microfone já citados.

O programa é estável, porém tem cara de software dos anos 2000, da época do Windows XP. Temos poucas opções, mas que podem ser úteis. Ele é intuitivo, e por ser bem simples, você não ficará perdido. Lembre-se: estamos falando de um fone de entrada!

Em resumo, temos um ótimo fone para quem gosta de graves, seja na jogatina, filmes ou música. Pelo preço é compreensível que médios e agudos sejam mais ausentes e fiquem em segundo, terceiro plano. O padrão mundial em todos os tipos de fone, principalmente os baratos, é caprichar nos baixos, onde o gosto popular fala mais alto.

CONCLUSÃO

Nessa faixa de preço, precisamos ser cautelosos ao indicar de forma mais ou menos incisiva um produto. Na data de publicação desta análise, o Skiller SGH30 aparece por apenas R$219,00 na Kabum, loja onde a Sharkoon vende de forma oficial seus produtos no Brasil.

Nessa faixa de preço você leva excelentes almofadas, que são macias, grandes e confortáveis, bom microfone, peso muito leve graças aos foco em materiais plásticos e boa qualidade sonora para uso misto, principalmente para os que gostam de bastante grave. Vir com espuminha no microfone é um plus sempre bem vindo, além do cabo trançado enorme.

Funcionando plug and play no seu PC, notebook, PS4 e PS5 (outros consoles não foram testados), ele pode ser um ótimo coringa para você que está com grana limitada para comprar um headset.

Mas claro que o fone teria seus lados negativos. Materiais mais simples, botões multimídia básicos, cabo e microfones não-destacáveis e falta de torção nas conchas, que com pouco tempo de uso, dependendo do formato da sua cabeça, podem trazer desconforto. Mas, por menos de 250 reais vai ser difícil achar um competidor a altura com RGB! Ah, lembre-se, o RGB é do jeito que vem, troca de cores, no modo “respiração”, sem escolha! Tem RGB, mas não tem liberdade para escolher como e nem desligar!

Ainda assim, os pontos positivos se destacam, pois o que importa mesmo é ter bom apoio de cabeça, conchas macias, boa qualidade de áudio e principalmente bom microfone, já que além de jogatinas, nesta pandemia as conferências por áudio se multiplicaram! E você não quer ser aquela pessoa com um péssimo microfone do outro lado né?

NÍVEL DE RECOMENDAÇÃO: DIAMANTE

O Skiller SGH30 possuí um senhor custo x benefício no mercado brasileiro!

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Rei dos FPS e o Toretto dos jogos de corrida no site. O nerd/entusiasta do PC Master Race, responsável por análise de periféricos e hardware. Quebra um galho de streamer lá na twitch.tv/ultimaficha.
Botão Voltar ao topo