Análise: Bravely Default II é um JRPG clássico e nostálgico

Um clássico modernizado

O primeiro jogo da franquia Bravely Default foi lançado pela Square Enix no 3DS em 2012. Agora quase 10 anos depois, temos o lançamento de Bravely Default II no Nintendo Switch. Confiram abaixo em nossa análise o quanto o jogo evoluiu.

Bravely Default II estará disponível exclusivamente para Nintendo Switch a partir do dia 26 de Fevereiro. Infelizmente o jogo não conta com legendas em PT-BR.

4 cristais e os heróis da Luz

Quem acompanha a Square Enix desde o fim da década de 80 ou até mesmo da década de 90, sabe que seus primeiros RPG’s seguiam uma receita de bolo (sim, estou falando de você Final Fantasy):

  • Temática medieval
  • Um reino/mundo em perigo
  • 4 cristais de poder
  • Heróis chamados de Heróis da Luz

Pois bem, Bravely Default II tem uma fortíssima inspiração nesses clássicos. Aqui controlaremos o náufrago Seth que encontrará seus companheiros de aventura Elvis, Adelle e a Princesa Gloria.

Ao longo de mais de 30 horas de jogo, iremos passar por diversos reinos onde cada um foi afetado de uma forma diferente por um cristal e a princesa Gloria tem como missão reuni-los para evitar que o grande vilão utilize-os para destruir e controlar esse mundo.

Tem como o jogo ser mais nostálgico e raiz do que isso?

Os vilões do jogo!

Bravely Default II e sua fraca narrativa

Tendo os personagens e história definidos, tenho que abordar como a história é contada. O que digo de cara sem papas na língua é que Bravely Default II é extremamente previsível e clichê.

O jogo apresenta o sistema de Jobs (profissões) onde será possível o mesmo personagem ser um mago, bardo, guerreiro, arqueiro e muito mais. Essa mecânica é sensacional e falarei dela mais a frente. Porém, toda vez sem exceção que você encontra alguém com uma roupa diferenciada, você sabe que lutará com ele em algum momento.

E isso é um tanto desanimador, pois embora os plot twists existam, eles acabam sendo bem previsíveis. E ainda que em todas as vezes eu falasse para mim “vou permitir me surpreender” no fim, eu já sabia com quem eu lutaria.

Além dessa falta de surpresa, a história acaba sendo clichê. Cada uma das missões acaba focando em um dos personagens de sua party, mas os problemas acabam sendo sempre os mesmos que vemos há anos na indústria. Uma grande conspiração onde quem tem cara de mal, vai sim ser o vilão.

Ambientes são lindos em Bravely Default II

Gráficos e trilha sonora

Por Bravely Default II ser um jogo de RPG, a história acaba pesando muito na experiência do jogo. E para ajudar no envolvimento desta narrativa, temos os gráficos e toda a parte sonora.

No inicio desta análise, eu mencionei que a franquia começou no 3DS e agora chegou ao Switch. Isso traz gráficos melhorados, mas longe de ser algo revolucionário.

A parte artística é muito boa. As cidades são desenhadas a mão como se fosse uma aquarela e os cenários do mundo são bem diversificados. Inclusive até mesmo o menu é muito bonito e estiloso tendo uma temática de um barco.

Mas indo aos personagens, isso perde um pouco o brilho. Além do serrilhado presente durante a gameplay e cenas, que pesa demais para um jogo com uma proposta gráfica mais simples, as animações dos personagens são limitadíssimas. Existem algumas poucas animações com os olhos e a boca. E é somente isso. Em diálogos muito extensos, é um tanto chato ficar olhando as cenas onde o visual não te prende.

Felizmente, a duglagem é excepcional. Bravely Default II é quase todo dublado e cada personagem tem uma voz única que demonstra a emoção e personalidade na voz. E a trilha sonora te ajuda a embarcar na aventura com mais empolgação.

Bravely ou Default?

As mecânicas de Bravely Default II

Em Bravely Default II nós temos um JRPG completíssimo. A mecânica de jobs retorna e você poderá optar combinar até dois jobs em cada personagem.

É possível montar um time diverso em ataque físico, em buff/debuff, em magia e muito mais. Como comentei acima, assim que você batalhar com os personagens diferenciados, você receberá um novo asterisk que lhe dará esse novo job.

A grande vantagem de maximizar todos os jobs, é que poderá contar com até 6 habilidades passivas que poderão lhe ajudar de diversas formas. Porém, será muito complicado fazer isso, pois os jobs exigem muita experiência, em especial na reta final.

Ou seja, você se fará a seguinte pergunta: se já tenho Black Mage e White Mage no nível máximo com magias tipo Curaga e Firaga, para que vou investir em um Red Mage? Isso vai da build e paciência de cada um.

E tendo feito sua build é hora de ir lutar. Na franquia Bravely Default, além dos comando básicos de todo RPG, temos o comando “Bravely” e “Default”. A cada novo turno você ganhará 1 ponto que deverá ser gasto para uma ação. Caso utilize o comando Bravely (podendo ser acumulado até 3 vezes) você terá até três ações extras. Já o Default faz seu personagem defender e acumular um ponto de ação.

Essa mecânica única faz com que você e seus inimigos possam dar inúmeros ataques na forma que bem entender. É importante ter em mente que caso passe da linha limite de ações, você ficará até 3 turnos sem ação. Isso dá uma estratégia muito interessante na luta. Inclusive destaco as lutas contra chefões que são longas e genuinamente difíceis, podendo levar até 15 minutos uma luta que lembra um jogo de xadrez com mil possibilidades graças a esse sistema.

Por fim, também existem missões secundárias que são esquecíveis. No máximo elas liberam alguns mini-games como a exploração de barco para conseguir itens extras ou então o jogo de carta onde pode desafiar diversos NPC’s. Mas no geral as missões se limitam a falar com alguém, derrotar monstros, achar um item e assim por diante.

Vale investir em Bravely Default II?

Por um lado Bravely Default II funciona de forma primorosa. Seus gráficos feitos a mão são lindos, sua dublagem é excepcional e sua mecânica de Bravely e Default encaixa muito bem no gênero dando uma nova camada de estratégia e desafios.

Porém, nem tudo são flores. A história, mesmo que funcione, é clichê e previsível demais. O sistema de jobs, que é excelente, acaba entregando todos os personagens diferenciados e não existe uma empolgação com a história. Além disso, a animação dos personagens é limitada e existe serrilhado em diversos momentos.

Eu não estou dizendo que Bravely Default II é ruim, muito pelo contrário. Bravely Default II é um ótimo jogo de JRPG que é altamente influenciado pela história clássica dos primeiros RPG’s da Square. A grande pergunta é: Você já está cansado desse estilo ou não?

Essa análise segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

Bravely Default II é uma homenagem aos cássicos JRPG

Visual, ambientação e gráficos - 8
Jogabilidade - 8
Diversão - 7
Áudio e trilha-sonora - 8.5
Narrativa e personagens - 6

7.5

Bom

Bravely Default II é um ótimo JRPG que se inspira nos primeiros clássicos da Square Enix. Seja o herói da luz, colete os 4 cristais e acabe com o perigo que paira no reinado. Infelizmente isso e outras decisões questionáveis trazem uma previsibilidade ao jogo que não anima tanto quanto poderia.

User Rating: Be the first one !

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo