Arcadegeddon: Primeiras Impressões

Confira abaixo nossa análise antecipada com as primeiras impressões de Arcadegeddon:

Arcadegeddon foi revelado no começo de Julho e entrou em Early Access logo de cara para PS5 e PC. O jogo está em desenvolvimento há um tempo pela ILLFONIC e tinha sido inclusive cancelado no final do ano passado. Felizmente, a empresa acreditou no seu projeto, e decidiu continuar produzindo o jogo de forma independente até essa grande revelação em Julho. A equipe que faz o jogo tem certa experiência com títulos online, como Friday the 13th: The Game e Predator: Hunting Grounds, mas pela primeira vez, temos um jogo majoritariamente PvE com foco no cooperativo de até 4 pessoas.

Confira o vídeo da análise antecipada com as primeiras impressões de Arcadegeddon:

O que é Arcadegeddon? – Primeiras Impressões/Análise Antecipada

O enredo do jogo é o seguinte: Gilly, o dono de uma loja de fliperamas local, está tentando salvar o seu negócio de uma mega-corporação, chamada Fun Fun Co., que está tentando dominar a cidade. Para isso, ele resolve conectar todos os seus fliperamas para criar um super jogo nunca antes visto. Entretanto, os planos de Gilly vão por água abaixo quando a Fun Fun Co. infecta o jogo com um vírus que tenta eliminar todos os jogadores que tentarem jogar o jogo.

É aí que somos introduzidos ao gameplay de Arcadegeddon. O jogo é basicamente um shooter cooperativo online que permite aos jogadores explorar biomas, jogar minigames, descobrir novas armas e equipamentos em baús, e enfrentar chefões e inimigos diversos ao longo do caminho. À medida que avançamos pelos níveis, que vão ficando mais difíceis, ganhamos créditos que podem ser usados para comprar novas armas e pular fases.

O gameplay de Arcadegeddon – Primeiras Impressões/Análise

O gameplay de Arcadegeddon pode ser moldado de diversas formas. Há gangues espalhadas pela loja do Gilly que dão desafios aos jogadores. Estes desbloqueiam habilidades especiais que vão ajudar muito no avanço dos níveis. Como o jogo ainda está em Acesso Antecipado, há apenas algumas gangues acessíveis, mas a equipe da ILLFONIC prometeu trazer 9 gangues até o lançamento do jogo em 2022. Aliás, a empresa tem planos bem ambiciosos pro jogo, que vai trazer uma quantidade de conteúdo relativamente grande aos jogadores. Mesmo nesse acesso antecipado, o título já oferece 28 armas espalhadas em 7 classes, o que é uma gama bem grande para um jogo que só vai ser lançado no ano que vem.

Assim que paramos para testar o PvE e o PvP do jogo, percebemos que o polimento que foi dado pela ILLFONIC ao título é incrível. O gameplay do jogo é bastante rápido, e comparações com a fluidez de Fortnite são inevitáveis. É muito satisfatório atirar, e a variedade de armas contribui muito para a experiência geral do jogo. Cada bioma e dificuldade possui diferentes tipos de inimigos que vão surgindo em hordas, e é muito recompensador eliminar todos eles freneticamente pelo mapa. No começo o jogo parece muito fácil, sendo praticamente um aquecimento para o que ainda vai surgir. Entretanto, conforme a dificuldade aumenta, chefes, novos inimigos e armas mais fortes também começam a aparecer e é aí que o jogo se torna extremamente rápido.

A palavra que define a experiência do jogo é: Diversão. Arcadegeddon é muito divertido, e eu fico muito feliz de saber que a ILLFONIC decidiu continuar o projeto do jogo de forma independente mesmo depois do seu cancelamento no ano passado. Apesar do estúdio ser relativamente pequeno, muitos dos desenvolvedores têm anos de experiência na indústria, e essa decisão certamente foi feita por quem sabia do potencial do jogo.

Uma direção de arte de primeira linha

O jogo possui uma direção de arte de primeira linha. Os gráficos são bem bonitos e há efeitos por todos os lugares. Tudo é muito colorido e a equipe de desenvolvimento usou e abusou do Neon para dar uma maior personalidade ao jogo. É óbvio que o foco do jogo está no gameplay em si, e os gráficos não poderiam ser pesados para não atrapalhar nesse sentido. Todavia, mesmo assim, a ILLFONIC conseguiu fazer um bom balanço entre visual e rendimento, e é possível alcançar uma boa quantidade de FPS mesmo nos presets mais altos do jogo.

Vale a pena fazer duas menções aqui. Primeiro: o jogo tem suporte a reflexos por Ray Tracing, caso você tenha uma placa que suporte a tecnologia. O jogo fica muito mais bonito com essa opção, mas naturalmente, também fica muito mais pesado. A não ser que você tenha uma placa muito potente das últimas linhas da Nvidia ou da AMD, não há muito sentido em habilitar o Ray Tracing, já que o impacto na performance é bem grande. O jogo é feito para ser jogado a altas taxas de frame, e prejudicar isso em prol do visual provavelmente não vai ser a prioridade da maioria dos jogadores.

Otimização e performance

Para ajudar na experiência geral, o jogo conta com a tecnologia de Upscale da AMD, o FSR. Essa opção sim faz uma diferença gigante na jogabilidade, elevando a taxa de frames para acima de 100 nos biomas mais simples. O gameplay do jogo fica extremamente fluido a altas taxas, e é praticamente inconcebível não habilitar essa opção. O impacto visual dos FSR só é perceptível com a câmera parada procurando por artefatos e os famosos pixels cintilantes, mas jogando freneticamente, como o jogo foi desenhado para ser jogado, os erros não são perceptíveis. Vale destacar que essa opção está inclusa tanto nas versões de PC quanto de PS5 do jogo, então Arcadegeddon é oficialmente o primeiro jogo a ter a tecnologia da AMD habilitada no console da Sony.

Trilha sonora digna de Grammy

Para fechar com chave de ouro, é necessário falar do áudio do jogo. A trilha sonora é alucinante, com músicas originais feitas só para o jogo, com artistas consagrados na música eletrônica. Para que se tenha uma ideia da qualidade da mesma, o próprio CEO da ILLFONIC, Charles Brungardt, é ganhador de um Grammy. Ou seja, a barra com relação à trilha sonora do jogo está lá em cima, e eu diria que esse é um dos pontos mais fortes de Arcadegeddon. Jogar no ritmo frenético do jogo com músicas eletrônicas de primeiríssima qualidade no fundo trazem uma experiência fenomenal ao jogo, e precisamos parabenizar a empresa pelo feito.

Conclusão – Primeiras Impressões/Análise Antecipada – Arcadegeddon

Para resumir essa análise antecipada com nossos primeiras impressões, Arcadegeddon me surpreendeu muito nesse primeiro mês de Acesso Antecipado. O gameplay do jogo é incrível, e é complementado pelos belos gráficos e trilha sonora monumental. A quantidade de armas, equipamentos e inimigos também impressiona, já que estamos somente no início dos testes e muito conteúdo vai ser acrescentado ainda. O único problema é a discrepância absurda de preço entre as plataformas. O jogo custa 38 reais para PC, o que é até barato para o que ele oferece, e absurdos 105 reais para PS5. Fora isso, os pequenos bugs aqui e ali que encontramos não atrapalharam muito na experiência. Em suma, Arcadegeddon é uma bela surpresa.

Bernardo Cortez

Formado em Relações Internacionais, Bernardo aproveitou o dom de escrever para algo útil. Músico, viajante, cronista e amante de qualquer coisa que seja relacionada a jogos, seu sonho é ser jornalista na área. Tem um carinho especial por jogos que tragam o melhor de todas as formas de arte que os englobam.
Botão Voltar ao topo