Análise: Road 96 é uma espécie de roguelite diferenciado

Não, Road 96 não é mais um jogo de masmorras aleatórias onde você vai morrer demais com artes feitas em pixel. Ao contrário do clichê dos jogos indies roguelike (ou lite) em pixel art, Road 96 é um game diferenciado. Para isso, a Digixart criou uma história interessantíssima que aproveita o melhor da geração procedural. que, ao invés de limitar o jogo, expande ainda mais as possibilidades de um jogo de narrativa. Entenda como a Digixart fez isso nessa análise completinha de Road 96.

Esta análise de Road 96 foi feita com uma versão de review de PC oferecida pela produtora. Portanto, destacamos que este artigo segue nossas diretrizes internas.

Qualquer semelhança…

Road 96 se passa em um país fictício chamado Petria que está sob regime autoritário. Você assume o papel de um(a) adolescente que, assim como tantos outros, está tentando fugir do país. Para tal, você precisa percorrer um caminho, gerado de forma aleatória, até a Road 96 que desemboca na fronteira. Essa fronteira é marcada por um extenso e alto muro. A cereja do bolo é que Petria se aproxima de uma votação para presidente e os ânimos de tudo e todos estão bastante exaltados. Portanto, não se espante se as semelhanças com certos países da atualidade forem evidentes.

A fronteira

A distância que separa você do fim do trajeto é longa, portanto, se prepare para vários encontros ao longo do caminho. Uma hora você pode jogar games no banco traseiro de um carro, em outro momento pegar carona com motoqueiros alucinados ou até mesmo cair no banco de trás de um taxista macabro – entre outros. Esses tantos personagens vão te desafiar a tomar decisões sobre estimular o povo a votar consciente, a se rebelar ou a simplesmente partir para longe.

Portanto, é evidente que cada uma dessas decisões contabilizam para o fim do seu trajeto. Conseguindo escapar ou não, você vai ver o que suas ações geraram para o fatídico dia das eleições. E ao chegar no fim, você é levado de volta ao começo assumindo o papel de outro adolescente que vai seguir um diferente trajeto até a fronteira. Mas não torça o nariz, as habilidades e desenvolvimentos adquiridos em cada incursão são levados para a próxima, pois é justamente nessa pegada roguelite que o jogo se destaca.

… com a realidade …

Sendo um jogo de narrativa, a dinâmica roguelite poderia ficar estranha, mas o jogo é extremamente bem escrito. Dessa forma, encontrando os mesmos personagens em momentos e tempos distintos não torna a experiância repetitiva, pelo contrário. A geração procedural dos encontros torna a dinâmica única e desafiadora já que você precisa se preparar para quando chegar à fronteira.

Mapa de Petria

Com isso, é bom salientar que Road 96 conta com oito personagens com os quais você interage ao longo das incursões. Zoe é uma adolescente fugindo do pai, que é um político importante desse governo autoritário. Já John é um motorista de caminhão meio revoltado. Enquanto isso, Alex é um menino prodígio em tecnologia. Stan e Mitch são uns motoqueiros loucos do asfalto. Fanny, por outro lado, é uma policial mãe de família com um passado empático. Jarod é um misterioso taxista em busca de resolver pendências do passado. Por fim, Sonya é a âncora de um jornal que apoia a ditadura local.

Mas muita calma nessa hora, pois você não vai ter a chance de conhecer todos eles ao máximo em uma só jornada. Acumular informações sobre cada um deles vai ajudar você a desvendar ainda mais suas histórias, mistérios e recompensas a fim de te ajudar ou atrapalhar na travessia.

… não é …

O engajamento com esses personagens se dá por simples conversas e escolhas de diálogo ou por minigames interessantes. Portanto, é bom ter os dedos afiados em alguns momentos e a mente pronta para lidar com situações de estresse. É possível morrer ou ser preso em Road 96, afinal estamos falando de uma ditadura, certo? Portanto, tome bastante cuidado com suas escolhas e seu desempenho nesses minigames.

Encontros curiosos pelo caminho

Eu tive a oportunidade de estragar um comício do ditador, pude tocar trompete em cima de um trailer em um acampamento, além de jogar pong e roubar um restaurante de beira de estrada. Eu acabei capturado pela polícia da fronteira, atravessei embaixo de um caminhão e ajudei na rebelião. Tudo isso embalado em uma trilha sonora deliciosa e um visual gostoso, ao mesmo tempo que acessível para PCs mais fracos.

… mera coincidência.

Road 96 toma lado em uma mídia que tradicionalmente evita tocar em certos assuntos. Isso por si só já seria um grande triunfo desse lindo e tocante jogo. Mas além disso, Road 96 conta histórias particulares de pessoas em situações que acontecem no mundo de forma brilhante. Seu sistema mescla a aleatoriedade da geração procedural com narrativa muito bem escrita. Dessa forma, cada jogatina será diferente da outra. Ou seja, ao invés de repetir fórmulas batidas de walking simulators dos jogos de narrativa, Road 96 vai além e entrega uma experiência bem mais completa.

Curtiu nossa análise / review de Road 96? Deixe um comentário, acesse nossas redes sociais e volte sempre.

Vibes e tal

Entre razões e emoções

Visual, ambientação e gráficos - 7.5
Jogabilidade - 7.5
Diversão - 8
Áudio e trilha-sonora - 8.5
Trama e narrativa - 9

8.1

Ótimo

Sistemas procedurais em uma aventura narrativa deram mais do que certo graças a um texto extremamente bem escrito. Além disso, Road 96 fala sobre assuntos urgentes no mundo atual. Embarque nessa road trip e decida o futuro de Petria.

User Rating: Be the first one !

Ricardo Carvalho

Gosto muito de escrever, desenhar, de me frustrar com política, de filosofar no barzinho, assistir filmes e defender que games são arte! Me segue no twitter que eu sigo de volta, beleza? twitter.com/perfilricardoc Beijos e boas jogatinas!
Botão Voltar ao topo