Análise: Tails of Iron

Tails of Iron, um Metroidvania Rat Souls narrado pelo o famoso Bruxo de Rivia!

Desenvolvido pela Odd Bug Studio, Tails of Iron é um RPG de aventura desenhado à mão com um combate punitivo e brutal, assim como a Era das Trevas. Explore esse mundo sujo e sedento de sangue com Redgi. Um herdeiro do reino dos Ratos Carmesim e confiram nossas impressões nesta análise de Tails of Iron.

E já posso adiantar que ao fazer esta análise, Tails of Iron me surpreendeu muito, assim como Eldest Souls e Radical Rabbit Stew. O jogo já está disponível para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Nintendo Switch, PC e Xbox Series X|S e conta com legendas em PT-BR.

História

Em Tails of Iron você joga com Redgi, um jovem rato principe dos ratos Carmesins. Um belo dia Redgi foi chamado por seu pai, o rei Rattus antigo herói da guerra contra o clã dos sapos. Ao chegar no salão real Rattus, conversa com o Redgi sobre o próximo herdeiro do trono. E afirma que o próximo herdeiro dos Carmesins será decidido através de um combate. Após uma batalha árdua Redgi sai vitorioso e se torna o próximo Rei dos Carmesins. Contudo, no meio da cerimônia Real, o ato mais terrível de todos acontece. O rei Rattus é morto por uma lança. O clã de sapos mais uma vez invadem o reino Carmesim, destruindo tudo a sua volta. Muitas horas depois Redgi se levanta e descobre que seus irmãos foram sequestrados e decide enfrentar o algoz Verruga Verde.

História Rattus

A história então acompanha Redgi, o jovem rei dos Carmesins, resolvendo os assuntos pendentes devida a enorme destruição deixada pelo Clã dos Sapos, viajando por todo o reinado, ajudando o seu povo que vem sofrendo enquanto resgata os seus irmãos.

A história toda é narrada por um ser (Mesmo Dublador do “Geraldão de Rivia” da série The Witcher) externo e omnisciente. Transmitindo uma história bem interessante enquanto narra parecendo um conto, dando detalhes do mundo e da violência em que os jogadores estão testemunhando.

Gameplay

Tails of Iron faz a junção de dois categorias de jogos diferentes (Metroidvania e SoulsLike). Trazendo uma gameplay divertida de se explorar e bem punitiva para os jogadores nos combates. Contudo, mesmo bebendo dessas categorias de jogos ele não se prende a eles.

Os combates são parecidos com Souls like mortais e cruéis. Todavia após o fim da batalha com um grupo de inimigos naquela área eles não dão respawn (salvo os insetos) parecendo mais um Beat’em Up e somente reaparecendo em missões secundárias ou nos eventos da história. A cura funciona como um item recarregável (suco de inseto), em que vai descendo gradualmente a medida que você vai usando para recuperar vida. Dando uma liberdade maior para o jogador escolher (Eventualmente os jogadores estarão recarregando ele) o quanto ele vai curar a medida que vai jogando.

A movimentação de Redgi é meio pesada e ele consegue usar uma esquiva quase que perfeita para desviar dos ataques inimigos, e contendo pulos meio que inconstantes, pois necessita de velocidade para pode pular longe. O mapa é interligado, igual a um metroidvania, contudo não são mapas gigantescos ou aleatórios e separados por áreas, possuindo ligação entre eles.

O jovem príncipe pode utilizar espadas (uma ou duas mãos), lanças, machados (uma ou duas mãos), arcos, bestas, etc. e pode equipar diversas armaduras diferente separadas em 3 categorias (Pesada, média e leve). Possuindo defesas e pesos diferentes para cada equipamento. Contudo, mesmo usufruindo de um vasto arsenal em suas patas, 90% das armas se comportam do mesmo jeito só mudando o peso e o dano delas.

O game também possui um pequeno backtracking, dando liberdade dos jogadores pegarem missões secundárias para ajudar os aldeões ou simplesmente comprar novos materiais de equipamento, etc.

Gráficos e Trilha-Sonora

Tails of Iron possui um visual cartunesco todo desenhado a mão. Transmitindo um toque bem legal ao game devido à quantidade de detalhes nos visuais. Abrangendo uma temática medieval ele traz nobres, camponeses, cavaleiros, etc. e apresentando o melhor e o pior daquela época com bastante sangue, tripas e sujeira (Ainda mais nas lutas).

Também possui cenários belos (e feios em paralelo), mostrando aos jogadores um reino prospero em ascensão e um devastado devido à invasão.

A música do game é ótima e contém ritmos alegres, tristes, raivosos e sempre há um bardo nas cidades para representar a música nela ou um sapo tocando um instrumento nas batalhas de chefe. Os personagens possuem sons de instrumentos (principalmente flautas) onde podem irritar um pouco o jogador e sendo a única voz presente a do narrador (Dublador de Geralt de Rivia).

Conclusão

Tails of Iron é um game surpreendente, bastante bonito ao seu todo e dispondo de um combate super divertido mesmo que seja difícil. Apesar de sua gameplay ser um pouco pesada em sua movimentação do personagem acredito que seja um ótimo jogo para os jogadores passarem um tempo nele.

Sendo um ótimo game para os fãs de Metroidvania e Souls Like, e mesmo tendo o preço um pouco salgado, para os jogadores mais casuais, é um ótimo game para se aventurar e pegar em uma promoção. O game tem uma duração de 6 a 8 horas de gameplay.

Tails of Iron ja está disponivel para PlayStation 5, PlayStation 4, Pc via Steam, Nintendo Switch, Xbox One e Xbox Series.

Essa análise de Tails of Iron segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação. A análise de Tails of Iron feita com uma cópia da versão de PlayStation 5 recebida pela produtora.

Tails of Iron

Visual, ambientação e gráficos - 8
Jogabilidade - 8
Diversão - 8
Áudio e trilha-sonora - 8

8

Ótimo

Tails of Iron mesmo acometendo umas pequenas gafes e sendo curto, consegue ser um game surpreendentemente divertido, bonito e envolvente, sendo uma ótima recomendação para um fim de semana para os amantes de jogos um pouco punitivos.

User Rating: Be the first one !

Botão Voltar ao topo