Análise: Far Cry 6 vai agradar aos fãs e novatos

Um retorno triunfal da franquia

Far Cry 6 é o mais novo jogo da famosa e badalada franquia da Ubisoft e você poderá conferir aqui em nossa análise tudo sobre o jogo sem nenhum spoiler.

Venha conferir o que irá encontrar na nação de Yara comandada por Antón Castillo, interpretado por ninguém menos do que Giancarlo Esposito (Breaking Bad, Better Call Saul e The Mandalorian) que já posso adiantar que dá um show de atuação e já se tornou um dos maiores vilões da franquia.

A análise de Far Cry 6 foi possível graças a um código cedido pela produtora. Far Cry 6 será lançado dia 08 de Outubro para PS5, PS4, Xbox Series X|S, Xbox One e PC (caso compre esta versão irá ajudar o Última Ficha) e conta com legendas e dublagem em PT-BR.

Él presidente!

Histórias clichês, porém, muito bem feitas

Sendo muito honesto, Far Cry não ficou famoso por seus protagonistas, mas sim por seus vilões. Enquanto eu poderia nomear os diversos vilões da franquia, eu honestamente não me lembro de nenhum dos protagonistas e essa regra também se aplica a Dani Rojas, a protagonista do jogo.

Dani é mais uma das pessoas que está sofrendo na mão de Antón Castillo, o ditador de Yara que usa de opressão, violência e manipulação da mídia para manter a ilha sob controle. Com isso, ele foca na produção e exportação de Viviro, o medicamento mágico feito do tabaco de Yara que cura câncer.

Dani se juntará ao grupo Libertad para acabar com a opressão de Castillo e trazer a democracia e paz ao povo sofrido da ilha que está sendo escravizado e forçado a trabalhar até morrer na produção de Viviro.

Felizmente posso dizer que tanto Esposito como Antón Castillo e os muitos líderes e pessoas influentes de Yara trazem vida ao jogo. De um lado temos uma atuação mais que profissional e diversos diálogos e posicionamentos de Castillo mostrando sua visão para Yara.

Já do lado da resistência temos as pessoas mais diferentes possíveis se unindo ou tentando ser convencidas por Dani Rojas a se unir à resistência. Ao longo da campanha, que dura cerca de 27 horas, iremos ver muitos momentos memoráveis e alguns tocantes sendo regidos pelo interessante plantel de personagens que possuem motivações e histórias próprias.

Por mais que tenhamos uma história clichê de derrubar um tirano do poder, é interessante ver os diversos tipos de grupos, acontecimentos e a fragilidade dos discursos até como um claro cansaço de muitos para combater o regime autoritarista. Além disso, eles colocaram Diego, filho de Castillo, como um jovem compreensivo que não aprova a conduta do pai mostrando que não existe consenso nem mesmo dentro de casa.

Far Cry 6 tem o gameplay mais completo da série

Entrando agora na parte da análise do gameplay, há muito o que ser falado de Far Cry 6. Antes de mais nada, é importante dizer que a Ubisoft está cada vez mais se utilizando de mecânicas de jogos antigos da franquia como de outras franquias em novos jogos. Ou seja, temos aqui diversas mecânicas do universo Ubisoft.

Um exemplo claro é de como a direção do carro, avião, helicóptero e de lanchas evoluiu. É bem mais divertido e prazeroso dirigir pelas ruas de Yara. Um destaque adicional vai para a utilização do Dualsense do PS5 que traz uma resistência nos gatilhos para simular o peso do carro. Quanto mais pesado um carro, como um tanque ou caminhão, maior a resistência.

Grande mapa de Yara

Aproveitando Far Cry 5, em Far Cry 6 temos o esquema de um mundo dividido em áreas. Cada área tem uma pessoa responsável e ela terá um tema, como por exemplo, a responsável pela propaganda do Castillo. As missões normais e temáticas serão focadas em exibição de imagem, como acabar com a farsa que é Castillo ou então como promover a Libertad.

Já Far Cry New Dawn também contribuiu com o gerenciamento de base e a câmera em terceira pessoa dentro delas. Em cada uma dessas três áreas, será possível ter uma base com os aliados da região e poderá construir até duas expansões que poderão melhorar sua pesca, alimentação, alojamentos, armas e mais. Adicionalmente, ao andar nessas bases, você passará para uma câmera em terceira pessoa. Só achei estranho não liberarem o pulo dentro da base que o faz andar mais do que deveria em certas partes.

E as duas grandes melhorias e diferenciais que vi estão focadas no crafting do jogo e também no esquema de RPG presente. Falando do Crafting, ele foi refeito e expandido. É possível mudar diversos modificadores das armas, assim como de seu carro. Customize a arma do seu jeito para ter mais poder, alcance, estabilidade e muito mais. Inclusive uma novidade são os supremos que causam não apenas um efeito devastador na área, como mudam os itens que você pode arremessar (granadas, molotov e mais) e também pode lhe dar algum poder especial como a espécie de um pulo duplo, por exemplo.

Agora abordando o esquema de RPG, Far Cry 6 tem uma frase que ficou presa na minha cabeça: “Ferramenta certa para o trabalho certo”. Isso é martelado em sua cabeça desde o início do jogo para que sempre escaneie os inimigos em um campo e que utilize armas que sejam fortes contra ele. Isso causa um tempo de preparação e consequentemente irá alterar a dificuldade com que fechará a missão.

Sondar a base antes de atacar

E como todos viram nos trailers do game, aqui nós temos parceiros animais que são chamados de Parça. Eles acabam sendo uma variação dos Gun For Hire de Far Cry 5 onde cada um tem uma utilização diferente. Não pense que todos irão atacar diretamente o inimigo. Muitas vezes um parça seu poderá distrair o inimigo facilitando o seu abate.

De resto, Far Cry 6 tem as mesmas mecânicas que vemos faz anos. Colete mil itens espalhados pelo mapa, faça as acrobacias mais inesperadas para completar uma missão, se arme até os dentes e entre que nem o Rambo em uma base inimiga ou então vá sorrateiramente e mate todos sem ser visto. Inclusive ressalto que completar uma missão sem ser visto é incrível.

E para fechar essa parte de jogabilidade desta análise de Far Cry 6, foi incluído um sistema de aumento de nível na ilha que reage às suas ações. Depois de um determinado tempo e caos instaurado na ilha, os ambientes ficarão mais perigosos acompanhando sua evolução e sempre proporcionando um desafio. Isso é algo muito bem vindo para manter o jogador sempre atento.

Missões infinitas

Eu já falei de como Far Cry 6 funciona e de sua jogabilidade e novidades. Porém, o que eu ainda não falei nesta análise é que Far Cry 6 traz muito conteúdo extra. Embora a missão principal seja finalizada em até 30 horas, caso queira fazer tudo o que a ilha de Yara lhe possibilita, tenho certeza que passará mais de 50 horas aproveitando o jogo.

Procure um tesouro e liberte um soldado da resistência

Por ser um jogo de mundo aberto, sempre será possível fazer mil missões secundárias. Existem as secundárias de maior importância como liberar seus parças animais, existem as histórias de Yara que também tem uma importância em evoluir tanto seu personagem como partes importantes de seus acampamentos ou então é possível fazer as pequenices como libertar pessoas aleatórias no mapa, caçar tesouros, invadir bases, correr corridas ilegais e muito mais.

Felizmente eu senti muito mais prazer do que cansaço ao fazer estas missões. No geral elas acabam não sendo tão enfadonhas visto que o gameplay do jogo está bem polido e divertido. E dessas missões quero destacar duas que para mim foram grandes destaques.

Street fighter de Galos!

A primeira é o Street Fighter de galinha. Sim, eu não estou delirando não. Existe uma rinha de galo em determinado momento do jogo onde será possível liberar diversos galos e utilizá-los para ganhar um campeonato. O estilo de luta é igual a jogos no estilo de Street Fighter e você precisará vencer dois rounds para ser o vencedor da partida. Existe o ataque fraco, forte, voador, esquiva e, por fim, o ataque especial. É simplesmente viciante ficar desbloqueando os galos e cair na porrada.

E não, não é possível soltar hadouken com os galos…

Olha o tamanho desse mapa!

Já a outra missão secundária que quero destacar é a Operação Especial. Nessa operação você irá para um mapa novo onde terá que chegar a um local especificado e capturar um item experimental e volátil. Porém, na volta, você deverá se preocupar em resfriar esse item além de cuidar dos inimigos. Esqueça a estratégia. Corra para a saída, mate os inimigos que passarem a sua frente e não deixe esse equipamento superaquecer e explodir. Essas missões podem ser jogadas tanto sozinho como com um amigo pela internet.

E existem muitas outras atividades para serem faladas, mas não vale a pena me estender muito aqui. Apenas faço uma nota que dentre as muitas atividades, uma delas será o envio de um líder e de rebeldes para uma missão onde te dará uma recompensa baseado em uma missão de tempo. O legal é que a recompensa não vem de modo automático, mas você deve tomar decisões em cada etapa da missão e decidir as recompensas, gastos e sucesso da missão.

Dando um rolê e ouvindo uma boa música

Trilha sonora de Far Cry 6 é de chorar

Agora que já exauri as mecânicas e história nesta análise de Far Cry 6, falta eu falar tanto de seus gráficos como de sua trilha sonora. Iniciando pela trilha sonora e áudio do jogo, eu achei ele virtualmente impecável.

Por estarmos em uma ilha no caribe, toda a trilha sonora é caribenha. Músicas licenciadas como Havana de Camilla Cabello ou então Oye Como Vá de Carlos Santana dão um toque extremamente animado no jogo e ditam o ritmo musical juntamente com outras músicas no mesmo estilo. Inclusive faço um breve adendo que quando você está dirigindo um carro e essas músicas tocam, a protagonista acompanha a música aumentando a imersão.

Além da trilha sonora licenciada, temos também ótimas músicas feitas para o jogo assinada pelo brasileiro Pedro Bromfman. Mais uma vez ela te coloca no clima ideal das missões e dos momentos impactantes.

E por falar em momentos impactantes, tenho que fazer um gigantesco destaque a uma das primeiras missões de Far Cry 6 onde você é colocado para queimar um campo de tabaco e é embalado pela música de resistencia ao facismo Bella Ciao, adaptado para o grupo rebelde! Aqui eu fiquei cantarolando Bella Ciao por três dias seguidos!

E além das músicas, o jogo conta com uma ótima dublagem em português. E muito felizmente, a Ubisoft teve o cuidado para em muitos momentos utilizar expressões em espanhol para aumentar a imersão.

Tá bonito ou não tá?

Gráficos de nova geração?

Saindo da trilha sonora e indo para os gráficos só posso dizer WOW! Far Cry 6 é lindo! É importante frisar que para os consoles de nova geração existe um pack de texturas HD que pesa um pouco mais de 20 GB e irá deixar o jogo deslumbrante.

Far Cry 6 está sim saindo para a nova e antiga geração e isso limita o jogo em algumas texturas, assim como rostos de NPC’s. Felizmente isso não tira o brilho dos visuais e da maravilhosa ambientação que temos em Yara.

Rodando a lisos 60 fps com resolução a 4K, eu me peguei admirando as lindas praias, selvas e até as cidades bucólicas que pararam no tempo neste jogo. É notório que Yara tem como inspiração a ilha de Cuba e a Ubisoft acertou em cheio ao trazer excelentes visuais caribenhos.

De perto vemos as limitações da antiga geração

Inclusive, isso me faz imaginar como será o jogo quando lançarem apenas para PS5, Xbox Series e PC sem as limitações da antiga geração de consoles.

Pequenas críticas a serem feitas

É verdade que estou elogiando e muito Far Cry 6 nesta análise, porém isso não quer dizer que o jogo é perfeito. Ao longo do jogo, duas coisas me irritaram.

A primeira foi a IA, que é um tanto burra. Muitas vezes eu via inimigos correndo em minha direção e passando direto. Era claro que o comando de andar até uma cobertura estava acima do atirar em mim, por mais que eu estivesse do lado dele. E teve uma vez que um inimigo foi checar uma movimentação estranha DE COSTAS! Claro que morreu com facilidade pela minha machete.

Bug divertido. Arrastei o inimigo por muito tempo

Além da IA que tinha seus momentos em que não colaborava, meus pets também não eram os mais inteligentes. Devo dizer que o seu primeiro parça, o Crocodilo Guapo, mais atrapalhava do que ajudava. Como ele é uma presença ameaçadora, portanto era comum ele deixar os soldados inimigos em alerta diversas vezes, estragando incursões mais sorrateiras. Felizmente não tive esse problema com outros parças que eram mais inteligentes.

Então já fica a dica, cuidado com o parça que irá escolher.

Por fim, vale destacar que o jogo possui sim alguns bugs. Não tive nada temível nem que acabasse com a experiência, mas fique atento a momentos inusitados e hilários. Inclusive é comum ver os carros nas ruas de Yara se comportando de maneira bem estranha.

Chorizo é fofo demais

Conclusão, Far Cry 6 é um jogaço

Devo dizer que Far Cry não é minha franquia favorita da Ubisoft, embora eu tenha jogado todos desde Far Cry 3. Muito felizmente posso dizer que esse é possivelmente o melhor Far Cry nos últimos anos e que irá rivalizar com o tão amado Far Cry 3.

Aqui temos um excepcional vilão trazido à vida por Giancarlo Esposito em uma excepcional performance. Os personagens que encontrará ao longo de sua jornada são memoráveis e levantaram alguns ótimos questionamentos vindo de seus pontos de vista, por mais que estejamos falando de uma história clichê.

Tanto o visual quanto a parte sonora é algo que acertaram em cheio trazendo uma imersão indescritível. E claro, temos uma jogabilidade extremamente divertida e competente que tem elementos de vários jogos da franquia como de outras franquias pertencentes a Ubisoft.

Em suma, Far Cry 6 é Fantástico e a diversão é garantida. Os problemas são pequenos e passageiros e o desafio é justo e bem vindo. Uma compra mais do que certa para os fãs e amantes desse estilo de jogo.

Comprando o FAR CRY 6 nos links abaixo você ajuda o Última Ficha!

Essa análise segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação. E sabia que pode conferir esta análise em nosso site em Espanhol? Confira aqui!

Far Cry 6

Visual, ambientação e gráficos - 9.5
Jogabilidade - 8.5
Diversão - 9.5
Áudio e trilha-sonora - 10
História e personagens - 9

9.3

Fantástico

Far Cry 6 engloba um conjunto de mecânicas e ideias tanto da franquia como de outras franquias da Ubisoft trazendo o jogo mais completo do mundo Far Cry até o momento. Embora ele não seja revolucionário, ele executa tudo de forma extremamente competente e irá divertir todos jogadores.

User Rating: 4.5 ( 1 votes)

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo