Análise: New World tem potencial para ser gigante

A primeira grande incursão da Amazon na indústria de videogames, o MMORPG New World, enfim chegou ao público após dois atrasos por problemas no desenvolvimento. Após alguns períodos de Beta fechado e aberto, New World deu um salto de qualidade que, apesar de ainda não torná-lo um grande jogo, conseguiu apontar um bom futuro. Talvez o título venha a competir com os grandes nomes do gênero como World of Warcraft. Essa análise / review de New World não se difere muito do preview que fizemos do Beta fechado (vídeo abaixo), mas certamente contém novas informações que podem ser decisivas para sua escolha de entrar ou não no mundo de Aeternum.

Visuais e ambientação de New World

Enquanto a maioria dos RPGs tende a usar o cenário da Europa medieval, a equipe de New World optou pela estética dos mosqueteiros do século 17 e misturou no pacote a Era das Expansões Marítimas. Não é à toa que o jogo é chamado de New World, ou seja Novo Mundo.

O jogo acertou nesse aspecto. Seu mundo consiste em mapas enormes cheios de ambientes ricos e detalhados, todos precisamente projetados com um frescor no ar. Personagens e equipamentos também são bem desenhados para se adequar à estética escolhida e tudo isso contribui para a originalidade do jogo. Mesmo a falta do minimapa é justificada pela narrativa já que você tem uma bússola no topo da tela para ajudá-lo, bem na pegada da época. Tudo isso se agrega, para que você não sinta que está jogando o mesmo MMORPG de sempre. E isso é algo que acontece com frequência quando novos títulos do gênero são lançados.

Veja Mais

Por outro lado, ainda temos muito poucas variações de inimigos, especialmente os animais e os perigos naturais. E acredite em mim, você vai enfrentá-los com frequência devido ao design das missões secundárias – falarei sobre isso logo mais.

Ao contrário da maioria dos MMORPGs tradicionais, que conta com uma paleta de cores saturadas fazendo um destaque claro e evidente a cada região do jogo, New World opta por uma ambientação mais sombria, com cores mais mortas e apagadas. Em um primeiro momento, isso pode soar um pouco repetitivo, mas basta se afastar das quatro zonas iniciais para que cada região tenha claramente uma estética única. Isso se tornou mais evidente após alguns ajustes entre as versões Betas e a final, dando acabamentos de cenário para cada parte desse misterioso continente.

Felizmente, senti uma melhora significativa entre as versões Beta e a final no quesito performance. Enquanto meu PC sofreu um pouco para rodar o game nos Betas, estou executanto ele sem muito sofrimento agora na versão final, inclusive streamando da mesma máquia sem problemas. Lembrando aqui que meu PC é mediano. Ou seja, a equipe conseguiu fazer com que os requisitos mínimos trabalhem de fato para possibilitar a jogatina. Contudo, cidades mais cheias, como Queda Eterna e Guarda Ventos ainda reservam um FPS mais baixo até para placas de ponta como RTX 3080.

Design geral de New World

Personagens e Combate

A primeira diferença significativa de New World contra seus concorrentes é seu sistema de criação de personagens que não é limitado às classes. Dessa forma, o jogo te oferece a oportunidade de seguir seu trajeto conforme desejar. Você pode combinar os pontos de habilidade do personagem e os das armas com muita flexibilidade. Dessa forma, você pode usar armas brancas, arcos, armaduras, bastão de magias e armas de fogo. O que vai decidir se seu personagem é bom em qualquer uma dessas armas é como você combina seus pontos de habilidades e o quão proficiente você é com cada uma delas. E sim, existe uma maneira de redefinir seus pontos de habilidade e você pode adaptar seu personagem conforme o jogo evolui.

Liberdade é a palavra-chave – Review de New World

O combate voltado para a ação também foi uma boa decisão de desenvolvimento. Isso adicionou outra camada de originalidade ao gênero já tão batido. No entanto, tenho que admitir que o combate no New World permanece um pouco superficial, apesar dos ajustes pra versão final. Algumas habilidades das armas têm muito pouca distinção entre si, a maioria são meras animações diferentes com adições de porcentagem ao ataque ou à defesa. O mesmo se aplica ao sistema de atributos do personagem. Ou seja, tudo é muito simplista e força todo o resto do jogo ao mesmo padrão superficial. Isso afeta o combate diretamente, pois você não terá muito espaço para diferentes abordagens e estratégias, as famosas builds – principalmente no que tange o PvP.

Durante o Beta, eu senti que as animações estavam muito engessadas e, apesar da evidente melhoria pra versão final, o jogo ainda carece de uma fluidez definitiva. O quesito furtividade, infelizmente é atrelado aos itens e o quanto de agressividade você exala para os inimigos. Eu preferia que tivessemos algum esquema de furtividade que dependesse da habilidade do jogador e seu posicionamento.

O bloqueio também foi melhorado, mas ainda sinto que há uma boa margem para ajuste, principalmente no PvE. Você perde fôlego muito rápido e se sua guarda for quebrada (quando chega a 0), você fica totalemente rendido. Ou seja, sem poder bloquear, correr, ou esquivar-se. O equilíbrio entre esquivar e bloquear é, portanto, bem desafiador de ser alcançado, especialmente lutando contra muitos inimigos ao mesmo tempo.

Criação, sobrevivência e missões de New World

O sistema de criação de itens é simples, mas eficiente. Você ganha nível em cada habilidade de artesanato executando-as repetida vezes. Isso é bom já que você não precisa gastar as mesmas habilidades que você usa na progressão do combate. Por outro lado, esteja preparado ou preparada para gastar muito tempo criando coisas aleatórias e farmando recursos apenas para aumentar o nível de cada um dos tipos de criação: Armadura, Arcana, Culinária, Engenharia, Mobiliário, Joalheria e Armas.

Para evoluir no sistema de criação, você precisará elevar o nível de suas habilidades de coleta também porque você precisa de materiais da natureza para criar todos esses itens necessário para evoluir. Portanto, às vezes você vai se aventurar apenas com o objetivo de coletar o máximo de material possível, no melhor estilo dos jogos de sobrevivência. Felizmente, você pode obter ferramentas melhores que agilizam o trabalho de conseguir materiais, além de coletar mais rapidamente conforme sobe seu nível de coleta.

Grind e mais grind? – Análise de New World

Muitos jogadores reclamaram de grindar nesses dois aspectos do jogo. No entanto, uma vez que ambos são quase simbióticos, pelo menos você tem um propósito para nivelar todas essas habilidades. Além disso, conforme sua habilidade de coleta aumenta, você também ganha a habilidade de detectar materiais valiosos ao seu redor pela bússola/minimapa. Conforme sua habilidade de criação de itens aumenta, você obtém acesso às novas receitas e à possibilidade de adicionar extras aos itens – gemas ou poderes especiais.

Eu gostei de ambos os sistemas, pois a liberdade de poder focar no que você quer é fantástico. E se você não quiser também, tá de boa, arranje dinheiro e compre de outros jogadores. Conheci gente que só evoluiu farmando recursos, criando e vendendo itens, ficaram milionários. Outro bom detalhe é que muitas missões exigem que você simplesmente colete materiais, com isso você pode aproveitar para subir as habilidades de coleta junto com a progressão do personagem.

Missões secundárias de New World

Porém, por mais que pareça uma coisa boa misturar a evolução dos dois sistema, é bom salientar que o sistema de missões secundárias de New World é um dos aspectos mais repetitivos do jogo. Quase todas as missões secundárias são:

  1. Missões de coletar material
  2. Elimine o inimigo X dezenas de vezes
  3. Mate um chefe específico em um determinado lugar

Para piorar, o jogo ainda não possui nenhum tipo de veículo ou montaria, então prepare-se para caminhar por muito, mas muito tempo, para chegar a cada destino.

Economia, zonas e mapas

Você pode se teletransportar para algumas áreas que já visitou, e isso economiza tempo. Mas para fazer isso, você precisa gastar uma das moedas do jogo, o que nos leva a um aspecto muito controverso do New World, sua economia. Lembre-se de que estamos falando de um jogo produzido pela Amazon, então a economia do game é basicamente o capitalismo no seu melhor (ou devo dizer o pior?).

Essencialmente, tudo o que você faz, você tem que gastar ouro. Você criou um item? Pague. Você usou a casa de leilões? Pague. Você derreteu alguns minérios? Pague. Você quer se teletransportar para outra área? Pague uma moeda específica que é ainda mais difícil de adquirir do que as peças de ouro do jogo. Tem imposto em todos os lugares e em todas as atividades. Prestar atenção nisso é primordial caso você queria fazer um patrimônio robusto dentro do game.

Existem algumas maneiras de amenizar essa barreira financeira. Você pode subir de nível em cada região. É um sistema particular dentro do New World, onde você ganha alguns bônus em cada área ao completar algumas conquistas. Um dos bônus possíveis é diminuir os impostos da zona; outros são ganhos de XP aumentados, velocidade de coleta diminuída, etc. Outra maneira de enfrentar os impostos abusivos é ajudando sua Facção a obter o controle do território.

É aqui que o New World realmente brilha

Um incrível sistema de controle de zonas e seu sistema de facções. O jogo funciona em territórios disputados por três facções, o Sindicato (Syndicate), os Saqueadores (Marauders) e Aliança (Covenant). Cada um com uma razão e um histórico específicos para se juntar à batalha, nenhum com propósitos unicamente bons ou maus, a escolha é difícil se você considerar apenas a narrativa do jogo. No entanto, a opção é mais fácil se você quiser jogar em um “modo fácil”. Basta olhar no mapa qual facção controla as regiões que mais te interessam no jogo. A primeira troca de facção é grátis, portanto é válido entrar na facção que domina os locais de nível mais baixo e, no futuro, trocar para facção que mantem os territórios mais avançados.

Sendo assim, cada facção que controla um assentamento em um território decide quase todos os aspectos de sua economia. Por exemplo, impostos aplicados ao uso da casa de leilões e uso das estações de criação de itens da cidade. Ou seja, basicamente o quanto você precisa pagar para sobreviver em New World. A facção responsável também decide em quais projetos de cidade vão trabalhar. Esses projetos controlam qual nível das estações de criação de itens a cidade vai ter, quais defesas vai colocar em prática etc.

Por fim, uma facção pode declarar guerra e disputar o controle de outra facção sobre um território. E esta é a cereja do bolo do New World. A batalha é uma grande disputa de 50 vs 50 e é vencida ao capturar ou defender com sucesso o Forte do Território. A facção atacante deve romper os portões do forte e conquistá-lo, enquanto a facção defensora precisa evitar isso, claro. Várias coisas influenciam aqui, como armas de cerco, plataformas e geradores. Ou seja, todos a serem usados ​​para aumentar o nível da resistência da Facção defensora. É puro caos e muito, MUITO divertido de jogar.

Expedições – Análise New World

Junto aos sistemas de PvP diveridos, temos também os sistemas de PvE em grupo, as famosas Dungeons, ou Raids, ou qualquer outro nome que você já conhece. Em New World elas se chamam Expedições. São incursões em masmorras para até cinco jogadores. Elas são muito bem trabalhadas e seguem a narrativa local de forma bem eficiente. Cada uma possui visual próprio além de inimigos e tesouros diferenciados, que exigem mecânicas e estratégias únicas por parte dos jogadores.

Infelizmente a formação de grupos para as expedições ainda é meio caótica e manual. Não há nenhum sistema que ajude a encontrar gente para fechar um grupo. Pelo contrário, é necessário ficar mandando mensagens no chat até encontrar gente disponível, a partir daí uma pessoa monta o grupo e vai convidando os que se disponibilizaram. Quem sabe em breve as coisas melhorem nesse sentido.

Veredito

New World é bem divertido e tem muito potencial. Principalmente para aqueles (como eu) que procuram algo diferente do que apenas correr atrás de loot em algum mundo medieval genérico. Apesar de adorar a liberdade e a possibilidade de subir de nível quase tudo, também senti que o charme se vai rapidamente à medida que as atividades se tornam repetitivas. Felizmente, o sistema de controle de zona, facções e o PvP nos presenteia com um molho extra e suficientemente cativante para te estimular chegar aos níveis finais do jogo.

O game mudou seu design geral e sua mecânica muitas vezes ao longo do desenvolvimento, e essa pode ser a raiz de alguns dos problemas que ainda presistem. Por outro lado, New World custa apenas R$ 75,49 na Steam, ou seja muito abaixo do que os competidores que custam o preço de um lançamento padrão ou cobram mensalidades bem salgadas. Além disso, o jogo possui legenda e dublagem em Português do Brasil. Espero que esta análise de New World possa te auxiliar a decidir se investe ou não no jogo.

New World tem muito potencial

Visual, ambientação e gráficos - 8
Jogabilidade - 7.5
Diversão - 8
Áudio e trilha-sonora - 7.5
MMO (PvP, PvE etc.) - 8.5

7.9

No caminho certo

Após alguns períodos de Beta fechado e aberto, New World deu um salto de qualidade que, apesar de ainda não torná-lo um grande jogo, conseguiu apontar um bom futuro. Talvez não demore para o título vir a competir com os grandes nomes do gênero como World of Warcraft e Final Fantasy XIV.

User Rating: Be the first one !

Ricardo Carvalho

Gosto muito de escrever, desenhar, de me frustrar com política, de filosofar no barzinho, assistir filmes e defender que games são arte! Me segue no twitter que eu sigo de volta, beleza? twitter.com/perfilricardoc Beijos e boas jogatinas!
Botão Voltar ao topo