Análise: Lost Ark é o MMORPG que renova a tradição

Sabe a descrição de over? É uma gíria gamer bem comum, por exemplo over power (OP), é algo roubado, que está muito acima dos outros. Lost Ark é over, tá muito acima. Não estou entrando no mérito de sua qualidade ainda, chegarei nessa parte mais para frente. Mas quase tudo ao redor e por dentro de Lost Ark é over. Com esse traço típico das obras do sudeste asiático, Lost Ark nos apresenta personagens exageradamente parrudos, com armadura além da conta, armas grotescas que desafiam as leis da física em um mundo repleto de bizarrices que variam do medieval mágico à tecnologia de ponta. Ou seja, over. E existe algo mais MMORPG que ser over? Não! Essa é só uma das razões pelas quais eu gostei do jogo. Entenda melhor os porquês desse game ser bom nessa análise (review) completa de Lost Ark.

Este review de Lost Ark foi feito com um código de acesso antecipado oferecido pela distribuidora do game e segue nossas diretrizes internas.

Criação de Personagens

Após a longa instalação e início lento (instale em um SSD, caso contrário chore), de cara recebemos uma tela de criação de personagem bem completa. Digo isso, pois está muito à frente de grandes nomes do mercado, inclusive o mais recente New World também da Amazon. Aqui podemos dar cara ao nosso char com tudo que você possa imaginar, cabelos, cor dos olhos, pele, movimentos etc. Contudo, além de praticamente só vermos o personagem de cima por se tratar de um clássico RPG com visão de cima, a skin quase não muda com muitos dos itens disponíveis no jogo. Por outro lado, se você liberar seu cartão de crédito e comprar skins na loja do jogo, você pode até assumir o visual de um pombo dourado.

As quatro classes do jogo Warrior, Martial Artist, Mage e Assassin contam com duas a quatro subclasses cada, ou seja, são quinze classes na prática. Portanto, você não vai ter dificuldade em achar um estilo de jogo que te agrade dentro de tantos caminhos possíveis. Se você gosta de magia, tem opção. É mais pra tanker? Tem também. Tiro a distância ou nem tanto? Que tal ficar muito longe do combate? Ou seu caso é um DPS sinistro, mas exposto a todo tipo de risco? Absolutamente qualquer estilo de jogo é bem-vindo em Lost Ark. Sem contar ainda todas as variedades dentro de cada subclasse. Isso porque o jogo te dá opções através de diferentes armas que você pode optar por usar com cada personagem, quase um esquema de stance em jogos de luta atuais.

Combate de Lost Ark

Com isso, aproveito o gancho das abordagens de estilo de jogo para falar do ponto alto de Lost Ark, seu sistema de combate. O jogo combina o que há de melhor dos MMOs e ARPGs tornando tudo ainda mais interessante. Enquanto muitos MMORPGs ficam na mesmice de sempre de clicar em um inimigo e ficar batendo e batendo sem parar, Lost Ark traz um esquema muito mais dinâmico. A opção foi por algo parecido com o que vemos em MOBAs como LoL, uma liberdade de movimento e de uso de magias e habilidades incrível. Tudo isso torna o combate agradável em todos os níveis de personagem e de diferentes tipos lutas. Portanto, tanto em níveis baixos em PvE ou em altos níveis em PvP, o jogo te recompensa. Ao longo da jornada, você não sente nada fácil demais, porém nem difícil tampouco.

Essa variedade de combate que o jogo oferece é recompensadora tanto no PvE quanto PvP, onde a expertise em combinar suas habilidades com teclado e mouse vão fazer toda a diferença. É fácil de começar, mas difícil e divertido de se especializar. Quem tem mais habilidade vai se sair melhor, quem tem mais experiência vai conseguir combar de forma mais efetiva, assim por diante. Portanto, é fácil dizer que Lost Ark faz com seu combate o que todo jogo deveria. Acessível, porém complexo. Tudo isso se completa com um arsenal de itens de combate, como bombas, venenos, armadilhas, itens de uso único etc., além de uma infinidade de poções para diversos usos, abrindo ainda mais o leque de combinações dos itens entre si e com as builds dos personagens.

Game Design

Enquanto o combate de Lost Ark consegue melhorar fórmulas já conhecidas pelo público, o Game Design, contudo não é tanto o caso. A maioria esmagadora das quests são de ‘fale com o NPC tal, leve o item ao NPC fulano, ou encontre NPC siclano no lugar X’. Resumindo, assim como quase todos os MMORPGs desde que o mundo é mundo. Por outro lado, Lost Ark compensa do seu jeitinho. O trajeto das quests secundárias tendem a otimizar seu tempo em relação às missões de história, além da quantidade massiva de conteúdo (vou tratar mais abaixo) o que faz com que essa repetição toda não seja dolorosa.

Apesar dessa otimização de quests e conteúdo, em fóruns na internet alguns jogadores reclamaram que evoluir de nível é muito lento, eu já discordo. Isso porque Lost Ark claramente escolheu favorecer quests (principalmente as de história) em detrimento de grind (ficar matando monstros eternamente). Eu particularmente achei essa uma decisão extremamente acertada, pois não vejo mais razão para grind em nível baixo em pleno 2022. Se você busca tempo para matar com seus amigos, foquem no end-game, onde Lost Ark também entrega com nota 10. Há uma tonelada de conteúdo e opções para o end-game que você pode dividir com seus camaradas. Além disso, quase ninguém mais joga nenhum game só pelas mecânicas de combate e sociais, os tempos atuais exigem uma história bacana.

Veja Mais

Aliás, falando em opções end-game e história, Lost Ark tem muito, mas MUITO, conteúdo. E muitos deles precisam de tempo para serem desfrutados. Como exemplos rápidos: um sistema de relacionamentos com NPCs onde você aprende e toca músicas para eles/elas, ou opta por dar presentes, usar emotes e fazer até mesmo favores. Há um sistema de animal de estimação (Pets) que te seguem pela aventura. No início é apenas um coelho branco que pega itens, tem inventário próprio e fornece acesso a correio e reparos, mas mais além há muitas capacidades, além de skins divertidíssimas para dar uma cara única ao seu Pet. Além desses, temos aqui os clássicos sistemas de trocas, pesca, mineração e animais e veículos de transporte. Soma-se ainda cartas, glossário interativo, segredos, troféus, masmorras, raids, a lista simplesmente não acaba!

Eu diria que para usufruir tudo que Lost Ark tem a oferecer, você precisa de algumas muitas centenas de horas. É um prato cheio para divertimento e desafios diversos. O lado bom é que tudo isso é recompensado de alguma forma, ou seja, você não vai ficar fazendo grind em cada um desses sistemas à toa. Até mesmo o fator replay com outras classes é válido, já que agregam bônus à toda sua “equipe de personagens”. A crítica para tudo isso fica só para o fato de que novos jogadores podem ficar saturados com tanta informação na tela em tão pouco espaço de tempo. Por isso, se for jogar, vá com calma leia tudo devagar e vai entendendo o jogo aos poucos.

Visuais incríveis

Para empacotar tanto conteúdo, Lost Ark também não decepciona no quesito visual mesmo se mantendo acessível. Os gráficos do jogo são lindos e bem otimizados, até mesmo para as batalhas recheadas de dezenas (ou centenas?) de inimigos. Aliás essas batalhas recheadas, tão comuns em jogos asiáticos, está obviamente presente aqui. Meu PC bem mediano sustentou tudo bem acima das opções médio, ou seja, jogar nas configurações baixas faz rodar em qualquer máquina de entrada dos dias atuais (e até em algumas datadas). Senti só que as cutscenes dão uma piorada no desempenho, o que é curioso, já que são cenários mais controlados pelo processamento do game.

Para além do sistem de combate polido e divertido, as lutas são um deleite também para os olhos. Recheadas de efeitos especiais para cada uma das específicas habilidades e/ou magias das 15 diferentes classes, os combates são visualmente divertidos e belos. Sem contar toda a parafernalha dos inimigos de nível mais alto que também preenchem as telas com suas próprias firoulas. É válido admitir que às vezes ficamos confusos com tanta coisa na tela? É claro, mas é de se esperar de uma estética onde uma menina magra carrega uma Sniper três vezes o seu tamanho como se fosse a maior simplicidade do mundo. Tudo em Lost Ark é over e isso é muito divertido.

História de Lost Ark

Bem, a história também não é um grande ponto em Lost Ark. Assim como na maioria dos MMORPGs, ela é bem direta ao ponto. Uma ambientação pregressa sobre deuses que protegem os mundos do jogo e sobre uns remanescentes mágicos (arcas nesse caso) que foram criados para manter um delicado equilíbrio (leia-se uma prisão contra um demônio ancestral). Basta só encaixar os nomes dentro de cada caixinha e a trama tá pronta. Ou seja, é fácil de ver semelhanças com outros jogos. Contudo, isso não é necessariamente ruim.

Isso porque durante a busca pela arca perdida que poderá evitar uma grande catástrofe como no passado, temos um texto bem escrito e divertido (pelo menos nas quests principais). Mesmo seguindo uma receita comum, o roteiro do game é bem elaborado e usa bastante do conteúdo do jogo como parte de história principal. Isso é algo sempre bem vindo em MMORPGs, principalmente um com tanto conteúdo. O mais interessante, na minha opinião foi que os diálogos mais legais da missão principal foram os que eu presenciei durante dungeons. Isso é um ponto alto haja vista que você não fica só no grind durante a dungeon e tem o desenvolvimento de história junto de personagens extras. Esse equilíbrio torna tudo muito mais interessante.

Uma gostosa salada mista

Se você não é fã de MMORPGs, mas busca um para conhecer, é uma boa ideia também já que o game está começando agora e não parece ter muitos recursos de pagar para ganhar. Além disso, como tem muito conteúdo, você não precisa focar em um único estilo de jogo e ainda tem a liberdade de só seguir a história também que, apesar de não ser muito original, está bem desenvolvida. Contudo, caso você realmente não goste de MMORPGs, pode passar adiante, pois não há aqui nada que te convença.

Para os fãs de MMORPG, Lost Ark é um prato cheio. Ele quebra com a vibe recente de RPG em terceira pessoa e dá um salto no tempo para os tradicionais RPGs com visual de cima (top-down). As teclas AWSD são substituídas de volta pelo velho apontar e clicar. Mas isso tudo, que poderia assustar novos jogadores, foi a melhor escolha possível na minha opinião, já que o jogo retoma as fórmulas antigas e as renova de um jeito primoroso. Sendo assim, temos um bom equilíbrio do tradicional com o novo, elevando o potencial de público do game. Por fim, eu quero destacar de novo que Lost Ark faz um trabalho excelente no ponto mais importante em um MMO: o combate.

Um estilo diferente, mas um jogão!

Visual, ambientação e gráficos - 8.5
Jogabilidade - 9
Diversão - 8
Áudio e trilha-sonora - 9
Conteúdo, Game Design e MMO - 9

8.7

Excelente!

Em um gênero saturado, voltar às origens pode parecer arriscado. Contudo, Lost Ark faz isso com primor, melhorando o que é tradição, aperfeiçoando novidades e entregando muito estilo.

User Rating: 2.5 ( 2 votes)

Ricardo Carvalho

Gosto muito de escrever, desenhar, de me frustrar com política, de filosofar no barzinho, assistir filmes e defender que games são arte! Me segue no twitter que eu sigo de volta, beleza? twitter.com/perfilricardoc Beijos e boas jogatinas!
Botão Voltar ao topo