Análise: LG UltraGear GP9

LG UltraGear GP9 mostra-se mais do que uma "caixinha gamer com RGB", mas super overpriced

Produtos gamers estão em todas as áreas. Headsets foram tomados por linhas gamers. Depois disso vieram caixas de som e soundbars, com RGB, aparência agressiva e, no geral, péssima qualidade sonora, que é o que importa. Quando a LG anunciou a UltraGear GP9 eu fiquei extremamente cético. De cara eu pensei “mais uma caixa de som gamer colorida de baixa qualidade, só que dessa vez com um preço ultra premium”. Fico feliz em ter errado, pelo menos parcialmente. Vou te contar mais nessa análise da LG UltraGear GP9.

Esta análise só foi possível graças a uma unidade da LG UltraGear Gaming Speaker GP9 enviada pela LG. A LG só estará vendo a análise assim que for publicada, junto com vocês, leitores do Última Ficha.

A promessa da LG com a GP9 é levar a experiência de jogar no PC para um outro patamar. Sim, ela pode se conectar a consoles, TV’s e outros dispositivos. Mas o foco é o PC gamer. O marketing veio pesado, com a LG tentando mostrar ao máximo algumas características, como:

  • Hi-Fi Quad DAC
  • Som 3D
  • DTS Headphone X
  • Hi-Res audio
  • Otimização para FPS e RTS
  • Surround 7.1
  • Primeira caixa de som do mundo com chat de voz (está no material da LG)
  • Microfones com clear voice e cancelamento de ruído
  • Iluminação RGB
  • Até 5 horas de bateria

Olhando assim, dá até pra defender o preço sugerido no lançamento de R$3.999,00, certo? Ou talvez o preço atual, direto do site da LG, logo após o lançamento, de R$2.849,05 à vista. Errrr… o desconto vai ter que ser maior.

DESIGN E CONSTRUÇÃO – Análise LG UltraGear GP9

Toda de plástico, pesada, com construção bem sólida e aparência gamer. Esse seria o resumo do design e construção da LG GP9. Todo o corpo externo da caixa de som é em plástico, com acabamento fosco e cor preta. Mesmo toda em plástico, não há flexão no material, sendo uma construção bem caprichada, o que se espera para um produto deste preço.

O formato da caixa é bem diferente de uma JBL ou XBOOM, sendo uma espécie de trapézio, onde a base maior fica virada para você. Isso é bom, pois vai se acomodar entre os pés de quase todos os monitores do mercado, casando bem com o setup.

A caixinha por si só pesa praticamente 1,5kg e possui bateria integrada. Se considerar o carregador e o cabo de energia, o produto ganha mais algumas gramas. Falando em bateria, segundo a LG, a duração dela é de 5 horas, com volume em 50% e luzes desligadas. Luzes?

Sim, luzes. A LG UltraGear GP9 conta com iluminação RGB, que aparece em seu logo frontal e na grelha dos speakers frontais. Há iluminação também em todos os botões presentes na caixinha, sendo eles: ligar/desligar, conexão ativa no momento, headset ativo/desativado, microfone ativado/desativado, perfil de RTS, FPS e EQ.

O design em formato de trapézio, a cor preta fosca, iluminação RGB e o logo UltraGear da LG dão uma aspecto bem gamer a caixa de som. E isso não é ruim, pois o foco dela é esse. Ela funciona como uma JBL/XBOOM da vida (falarei mais sobre lá na frente), mas o foco da LG é proporcionar uma experiência de áudio gamer diferenciada. Se você já tem periféricos gamers, com RGB, como teclados e mouses, a caixinha vai se encaixar perfeitamente no setup.

Um pequeno aviso: a iluminação é RGB, mas o efeito não. Pelo menos pelo app LG XBOOM só é possível escolher a cor e a intensidade da iluminação. Nada de efeito rainbow, infelizmente. LG, adiciona isso vai!

CONECTIVIDADE – Análise LG UltraGear GP9

A GP9 possui 3 tipos de conexões para funcionar como um speaker: bluetooth, USB e óptico. Aproveitando que citei entrada USB (tipo C) e óptica, vou completar dizendo que ela tem uma entrada de energia proprietária, um botãozinho de reset (daqueles que você aciona com um alfinete), uma auxiliar P2 e uma P2 dedicada para fones de ouvido. Todas as entradas ficam protegidas por uma tampinha, exceto a P2 dedicada para fones de ouvido.

O cabo que acompanha a caixa, é USB-C para USB-A. É o ideal para você usar no seu PC ou notebook. Além desse cabo e do carregador, temos um núcleo de ferrita. Tive que pesquisar o que era, confesso. Ele resumidamente serve para você usar em cabos que vão se conectar a outros dispositivos, diminuindo a interferência. Muito bacana a LG incluir um núcleo de ferrita no pacote.

A entrada dedicada para fones de ouvido permite que você altere entre o seu fone e a caixinha de som diretamente pelo botão dedicado para headsets/headphones. Além dessa funcionalidade, através dela você consegue suporte de áudio 7.1 através do DTS Headphone: X.

Você pode ainda usar a entrada óptica em consoles da geração passada (PS4 e XBox One) ou na sua TV, caso ela tenha conexão. Bluetooth também funciona com seu smartphone, por exemplo. Durante todo o meu teste usei ela via USB no PC e bluetooth no meu smartphone. Simulando o uso majoritário que eu enxergo para usuários dela.

QUALIDADE DE SOM JOGANDO – Análise LG UltraGear GP9

Surpreendente. Quando eu soltei a matéria anunciando o lançamento do produto, achei que seria um caça níquel gamer caríssimo. Eu já disse em outras análises, adoro quando um produto quebra a minha cara. A sensação de imersão e preenchimento no meu quarto com a LG GP9 superou diversos fones que eu já analisei, até dos mais caros com várias certificações.

A divisão das diferentes coisas acontecendo nos jogos é fabulosa. Jogos com trilha sonora, falas, sons do ambiente e outros barulhos, tudo fica muito bem dividido, claro e fácil de captar. Mesmo eu, que não tenho ouvidos treinados, não sou dos mais exigentes em termos de áudio, fiquei muito surpreso com a divisão de diferentes sons que a GP9 consegue reproduzir simultaneamente, de forma que eles não se misturam.

Mesmo sem um subwoofer dedicado, até porque a GP9 é muito mais uma caixa de som bluetooth do que uma soundbar, os baixos estão presentes e encorpados. Na minha mesa, de madeira, eu consigo sentir vibrações mesmo em volumes baixos. É algo não pensado, mas que complementa a experiência. Explosões e pancadarias em jogos, fazem com que eu literalmente sinta os impactos nos braços apoiados sobre a mesa.

Vale lembrar que toda a minha experiência jogando foi via USB, para tirar o máximo proveito do que o produto tem a oferecer, sem perdas que uma conexão bluetooth tem. Antes de fechar o desempenho em jogos, eu citei que existem botões dedicados para o perfil de som RTS e FPS. Eles não são ruins, mas ainda prefiro o padrão para qualquer tipo de jogo.

QUALIDADE DE SOM OUVINDO MÚSICA OU VENDO CONTEÚDO – Análise LG UltraGear GP9

Fica muito claro que a LG UltraGear GP9 foi pensada para oferecer uma experiência gamer diferenciada. Fazendo isso, todo o resto fica pra depois. Claro que uma caixinha com bateria integrada e potência que ela oferece vai ser usada para músicas, por exemplo. Mas se seu foco ou grande parte do seu uso vai ser com músicas, pense duas vezes antes de optar pela GP9. Olhando o preço, pense dez vezes.

Lembra que eu falei que sinto as vibrações na mesa? O que mais me frustrou é, que mesmo vibrando em volumes baixos, o baixo não está encorpado nas músicas. Os falantes na parte de trás vibram e muito (confira eles no nosso Reels!), mas as músicas carecem de baixos fortes. Músicas eletrônicas e alguns raps sofrem com essa carência.

Já para vídeos no Youtube e filmes/séries nos streamings, ela se saiu muito bem. O som é muito bem distribuído pelo ambiente, assim como nos jogos. Não compete com uma soundbar, mas manda bem melhor que uma caixa de som bluetooth comum.

Ou seja, se você quer uma caixa de som RGB com foco para músicas, fique no time que tá ganhando, como uma JBL Pulse 4 da vida, que em promoção aparece direto abaixo dos mil reais, bem abaixo da GP9.

MICROFONE EMBUTIDO E APLICATIVO LG XBOOM

Uma feature muito divulgada pela LG é a possibilidade de usar a caixa como um headset, mesmo. Ela possui microfone embutido. O mesmo possui cancelamento de ruído. Aqui eu não tive surpresas, esperava um microfone ruim, e é o que ele é: ruim. O cancelamento de ruído é competente, não reproduzindo minha TV ao fundo e não dando retorno para quem estava comigo no Discord. Inclusive achei surpreendente não vazar absolutamente nada da comunicação e da jogatina para o Discord.

Por outro lado, a impressão das pessoas, uma à uma, entrando no Discord e ouvindo a minha voz era a mesma: “que microfone horrível é esse cara”. Claro, somente para comparação, meu microfone de uso diário é o microfone do Sennheiser Game One, que é muito acima da média para um headset. Talvez a discrepância entre um e outro tenha aflorado o sentimento de “horrível” deles, mas sim, o microfone é bem limitado. Quebra um bom galho, mas não para jogar online com seus amigos.

O aplicativo LG XBOOM é competente. Através dele você consegue atualizar o firmware do produto (atualizou duas vezes durante o tempo comigo), alterar a iluminação RGB, personalizar a equalização do perfil EQ (tem botão dedicado) e algumas outras opções. É simples e útil.

CONCLUSÃO

Sabe quando um produto te surpreende mas mesmo assim é difícil justificá-lo? Essa é a LG UltraGear GP9. Anunciado por R$3.999,00 em seu lançamento no Brasil, certamente não vale. Mas mesmo lá fora, ele é muitíssimo caro, sendo vendido por US$500 em seu lançamento. Mas os preços já começaram a ser cortados, mesmo com pouco tempo de vida.

Lá fora, pude encontrar a GP9 sendo vendida por US$380, 24% menos que o valor original. Ainda sim, caro. Aqui, só pude encontrá-la no site oficial da LG. E lá, uns dias atrás, cheguei a ver ela sendo vendida por R$2.849,05, quase 30% menos que os R$3.999,00 do lançamento. Mas a mesma já subiu novamente para R$3.324,05 à vista.

Nesse preço, não dá para sair indicando para todo mundo, apenas para quem não se importa com o valor investido e quer uma EXCELENTE caixa de som para jogar, sendo compacta e com ótimo desempenho para jogos.

Se você não tá com dinheiro sobrando, mesmo sendo um excelente e surpreendente produto, não vale os quase ou mais de 3 mil reais, definitivamente. Se o seu foco é música, menos ainda, pois a JBL Pulse 4, que tem RGB bem mais bacana inclusive, sai por menos de mil reais.

Não consigo enxergar essa ótima caixa de som com um preço mais bacana. Uns R$1.500,00 seria bem justificável, vendo o que temos no mercado e a versatilidade da LG GP9. Mas pelo dobro, não dá. Existem soluções de soundbars com subwoofer dedicado que custam a mesma coisa ou pouco mais. Inclusive a própria LG é uma referência neste cenário.

Sim, a soundbar ocupa mais espaço, não é portátil e não tem bateria interna. Mas pensando no uso mais comum deste produto, que é ficar na mesa para jogar, o dinheiro seria melhor investido numa solução de som mais completa. Até mesmo algo próximo, como o Razer Leviathan, é mais barato e tem subwoofer dedicado. A GP9 é muito competente no que se propõe, possui features bem atrativas, um ótimo design e é mais do que uma caixa de som gamer. Mas ao mesmo tempo, ela é meio que só uma caixa de som gamer, que toca música de forma OK e custa 3 mil reais. Com um corte de preço bem agressivo, seria um must have em setups gamers por aí!

NÍVEL DE RECOMENDAÇÃO: PRATA

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Rei dos FPS e o Toretto dos jogos de corrida no site. O nerd/entusiasta do PC Master Race, responsável por análise de periféricos e hardware. Quebra um galho de streamer lá na twitch.tv/ultimaficha.
Botão Voltar ao topo