Análise: Mario Strikers Battle League Football

Praticamente uma partida de porradobol

Mario Strikers é uma franquia não muito explorada pela Nintendo que está em hiato desde 2007 quando teve seu último título lançado para Wii. Agora temos em 2022 o lançamento de Mario Strikers Battle League Football para o Nintendo Switch e vocês poderão ver nesta análise se o jogo vale a pena.

A análise de Mario Strikers Battle League Football foi possível graças a um código cedido pela Nintendo. O jogo está disponível para Nintendo Switch e conta com legendas em PT-BR.

Super chutes são incríveis

Experiência arcade clássica

Em Mario Strikers Battle League Football nós temos um futebol que abraça o sentimento arcade indo bem direto ao ponto. Não espere modo história ou grande complexidade. Aqui nós temos partidas de futebol únicas, algumas copas para experimentar e jogar online.

Dito isto, vou explicar agora como funciona o game. Por ser um jogo baseado na grande franquia da Nintendo, não espere uma partida normal. Espere chutes fortes, voadoras para roubar a bola e até a utilização dos clássicos power ups da franquia.

A partida acontece com 4 contra 4 em uma arena fechada. Antes do início da partida você escolherá a dedo cada um dos personagens onde cada um tem suas características como mais ou menos velocidade, força, passe e mais. Posteriormente você escolherá o tipo de campo dentre os disponíveis e irá para a partida.

Já dentro do campo, você terá primeiramente as opções clássicas de um jogo de futebol como chute, chute forte, passe, passe alto e até roubar a bola. Mas claro que aqui temos algumas variáveis.

Para roubar a bola é possível carregar a investida. Porém, não espere algo simples! O seu personagem vai chegar com uma voadora no adversário, e em Mario Strikers Battle League Football isso é normal. Adicionalmente, se você der uma investida perto da parede, você jogará o adversário na parede e ele receberá um choque que o paralisa por um tempo.

Dentro do jogo é possível além dos chutes normais e carregados, dar um super chute. Nele, caso consiga ativá-lo com sucesso, uma incrível animação aparecerá na tela e a chance de gol é altíssima. E sendo gol, este específico contará por dois.

Por fim, existem diversos power ups que podem ser usados como o cogumelo que aumenta sua velocidade, uma bomba que explode a frente, cascos verde, vermelho e até a famigerada casca de banana.

Juntando todos esses elementos, temos uma experiência intensa, dinâmica e completamente imprevisível.

Um especial cheio de amor

Parte técnica agrada e muito, com um porém

Entrando na parte técnica desta análise, eu posso dizer que Mario Strikers Battle League Football acerta praticamente em tudo. Antes de mais nada, é importante frisar que aqui temos um jogo em full HD a 60 frames por segundo. Isso cada vez tem sido mais raro no Nintendo Switch e é sempre bom ressaltar quando acontece.

A modelagem dos personagens, dos cenários e suas animações são todos muito bem feitos. Aqui temos uma partida intensa cheia de efeitos, personagens e a torcida onde nada deixa a desejar. Inclusive o grande destaque vai para a utilização dos especiais onde o estilo do game muda para cell shading e cada personagem tem uma animação única e divertida. Após a animação, o campo é tomado por seu mega chute e tudo é focado nele.

Como podem ver, o jogo é um deleite visual, porém, eu tenho uma crítica a fazer que está em seu modo portátil. Por tanta coisa estar acontecendo ao mesmo tempo, tantos poderes explodindo para todo lado, simplesmente fica complicado de enxergar tudo que o jogo proporciona no modo portátil. Literalmente os personagens acabam ficando muito pequenos e difíceis de serem vistos. Já na TV tradicional, esse problema não existe.

Demorado, mas lindo

E um detalhe que devo pontuar recai sobre o tempo para dar o chute especial. Para ativá-lo, você deverá pegar um orbe no campo, depois carregar um chute no máximo e aí acertar a parte azul da sua barra de habilidade duas vezes e ainda esperar alguns segundos preciosos para ser ativado. O problema é que a janela para ser impedido pelo adversário é grande e até demais. Muitas vezes para ativar seu especial, você tem que contar com a boa vontade do adversário e isso pode desestimular

Customização dará a cara para seus jogadores

Algo que eu ainda não abordei nesta análise de Mario Strikers Battle League Football, é a customização que tem grande impacto em seu gameplay.

Como mencionei no início, você irá montar seu time com quatro personagens únicos onde cada um terá seus status pré definidos. Seja um atacante veloz ou então um defensor parrudo, o jogo lhe proporcionará alguém que seja adequado para seu estilo de jogo.

Mas isso não é tudo. Você poderá comprar até 5 tipos de equipamento para cada jogador e é ai que o jogo se diferencia. Ao colocar equipamentos, você poderá montar seu personagem perfeito para o estilo que te agrada mais. Claro, isso tudo custará dinheiro e você deverá ganhar partidas e campeonatos para conseguir as moedas para comprá-lo.

E algo que achei uma oportunidade perdida, foi a quantidade de personagens. Temos aqui apenas 10 personagens disponíveis que fatalmente limitam a customização e variedade disponível. Os clássicos inimigos como os Goombas e Koopa Troopa foram deixados de fora, assim como os filhos do Bowser ou até uma variação dos personagens clássicos como um Metal Mario ou um Tanooki Mario que poderia variar na questão do peso e velocidade podendo mudar seu posicionamento em campo.

Futebol: Quem fizer mais gols ganha

Limitações do gênero

Não tenha dúvida que Mario Strikers Battle League Football é um ótimo jogo, porém, isso não quer dizer que ele é perfeito. E não que ele tenha grandes problemas, mas existem limitações para seu gênero arcade.

Por estarmos falando de um jogo que custa 300 reais, é bom apontar que o conteúdo, de certa forma, é limitado. Claro, o fator replay é infinito, pois cada partida de futebol é única e tudo pode mudar, em especial se considerar a estratégia dos equipamentos.

Porém, fica tudo um tanto similar. Diferente de Mario Kart onde as pistas mudam de copa para copa, aqui em Mario Strikers Battle League Football bem, nada muda. Embora seja possível escolher um campo, ela é uma escolha apenas estética e não afeta em nada a partida.

E isso se expande para as copas presentes no jogo. Independente da copa, a partida será igual as outras não apresentando nenhuma grande diferença. E novamente, isso é uma limitação do gênero. Mas é importante pontuar que pelo preço investido no jogo, a quantidade de conteúdo pode não ser atrativo.

Olé!

Conclusão da análise de Mario Strikers Battle League Football

Finalizando esta análise de Mario Strikers Battle League Football, eu posso afirmar que o jogo é bom e me surpreendeu positivamente, pois adiciona elementos interessantes a uma partida de futebol a tornando dinâmica, além de ser uma evolução natural dos títulos lançados no Gamecube e Switch.

A diversão está garantida caso jogue sozinho ou então com um amigo e como sempre, o resultado será imprevisível. Mas claro, reforço que jogar no modo portátil não é uma experiência tão agradável, pois fica difícil de acompanhar tudo que acontece em uma tela pequena. E também, deixo aqui a nota sobre a necessidade de um balanceamento do chute especial que é demorado demais todo seu processo.

E respondendo a pergunta: Mario Strikers Battle League Football vale a pena? A resposta é um estrondoso sim! Mas vale 300 reais? Isso só você saberá responder.

Esta análise de Mario Strikers Battle League Football segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

A franquia Mario Strikers continua viva e bem!

Visual, ambientação e gráficos - 8.5
Jogabilidade - 8.5
Diversão - 7.5
Áudio e trilha-sonora - 8

8.1

Ótimo

A diversão está garantida caso jogue sozinho ou então com um amigo e como sempre, o resultado será imprevisível. Mas claro, reforço que jogar no modo portátil não é uma experiência tão agradável, pois fica difícil de acompanhar tudo que acontece em uma tela pequena.

User Rating: Be the first one !

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo