Análise: South of the Circle é uma experiência narrativa imperdível

Contos e conflitos durante a Guerra Fria

South of the Circle é o mais novo jogo publicado pela 11 bits Studios que vocês poderão ver sua análise aqui. Sabendo dos sucessos narrativos para basicamente tudo que a 11 Bit Studios lançam, confiram aqui se South of the Circle será mais um grande acerto ao explorar uma narrativa em plena Guerra Fria.

A análise de South of the Circle foi possível graças a um código cedido pela produtora. O jogo foi originalmente lançado via Apple Arcade em 2020 e agora chegará ao PC (Steam, GOG), Nintendo Switch, Xbox Series S|X, Xbox One, PlayStation 5 e PlayStation 4 em 3 de agosto e conta com legendas em PT-BR.

A história e dilemas de South of the Circle

Bem, falar de South of the Circle está longe de ser uma tarefa fácil, afinal ele é um jogo extremamente focado em narrativa e em emoção. Pouco falarei de suas mecânicas que são quase inexistentes. Mas tentarei meu melhor para falar do motivo de ter me apaixonado pelo jogo e seus personagens.

Em South of the Circle nós iremos controlar o professor Peter Hamilton da Universidade inglesa de Cambridge. Ele está estudando uma tese de como poderia mapear as nuvens e seus movimentos no céu para poder prever possíveis chuvas e mais.

E isso é feito na década de 60, onde a Guerra Fria está em um de seus momentos mais tensos. De outro lado, ele encontra a jovem professora Clara que irá lhe acompanhar em sua aventura onde fortalecerá sua amizade até se envolverem em um relacionamento tanto como casal como para a pesquisa de Peter.

Porém, por estarem vivendo durante a Guerra Fria, muitas vezes eles serão postos à prova em momentos de protestos, pressão de superiores, o perigo soiviético e até do machismo estrutural que era muito mais comum nesta época.

Cada um dos seus personagens tem sua motivação e história e isso se fortalece em momentos que eles remetem a fatos de suas vidas passadas ou sentem a pressão da vida adulta em seus ombros. E essas motivações e histórias é algo que é muito fácil de se apegar, pois nós mesmos temos nossas pressões de trabalho, família, exemplos e muito mais.

Sobrevivendo ao frio da Antártida

Até o momento desta análise, South of the Circle é apenas um jogo interessante, mas nada demais. Porém, tudo muda quando o jogo vai além de contar uma história de professores de Cambridge no conforto do seu lar e com seus muitos dilemas.

Na realidade o jogo se passa na fria Antártida onde Peter e Floyd, o piloto do avião, sofreram um desastre em um lugar desconhecido. Como Floyd quebrou a perna na aterrissagem forçada, cabe ao professor andar pelo terreno gélido em busca de ajuda.

Com esse plano de fundo, Peter começa a mesclar sua situação atual com os acontecimentos do passado. Afinal, como dizem, quando está com a vida em risco, sua própria história passa diante de seus olhos.

Com uma continuidade excepcional, Peter irá estar viajando mentalmente entre a situação de risco de morte ou extrema tensão enquanto fala com Floyd e tenta manter a calma assim como pensará em diversos momentos chaves de sua vida que irão explicar como ele foi parar na Antártida e suas motivações para permanecer vivo.

Um elenco estrelar

Não bastasse essa história super interessante de South of the Circle, para dar vida a todos os personagens, o jogo conta com um elenco estrelar. Dentre os dubladores temos Anton Lesser (“Game of Thrones”, “Star Wars: Andor”), Gwilym Lee (“Bohemian Rhapsody”), Olivia Vinall (“The Woman in White”), Richard Goulding (“The Crown”), Adrian Rawlins (“Chernobyl”) e Michael Fox (“Downton Abbey”).

A atuação de todos os atores é algo impecável e dá vida a história e aos personagens com o maior louvor possível.

E de mãos dadas com essa excepcional atuação, o jogo traz gráficos simples, porém, extremamente bem feitos. O jogo de luzes nos variados ambientes é magnífico e a modelagem dos personagens, por mais simples que sejam, ganham vida e muitas vezes você acha que são pessoas que estão na sua frente.

Isso acontece, pois é utilizada uma técnica similar ao que vimos na animação de Homem-Aranha no Aranhaverso. Aqui os personagens têm os frames reduzidos se comparado ao mundo e isso dá um estilo próprio e muito legal. Certamente é mais um ponto gigantesco do game.

South of the Circle como jogo é simples demais

Se você chegou até essa parte da análise, não é nenhum mistério que eu amei South of the Circle, porém, isso não quer dizer que ele é perfeito. O jogo acaba batendo na trave por dois motivos.

O primeiro é que como estamos falando de um jogo e não um filme ou série, temos o fator jogabilidade. Aqui South of the Circle fica muito aquém de entregar uma grande experiência. Você ao longo da jogatina poderá andar, interagir de forma limitada com alguns objetos e poderá escolher o tipo de tom que levará a cada conversa.

Eu particularmente não senti nenhuma grande mudança no rumo das conversas que tive com minhas escolhas. Apenas em alguns momentos pontuais você fazia uma escolha que de certa forma moldará algo mais a frente.

E o segundo problema de South of the Circle fica na física dos personagens. Por ser uma experiência cinematográfica, o jogo traz uma imersão fabulosa, porém, em alguns momentos de caminhada ou então de interação entre personagens ou quando alguém pega algum item, essa imersão perde seu rumo. É comum ver o pé atravessando pedras ou então as mãos tendo algum tipo de bug segurando itens ou pessoas.

Isso é apenas um detalhe em uma obra tão magnífica, assim como ele apresenta sombras feias. Acredito que por ter sido lançado inicialmente para os aparelhos Apple, ele possa ter sofrido um downgrade em certas áreas. O que é curioso é que mesmo sendo portado para consoles e PC’s, é que não existe nenhum tipo de ajuste gráfico e ficamos presos ao que ele pode oferecer independente de seu Hardware.

Conclusão

Mais uma vez eu tenho que aplaudir de pé o nível da narrativa por mais um jogo da 11 Bits Studios. Como diria a famosa expressão, eles não dão ponto sem nó. Em South of the Circle nós temos simplesmente uma narrativa maravilhosa com personagens e dublagem absurda e uma ambientação com gráficos apaixonantes.

Existem alguns problemas? Sim, existem, pois estamos falando de um jogo. Mas eles acabam sendo detalhes em uma experiência tão fabulosa. Aqui temos uma história fantástica com personagens interessantes que irão te tocar com suas motivações, apreço pela vida e pelo peso das responsabilidades.

Essa análise de South of the Circle segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

South of the Circle tem uma das melhores histórias já vistas

Visual, ambientação e gráficos - 10
Jogabilidade - 7
Diversão - 9
Áudio e trilha-sonora - 10
Narrativa - 10

9.2

Fantástico

South of the Circle é um jogo inicialmente lançado para aparelhos Apple e agora portado para PC's e todas plataformas. Embora seja simples tecnicamente, ele apresenta uma história fabulosa que irá te deixar preso na cadeira do inicio ao fim.

User Rating: Be the first one !

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo